Notícias em destaque

Industria ceramista começa a parar

commentJornalismo access_time28/03/2020 13:11

Algumas empresas já desativaram totalmente suas linhas de produção

Clubes da Série B anunciam férias coletivas

commentEsporte access_time27/03/2020 08:20

Os 20 clubes que disputarão a competição em 2020 publicaram algumas medidas tomadas em conjunto

Presidente Jaime disponibiliza CT para a prefeitura de Criciúma

commentCriciúma EC access_time20/03/2020 14:30

CT passa a partir deste momento, a ser uma reserva técnica caso haja necessidade

Vereadores do PSD querem "mudar" o vice

access_time12/01/2020 - 22:22

Enquanto os vereadores Salésio Lima e Camila do Nascimento - considerados pela direção do PSD como legítimos vereadores do partido - se mantém mais cautelosos em relação a guerra interna deflagrada com o vice-prefeito Ricardo Fabris, Zairo Casagrande – considerado pela direção do partido “fora” – só é cauteloso quando a conversa é no microfone. Fora do ar não é difícil ouvir dele que os três estão “fechados” e que a persistir o cenário que consideram de “equivocado privilégio” ao vice-prefeito, sairão da sigla. Zairo aposta que os três saem. Existe, entretanto, um cenário que pode mudar tudo no partido. Isso aconteceria se o deputado Júlio Garcia, que é quem tem absoluto domínio da sigla, decidir substituir o candidato do partido a vice-prefeito em reedição da chapa Clésio Salvaro/Ricardo Fabris.
O ensaio dos vereadores flagrantemente rebelados, pode mudar se avançar a tese de que o empresário Anselmo Freitas seja o candidato a vice-prefeito pelo PSD em Criciúma. Alguém pode perguntar: “mas Anselmo não se filiou ao PSD em Içara?” Sim, mas há tempo até o fim de março para que ele mude o domicilio. Fabris sabidamente no meio político tem o apadrinhamento do deputado Júlio Garcia, mas não tem o respaldo do partido. Na base do PSD não é difícil encontrar gente disposta a apoiar qualquer nome para vice, desde que não seja Fabris.
O vice-prefeito Ricardo Fabris tem evitado comentar o assunto por orientação do deputado Júlio Garcia. O período em que o fato está na pauta favorece Fabris, pois o tempo é de recesso e a aposta de que assim o assunto se desgaste o suficiente para ser considerado página virada quando chegar março que é o mês de efervescência política.


Prefeito explica ida de Arleu à Câmara

 personJoão Paulo Messer
access_time06/10/2019 - 00:23

Para “consumo externo” – isto é, a versão oficial – Arleu da Silveira retornou à Câmara de Vereadores porque o prefeito sabia que deveria fazer isso em março, quando acontece a desincompatibilização. Só decidiu antecipar. Diz que pretende uma base aliada mais forte e admite que não é plenamente satisfeito com alguns movimentos da base aliada. Ele nega, entretanto, que a antecipação da mudança tem a ver com o recente comportamento de aliados que votaram contra o governo. E justifica isso dizendo que o líder continuará sendo Aldinei Poteleki

Agora vai a minha interpretação para o fato. Ela está baseada em muitas informações de “bastidores” sim. A decisão foi tomada numa semana em que o prefeito estava com “os nervos à flor da pele” com toda aquela bronca da Meningite. Tanto é que andou se passando em uma declaração polêmica. Apareceu neste pacote a infidelidade da base aliada. A troca foi só uma questão de canetaço.

Arleu não será só vereador. Não será líder oficialmente, mas vai articular como se fosse. Além disso terá policiamento sobre outros movimentos inclusive sobre os movimentos de partidos que podem não estar com Clésio nas eleições do ano que vem. Quer dizer, ele é o soldado no posto estratégico.

Por fim, Arleu não será só vereador, pois será também Secretário quando os fatos exigirem.

Por exemplo, Paulo Ferrarezi (MDB) era oposição, foi convencido a ficar mais perto de Clésio pelos colegas de bancada Toninho da Imbralit e Tita Beloli, mas como suas reivindicações não vinha sendo atendidas distanciou-se de novo. É destes movimentos que Arleu vai cuidar.

Por fim, deve-se enxergar neste movimento ainda o fato de o dia a dia vai deixar Arleu mais perto do eleitor e um vereador com força de Secretário pode pavimentar extraprdonário caminho à reeleição senão para um posto mais importante como de vice-prefeito. O tamanho dos aliados vai dizer onde ele vai estar nas próximas eleições.

