Notícias em destaque

Nova Veneza e Mirante da Serra tiveram barreiras epidemiológicas

commentJornalismo access_time24/05/2020 18:44

Volume de turistas da semana anterior colocaram autoridades da saúde em alerta

Futebol Catarinense: times retornam aos treinamentos

commentEsporte access_time21/05/2020 08:00

Clubes ganham testes de coronavírus para retomarem atividades

  Jaime Dal Farra se pronuncia sobre sua saída da direção do Criciúma no dia 31 de dezembro

commentCriciúma EC access_time21/05/2020 16:50

Em live Jaime respondeu perguntas referentes ao Criciúma e sua saída do comando no fim do ano

Industria ceramista começa a parar

Algumas empresas já desativaram totalmente suas linhas de produção

comment Jornalismo access_time28/03/2020 - 13:11

Reportagem: Redação Eldorado

A retomada das atividades comerciais na proxima quarta-feira não significa volta à rotina em várias indústrias da cerâmica no Sul do Estado. Algumas delas já estão com suas linhas de produção totalmente paralisados, outras estarão desativando as suas nos próximos dias. Isso tudo é reflexo da combinação da frustração da retomada da economia e a crise gerada pelo coronavírus. Todas estão com razoáveis estoques que suportam até meses de paralisação. Assim, a medida adotada agora é apenas a confirmação do que já vinha sendo analisado como possibilidade para reduzir o custo da produção e equiliobrar o caixa, já que os pedidos para a renegociação das dívidas dos clientes já começaram a chegar e os fornecedores das indústrias começam a ser procurados para renegociar dívidas vincendas. Estancando as saídas e preparados para entradas menores os setores financeiros oferecem alternativa única à saúde das empresas. Isso pode provocar demissões se as adequações com férias e licenças especiais não forem suficientes.
Segundo a reportagem apurou empresas grandes como a Angel Gress e a Elizabeth estão com a produção totalmente páralizada. Outras duas referências, a Portinari tem três linhas de produção paralisadas e a Eliane está reduzindo as suas.
No início desta semana sindicatos patronal e laboral assinaram um aditivo ao acordo trabalhista. Ele visa preservar o maior número possível de empregos, garante o pagamento em dia dos salários de março e dá alivio às empresas a medida que todos os dias parados serão pagos por compensaçãoa de férias, bancos de horas ou circunstâncias similares.

content_copyAssuntos relacionados

Mais notícias de Jornalismo

Nova Veneza e Mirante da Serra tiveram barreiras epidemiológicas

commentJornalismo access_time24/05/2020 18:44

Volume de turistas da semana anterior colocaram autoridades da saúde em alerta

Dobra número de pacientes em UTI em Criciúma

commentJornalismo access_time24/05/2020 17:33

Número de casos mantem crescimento considerado baixo, mas casos graves aumentam

Chegada do frio proporciona um espetáculo natural na região

commentJornalismo access_time23/05/2020 11:27

Ouvintes da Eldorado enviaram fotos dos fenômenos, que você confere abaixo

  Caminhão-pipa deve abastecer propriedades em Içara

commentJornalismo access_time22/05/2020 17:08

Estiagem deixa mais de 40 famílias da área rural sem água potável para consumo.

  Psicólogo orienta sobre como evitar brigas em um relacionamento

commentJornalismo access_time22/05/2020 15:40

Eduardo Búrigo destacou que nem todos os casais precisam de terapia