Clésio Salvaro abre e fecha a semana com polêmica

 personJoão Paulo Messer
access_time04/10/2019 - 18:00

Definitivamente esta não foi uma boa semana para o prefeito Clésio Salvaro. Inicou e terminou com polêmicas à cerca da sua fala e atitude. Na segunda-feira escorregou ao dizer que há crianças que sequer conhecem seu pai. Para completar, nesta sexta-feira, termina a semana mandando à Câmara de Vereadores o seu “baço direito” secretário de Governo Arleu da Silveira. Arleu é o vereador mais bem votado (3.4331 votos), mas estava no Executivo abrindo vaga para o suplente Álisson Pires, todos do PSDB. Ocorre que Pires votou contrariando uma orientação do partido. Desobedeceu e foi punido com a perda da vaga na Câmara, nem que para isso Clésio tenha que tirar da prefeitura um homem estratégico.

Foi no extremo
Por mais que o partido argumente que a base aliada precisa ser fiel e que até a legislação diz isso, quando prevê possibilidade de expulsão de um filiado que descumprir orientação de voto quando a sigla fechar questão, a operação que coloca Arleu da Silveira na Câmara e “desaloja” Álisson Pires é autoritária. À luz da interpretação externa a atitude foi grosseira. Os aliados do prefeito lembram que Pires já estava com “cartão amarelo”.

Mudança de cargo
No final da tarde desta sexta-feira aconteceu a solenidade de transmissão do cargo de Secretário de Governo de Arleu da Silveira para Vágner Espíndola. Arleu assume na Câmara segunda-feira. Ninguém que conhece as coisas na prefeitura acredita que Aleru da Silveira não seja, a partir da semana que vem, uma espécie de super-homem, pois será vereador acumulando as funções no Executivo. Ele é tão fiel que se submeteu à decisão do prefeito.

Recado duplo
A destituição de Álison Pires da cadeira no Legislativo respinga em outro vereador, Aldinei Poteleki, o líder de governo que na semana passada não conseguiu liderar a bancada em votação de matéria aprovada e que prevê a isenção do pagamento de IPTU aos portadores de neoplasia maligna (câncer), paralisia irreversível e incapacitante, Parkinson, Alzheimer, Esclerose Múltipla (EM), e Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA). Pires, que é médico diz que votou conforme a sua consciência.

Mexeu com mais
O prefeito Clésio Salvaro não “comprou uma briga” apenas com o vereador Álisson Pires, mas com todos os demais, pois está mandando à Câmara de Vereadores um projeto do Executivo criando um fundo que vai ajudar para abater no IPTU dos contribuintes comprovadamente doentes. Para isso desconta 10 por cento do salário dos vereadores, do prefeito e do vice. Mexeu no salário mexeu com todos.

PP fecha direção sem o time de Miri

 personJoão Paulo Messer
access_time03/10/2019 - 22:22

Sem a presença de líderes como o atual presidente da Câmara de Vereadores, Miri Dagostin e do ex-deputado estadual Valmir Comin, o Partido Progressista de Criciúma realizou na noite desta quinta-feira a convenção complementar. Foi para completar a Executiva, já que o presidente Paulo Conti já havia sido eleito. Apesar de todo esforço de passar a ideia de um evento animado e normal, ficou indisfarçável a preocupação dos dirigentes progressistas que sofrem com a divisão da sigla. O partido hoje está na mão de um grupo que se opõe à ideia de coligar com o prefeito Clésio Salvaro (PSDB), embora isso não seja dito abertamente e de alguns até procurarem desmentir esta preferência. Quem ganhou o partido é o grupo que defende a candidatura de Jorge Boeira. O nome de Gilson Pinheiro já não faz mais sombra entre os progressistas. No máximo ele está como reconhecidamente um forte opositor ao prefeito Clésio.

Tá no brete
As circunstâncias às quais o Partido Progressista de Criciúma foi conduzido embretam os atuais líderes e jogam enorme responsabilidade sob os ombros do ex-deputado federal Jorge Boeira. Ele agora precisa ser candidato a prefeito. Caso contrário vai empurrar todos os seus companheiros de partido à margem do jogo político do ano que vem.

Vai aguardar
O vereador Miri Dagostin brigou pela presidência e quase ganhou no voto. Como não conseguiu, tentou reverter a eleição no partido exigindo a presidência em uma reunião com o colega vereador Edson Luiz do Nascimento. Como também assim não conseguiu, chegou a ser aconselhado a entrar na Justiça em virtude do que seriam as irregularidades cometidas na eleição, segundo o estatuto partidário. Nas últimas horas ele recuou desta possibilidade e pode esperar que o tempo sentencie se estava certo ou errado. A interpretação é que a briga na Justiça criaria um desgaste desnecessário e o tempo pode ser o remédio.

Aposta de Miri
Caso Jorge Boeira não seja candidato a prefeito e ao PP não reste alternativa senão coligar com o partido do prefeito Clésio Salvaro, terá sido Miri Dagostin o ganhar deste processo. Se Boeira for candidato Miri segue a sua campanha, provavelmente ignorado ou ignorando a sua chapa majoritária. É neste momento que pode sofrer algum revés do seu partido, ou seja, pode ter dificuldades para registrar a sua candidatura o que é pouco provável, mas possível. Só no ano que vem se saberá quem está certo, se Miri Dagostin ou o grupo de Jorge Boeira.

A Executiva
A composição do PP, além de Paulo Conti, que já foi eleito presidente, é a seguite: Abrão de Souza (primeiro vice-presidente), Velcides Fabris (segundo vice-presidente), Fabricio Cardoso Freitas (secretário geral), Kelli Ferreira (secretária), Tarciso Pereira (tesoureiro geral), e Amarildo Cardoso (tesoureiro).

Demais
Estão na direção do PP, ainda: Lúcio Nuremberg, Jorge Boeira e Edmilson Mondardo como “vogais” e Itamar da Silva, Elton Passos da Silva e Ana De Bem como suplentes de vogais. Edson Luiz do Nascimento (Paiol) é o líder de bancada na Câmara Municipal.

Jeferson Monteiro já tem dia para entrar no PL

 personJoão Paulo Messer
access_time30/09/2019 - 22:22

No dia 26 de outubro o líder estadual do PL, senador Jorginho Melo, virá à Criciúma para uma agenda que inclui a filiação do advogado criciumense Jeferson Monteiro. No mesmo dia o partido deve fazer uma série de outras filiações, entre elas vereadores de diversas vertentes como o atual presidente da Câmara de Vereadores de Forquilhinha, Maciel Dassoler. Seu nome está cotado para ser candidato a prefeito.
Jeferson Monteira saiu do MDB recentemente. Pelo menos em duas oportunidades já esteve na capital do Estado, reunido com o senador Jorginho Mello. O ex-prefeito Márcio Búrigo tem afirmado que já tem “no bolso” a ficha de filiação de Monteiro. É possível, entretanto, afirmar que o verdadeiro “costureiro” desta filiação é o também ex-emedebista Ricardo Beloli.

Entendam o Jorginho
O “jogo pesado” do senador Jorginho Melo, que parece ser hoje o líder que mais tem agregado nomes estratégicos na região Sul do Estado tem fácil explicação: ele é candidato a governador em 2022. Existe nos bastidores uma tese sugerindo que pode ser candidato numa aliança que teria dois partidos de posicionamento antagônico em Santa Catarina: PP e MDB. O que é ainda mais impressionante é que a tese é de que esta construção se dará começando pela construção de uma candidatura a prefeito de PP e MDB. em Florianópolis. O ainda mais surpreendente é que ela teria Esperidião Amin e Dário Berger juntos no mesmo palanque.

Sucedendo
Há um aspecto a ser observado na construção do PL na região sul. Tudo começou com a autonomia dada pelo senador Jorginho Melo ao jovem líder e atual presidente da Fundação Municipal de Esportes em Criciúma, Nícola Martins. Logo depois o bastão passou às mãos de Márcio Búrigo que sabidamente não afina com Clésio Salvaro e agora a batuta parece de verdade na mão de Ricardo Beloli, que tem perfil de oposição ao prefeito de Criciúma.

PP “exclui” grupo do Miri e Comin

 personJoão Paulo Messer
access_time30/09/2019 - 19:34

Terminou nesta segunda-feira, às 18h, o prazo para a inscrição de chapa para a eleição complementar da Executiva Municipal do Partido Progressista em Criciúma. Reafirmando o que foi “ensaiado” no mês passado, o partido ficará comandado apenas pelo grupo liderado pelo vereador Édson Luiz do Nascimento, Paiol, que por sua vez é fortemente ligado ao ex-deputado federal Jorge Boeira. Ficam fora da cúpula do partido líderes como o atual presidente da Câmara de Vereadores, Miri Dagostion e o ex-deputado estadual Valmir Comin. Eles são acusados de andarem alinhados com o prefeito Cléiso Salvaro, do PSDB.

Lista fechada
A eleição suplementar, que acontece nesta quinta-feira, dia 3, deve referendar o nome de Abrão de Souza (primeiro vice-presidente), Velcides Fabris (segundo vice-presidente), Fabricio Cardoso Freitas (secretário geral), Kelli Ferreira (secretária), Tarciso Pereira (tesoureiro geral), e Amarildo Cardoso (tesoureiro). Lembrando que o presidente Paulo Conti já está eleito. Faltava completar a Executiva.

Alegação
A composição da chapa demorou porque o grupo agora liderado pelo presidente Paulo Conti tentava compor com o grupo de Miri Dagostin. Este exigia a presidência do partido. Diante da negativa na anulação da eleição já realizada, Miri “retirou o time”.

Escolha do caminho
Na prática a “queda de braço” no PP põe o grupo atual refém do ex-deputado federal Jorge Boeira, que se rejeitar a possibilidade de ser candidato a prefeito fragiliza muito o partido. Neste caso a ala de Miri Dagostin pode sair fortalecida. Há de se considerar que a simpatia a Clésio Salvaro não é exclusividade de Dagostin. Esperidião Amin é tido como outro que pensa assim. Se a composição do PP for mesmo com Clésio, óbvio ele irá preterir o grupo que agora exclui o time do aliado Miri.

Mil Dias de Governo

 personJoão Paulo Messer
access_time29/09/2019 - 22:22

Nesta segunda-feira às 8h abre na Sala dos Municípios da UNESC a programação especial da rádio Eldorado para permitir avaliação dos “Mil Dias dos Governos Municipais” das regiões da AMREC e AMESC. Durante três dias (segunda, terça e quarta-feira), no Programa João Paulo Messer, das 8h às 10h, serão apresentadas entrevistas em forma de apresentação por parte dos prefeitos.

Na abertura falam a reitora Luciane Ceretta, o presidente da FECAM, Joares Ponticelli e os presidente da AMREC (Clésio Salvaro) e da AMESC (Arlindo Rocha). Participam ainda prefeitos de outras cidades da região, representantes de segmentos como a Câmara Municipal de Vereadores de Cricúma, ACIC, Observatório Social, entre outros.

A proposta é oferecer aos prefeitos a oportunidade de falar sobre os Mil Dias de Governo, completados neste sábado. Não se trata de um simples programa de rádio, nem de um evento para grande plateia, mas sim uma grande mesa à qual sentam os prefeitos e representantes de vários segmentos. Durante as duas horas do programa de rádio se sucedem falas dos prefeitos sobre os atos de governo. Assim, a avaliação ganha um espaço de rádio que oferece uma plateia muito maior (os ouvintes da rádio Eldorado) e alguns espectadores que podem participar do bate papo no local.

Nesta segunda-feira acontece uma avaliação mais ampla, num programa com caráter mais institucional e amplo. Na terça e quarta-feira as entrevistas seguem acontecendo no mesmo local, mas com plateia mais restrita e maior número de prefeitos entrevistados.

Deu GAECO na DTT

 personJoão Paulo Messer
access_time26/09/2019 - 22:22

No mesmo dia em que o promotor público da cidade, Alex Sandro Teixeria da Cruz, foi notícia nacional no site "O Antagonista" por arquivar uma denúncia "anônima" como forma de chamar a atenção ao que vai impactar na investigação a "Lei de Abuso de Autoridade", o GAECO - grupo que investiga crimes contra o patrimônio público - fez apreensão de um computador e alguns documentos no órgão municipal de trânsito de Criciúma, o DTT. Mas o que estes dois fatos tem a ver um com o outro? Num deles o promotor avisa que as denúncias anônimas devem cair em desuso, enquanto no outro é a denúncia anônima que impacta um órgão público municipal.

Ou seja: no caso do promotor público, ele arquivou a denúncia, enquanto no outro o GAECO segue uma investigação que dá conta de uma possível venda de informações privilegiadas. O que o GAECO investiga é a denúncia de que o filho de um servidor de confiança do Departamento de Trânsito e Transporte de Criciúma recebia informações privilegiadas sobre pessoas autuadas - multa de trânsito - e prometia "reverter" estas multas. A expressão pode ser também: "tirar a multa".

O governo municipal teria recebido a mesma denúncia, feito processo administrativo e concluído que não há indícios de irregularidades. O GAECO está na fase de investigação e na manhã desta quinta-feira compareceu à sede da DTT para apreender o computador do servidor, que é pai do advogado investigado. A suspeita é que o pai passava ao filho a informação de quem tem multa de trânsito em aplicação. Supõem-se que este advogado procurava o autuado com a promessa de reverter a multa.

Fato relevante neste caso é que o servidor supostamente investigado já teria respondido sindicância interna e provado sua inocência. Além disso, trata-se de um dos mais conceituados servidores do órgão, além de ser uma das pessoas com a mais extensa ficha de serviços prestados à comunidade em vários outros serviços de voluntariado. Por isso, e por já ter investigado o caso, a administração municipal decidiu não afastar o servidor. A manutenção dele no cargo se trata de uma espécie de "voto de confiança".

PSL pode ter chapa de polícia

 personJoão Paulo Messer
access_time22/09/2019 - 21:00

Um delegado e um coronel para prefeito e vice
O deputado estadual Jessé Lopes já escreveu nas redes sociais que apoia. Mais do que isso, falou que é seu desejo que o PSL tenha em Criciúma uma chapa pura com o delegado Márcio Campos Neves à prefeito e o coronel Cosme Manique Barreto de vice. Neves parece ter gostado da ideia e percorre eventos, senta à mesa com outros políticos e mantém-se bem relacionado e presente. Foi assim no fim de semana durante eventos como o almoço da Abadeus. O coronel PM por sua vez tem tido presença constante nas redes sociais. São movimentos que olhados a partir desta informação sugerem a possibilidade de uma chapa inédita para a disputa da prefeitura no ano que vem. Na foto Márcio Neves é o do centro.

Em Cocal do Sul
O PL deve ter o reforço do atual presidente da Câmara de Vereadores de Cocal do Sul, Eric Pereira Zeferino, atualmente integrante dos quadros do PCdoB. Ele vai saltar de comunista para liberal. Nos dias de hoje estas mudanças são melhor absorvidas pelo eleitor. Eric trabalha intensamente para ser candidato a prefeito. Pela situação a hoje vice-prefeita Aninha Scarpatto (PSD) deve ser a candidata. O MDB fez voto de silêncio até a convenção do partido, no mês que vem.

Qual é a do Zé?
O prefeito Rogério Frigo (PSDB) deu uma espécie de “ultimato” ao vice-prefeito Zé Spillere e seu grupo de apoio. Foi no sábado durante encontro no restaurante Ávila. Como o vice andava afastado e os rumores de que o seu partido poderia saltar para a oposição, o prefeito chamou e pediu para que a posição ficasse clara. O PSD reafirmou intenção de renovar a aliança em 2020 e a partir desta segunda-feira o vice-prefeito volta às atividades.

Oposição
A oposição em Nova Veneza está sendo construída em conversas dos líderes do PP e o ex-prefeito de Criciúma, Márcio Búrigo, que agora está formando o PL. Ele convidou o advogado Giovani Brogni, que é filiado ao PSD. Este teria admitido a possibilidade de ser candidato a prefeito, mas quer alguém do PP do Caravággio como seu vice.

Rumores da Veneza
Em Nova Veneza uma pergunta ainda não respondida pelo governo municipal permite a criação de uma infinidade de teses. A dúvida é sobre o afastamento da esposa do vice-prefeito José Spillere, Vera, das atividades na Associação Feminina do município. O vereador Dado Ghislandi apresentou pedido de informações na Câmara de Vereadores. As teses giram em torno de problemas na prestação de contas.

Cooperativa
É tida como praticamente nula a possibilidade de construção de oposição à eleição da Cooperativa de Eletrificação de Forquilhinha, a Coopera. Os prefeitos Clésio Salvaro (Criciúma) e Rogério Frigo (Nova Veneza) já estariam acertados com o presidente e candidato à reeleição Walmir Rampinelli. Apoiam a reeleição em troca de apoio às suas reeleições em 2020.

Frigo enquadra o PSD e o Zé

 personJoão Paulo Messer
access_time22/09/2019 - 18:50

Qual é a do Zé?
O prefeito Rogério Frigo (PSDB) deu uma espécie de “ultimato” ao vice-prefeito Zé Spillere e seu grupo de apoio. Foi no sábado durante encontro no restaurante Ávila. Como o vice andava afastado e os rumores de que o seu partido poderia saltar para a oposição, o prefeito chamou e pediu para que a posição ficasse clara. O PSD reafirmou intenção de renovar a aliança em 2020 e a partir desta segunda-feira o vice-prefeito volta às atividades.

Oposição
A oposição em Nova Veneza está sendo construída em conversas dos líderes do PP e o ex-prefeito de Criciúma, Márcio Búrigo, que agora está formando o PL. Ele convidou o advogado Giovani Brogni, que é filiado ao PSD. Este teria admitido a possibilidade de ser candidato a prefeito, mas quer alguém do PP do Caravággio como seu vice.

Rumores da Veneza
Em Nova Veneza uma pergunta ainda não respondida pelo governo municipal permite a criação de uma infinidade de teses. A dúvida é sobre o afastamento da esposa do vice-prefeito José Spillere, Vera, das atividades na Associação Feminina do município. O vereador Dado Ghislandi apresentou pedido de informações na Câmara de Vereadores. As teses giram em torno de problemas na prestação de contas.

A homenagem ao ex-prefeito Altair Guidi

 personJoão Paulo Messer
access_time20/09/2019 - 19:23

Parque vai se chamar Altair Guidi
O prefeito Clésio Salvaro reuniu-se com a família do ex-prefeito Altair Guidi para anunciar que o Parque Centenário – da prefeitura – vai se chamar Parque Municipal Centenário Altair Guidi. A conversa foi no final da tarde desta sexta-feira. A inauguração do repaginado parque ocorre apenas no dia 6 de janeiro do ano que vem. A antecipação do prefeito é para evitar que alguém sugira outro nome. Neste caso seria muito difícil trocar o nome – desconvidar – e ainda assim Clésio perderia a autoria da homenagem.

Altair vivo
Altar Guidi ainda estava vivo quando Clésio Salvaro reinaugurou a prefeitura construída por Guidi quando este era prefeito, mas destruída por dois incêndios em maio e junho de 2015. Foi no dia 6 de janeiro de 2018. Naquela ocasião Altair estava vivo e já bastante debilitado, mas fez questão de comparecer à solenidade de inauguração. Morreu 17 dias depois, em 23 de janeiro de 2018.

Razão a mais
Oque pouca gente sabe é que Altair Guidi sempre foi a maior inspiração de Clésio Salvaro na política local, embora publicamente ele nunca deve ter admitido isso. Clésio começou a sua carreira política de vereador em Siderópolis no ano de 1993, período em que Guidi estava iniciando o seu segundo mandado de prefeito em Criciúma, deixando a marca de um dos melhores governos municipais de Criciúma. Este modelo e as habilidades políticas de Guidi não só levaram Clésio a mantê-lo como referência política, como o inspiraram a seguir carreira.

O vice
Participou ainda da reunião do prefeito Clésio Salvaro com a família do ex-prefeito Altair Guidi, além da esposa Sandra, o filho e atual deputado federal Ricardo Guidi e a filha Andrea, o ex-vice-prefeito – de 1977 a 1983 – Mário Sônego.

Aumenta a divisão do PP

 personJoão Paulo Messer
access_time19/09/2019 - 20:50

Antes uma fenda, depois um racha e agora uma cratera entre as alas do Partido Progressista em Criciúma. Nesta quinta-feira, ao meio dia, os progressistas da ala Jorge Boeira voltaram a reunir-se com o ex-deputado e possível candidato a prefeito. À mesa estava a exigência feita dois dias antes pelo vereador Miri Dagostin, tido como aliado do prefeito Clésio Salvaro, que exige a presidência do partido. A decisão é que não haverá concessão. O presidente é Paulo Conti eleito na convenção do mês passado e a nominata deve ser fechada até o início da semana que vem quando será marcada nova convenção.

Miri e Comin fora
Da reunião desta quinta-feira só participou a “ala Boeira”. Nem Miri Dagostin, nem Valmir Comin. Ambos sequer foram convidados à reunião. O encontro era para analisar a exigência de Dagostin e a decisão foi de não ceder às exigências feitas. Como consequência nesta sexta-feira Paulo Conti vai compor a relação de 14 membros da Executiva convidando um a um. Não haverá ninguém da “ala Miri”.

PL e PP na Veneza
Na próxima segunda-feira acontece a reunião que pode antecipar os encaminhamentos para a aliança de oposição ao prefeito Rogério Frigo (PSDB). O PL convidou o advogado Giovani Brogni que teria aceitado com algumas condições o desafio de ser candidato a prefeito. Ele quer alguém do PP do Caravággio como candidato a vice.

Pé no PL
Em Forquilhinha o presidente da Câmara de Vereadores, Maciel Dassoler está com dois pés fora do MDB e um no PL. Esta informação ainda é tratada com reservas e mantida em sigilo, mas o ex-prefeito Márcio Búrigo já tem no bolso a ficha assinada por Maciel. Ele deve ser candidato a prefeito. O seu futuro partido garante ter pesquisas com ótimos indicativos à candidatura.

Fala de candidato
O advogado Jeferson Monteiro fala como pré-candidato a prefeito. Entrevista na manhã desta quinta-feira na rádio Eldorado mostrou alguém cauteloso nas palavras, mas claro no objetivo. Após sair do MDB segue sem partido o que deve demorar até o final do ano. O PL de Márcio Búrigo é o mais provável. “O PL não é probabilidade, mas possibilidade”, diz ele. No PL, porém, a percepção é que ele – Jeferson – já é do time.

Nome novo
Tem um nome até então sequer citado, mas que está firme na construção do PL e em candidaturas às próximas eleições. Pelo menos em Criciúma e principalmente em Nova Veneza. Trata-se do empresário Sanciro Ghislandi. Ele tem andado dois terços do dia ao lado do articulador político Ricardo Beloli. Ele não é candidato a nada, senão a construtor de aliança política.

Excluído
Na entrevista com o advogado Jeferson Monteiro ele deixou evidente que saiu do MDB porque foi “excluído” das conversas. Isso depois que o grupo de vereadores – agora três – assumiu o protagonismo emedebista em Criciúma. Monteiro, entretanto, foge à qualquer provocação que pudesse arrancar dele uma declaração como a de que os vereadores do MDB estão comprometidos com o prefeito Clésio Salvaro.

O lado MDB de Moisés
Uma semana depois segue repercutindo “por toda Santa Catarina” a agenda do governador Carlos Moisés da Silva, semana passada em Criciúma. Na ocasião o deputado Luiz Fernando fez exagerados elogios ao governador que não vacilou em atender a todos os apelos do parlamentar emedebista. A leitura é que aquele momento apenas consolida o que foi suspeita antes das eleições e confirmação agora: Moisés tem no MDB a melhor base aliada. Na capital, nesta quinta-feira, de novo colunistas voltaram a insistir no fato do MDB ser o partido melhor atendido a pedido de Moisés.

A reitora brilhou mais que o governador

 personJoão Paulo Messer
access_time15/09/2019 - 14:50

Os aplausos à reitora
Na solenidade de entrega de recursos para o Centro de Inovação de Criciúma a estrela maior deveria ser o governador Carlos Moisés. A reitora Luciane Ceretta, entretanto, foi flagrantemente a mais aplaudida. Os elogios que o governador e os secretários do governo lhe dirigiram, mostram que os recursos só foram liberados porque ela convenceu a todos sobre a importância do equipamento público que vai ser instalado em Criciúma. O governador chegou a usar a expressão: “Não tem como não se apaixonar por uma mulher dessas”, referindo-se à contagiante empolgação e determinação com que ela trata os assuntos.

O discurso
A solenidade de entrega de R$ 8 milhões para o Centro de Inovação Tecnológica para Criciúma, sexta-feira à noite no auditório Rui Hülse na Unesc, foi rico em termos de discursos. Prato cheio para quem gosta de ouvir manifestações de conteúdo bem construído. A fala da reitora Luciane Cereta foi a que chamou mais atenção. Como se espera de uma reitora, foi perfeita inclusive na construção do texto. O discurso dela foi uma primazia.

Os discursos
O governador Carlos Moisés impressionou positivamente os que ainda não tinha lhe ouvido sobre os exemplos de um governo austero e enxuto, que vem fazendo. Não trouxe nada de muito novo para quem acompanha o seu dia a dia. O Secretário de Desenvolvimento Sustentável, Lucas Esmeraldino, foi o menos objetivo na sua fala. Já o deputado Luiz Fernando Cardoso rasgou-se em elogios ao governador. O prefeito Clésio Salvaro resgatou o que outros esqueceram, a importância do ausente deputado Júlio Garcia na articulação para a liberação da verba entregue naquela noite.

Visita do governador
Na agenda do governador, além do ano na Unesc, onde ele liberou R$ 8 milhões para o Centro de Inovação e anunciou outros R$ 24 milhões para a revitalização da rodovia Jorge Lacerda, teve ainda uma “passada” no jantar da AMA (Associação dos Autistas). Depois disso o governador foi visitar a cervejaria Saint Beer em Forquilhinha, onde tocou violão e cantou. Dormiu no Hotel Bormon de Nova Veneza, onde na manhã de sábado participou de solenidade de entrega de uma rodovia municipal.

Polêmicas
O governador falou pouco ou quase nada sobre questões como como as eleições de 2020 e a polêmica com o deputado Jessé Lopes ou as constantes ilações ao que seria uma preferência pessoal dele por Tubarão em detrimento das conquistas de Criciúma. Perguntado saiu pela tangente em todos os assuntos.

Percepção
Depois de se ver e ouvir a forma como o governador se relaciona com o deputado Luiz Fernando Cardoso Vampiro e o inverso não tem como não imaginar que nas próximas eleições eles estejam juntos. Possível imaginar que ou o Vampiro vai para o PSL ou o governador vai para o MDB.

MDB vice do PSL
É raciocínio tido como lógico entre os líderes dos principais partidos políticos de Criciúma que o MDB de Criciúma indique o vice na chapa com o PSL. O raciocínio decorre da aproximação que o governador tem com o deputado Luiz Fernando Cardoso, Vampiro. Hoje a bolsa de apostas fala em Júlio Kaminski candidato pelo PSL. Para isso ele terá que mudar de partido. Faria isso

Monteiro sai do MDB
Por perceber que o MDB não tem projeto de candidatura majoritária às eleições do ano que vem o advogado Jeferson Monteiro, que vinha sendo cogita ser candidato a prefeito, anunciou neste domingo a sua saída do partido. Deve ir para o PL liderado na região pelo ex-prefeito Márcio Búrigo. Mas isso ele não menciona na nota que direciona aos dirigentes do PMDB. Sugere na nora que o partido deveria seguir a tendência do que o eleitor manifestou em 2018 optando por nomes novos na política, Era neste viés que ele punha o seu nome. A saída de Jeferson Pereira do MDB ficou ainda mais evidente quando um de seus fiéis escudeiro, ex-vice-presidente do partido, Ricardo Beloli saiu indo para o PL.

Rachou a Gôndola
Últimos acontecimentos culminando com a festa de sábado pela manhã em Nova Veneza prometem uma semana quente na política local. O vice-prefeito Zé Spillere (PSD) saiu do evento de sábado logo no início. Ainda não está muito claro qual foi o “curto-circuito” que causou a retirada do vice. Nesta segunda-feira o PSD deve solicitar uma conversa com o prefeito Rogério Frigo. A relação de prefeito e vice pode ter sofrido uma ruptura. Frigo tem hoje pesquisas com mais de 70 por cento aprovação, mas precisa administrar algumas situações delicadas com o aliado PSD. O atual vice-prefeito Zé Spillere, por exemplo, não pode ser candidato a vice, pois já ganhou duas eleições nesta vaga. Para disputar no ano que vem teria que ser candidato a prefeito ou abrir mão para outro correligionário entrar na disputa.

Será chamado
O advogado Giovani Brogni, um dos nomes que deu origem ao movimento partidário do atual PSD deve ser a próxima liderança a ser procurada pelo PL do ex-prefeito Márcio Búrigo, de Criciúma, que está construindo o partido na região. Esta conversa deve acontecer nesta semana. A proposta do PL é ter candidato na majoritária na maioria dos municípios da região, em Nova Veneza inclusive.

A gravata do Ademir

 personJoão Paulo Messer
access_time11/09/2019 - 23:56

Da vermelha à verde
Depois de receber “passe livre” do MDB o vereador Ademir Honorato passou a usar gravata verde, seguindo a tendência dos bolsonaristas do PSL. O vereador já nem esconde mais a sua opção pelo partido do governador que não tem representante oficial no Legislativo. Internamente ele tem dito que só vai trocar de partido mesmo em março do ano que vem, que é quando abre a “janela”. Nem mesmo o aval da bancada de vereadores do MDB liberando-o para trocar de sigla provocam esta mudança já. Isso porque outros interessados podem entrar na Justiça para pedir a vaga.

Ameaça de greve
Houve alguma “linha cruzada” no Sindicato dos Trabalhadores da Saúde. A presidente Gabriela Campos Pukoski assinou um ofício, nesta quarta-feira (11), advertindo o Instituto Maria Schmitz, administrador do Hospital São Marcos de Nova Veneza, de que se não houver pagamento dos salários de agosto até esta quinta-feira (12), uma greve seria deflagrada a partir de sexta-feira (13). Nem o diretor do instituto, nem o prefeito Rogério Frigo, receberam o documento. Antes disso, entretanto, o diretor do sindicato Cléber Cândido confirmava que o instituto está cumprindo com o que foi acordado em assembleia dos trabalhadores, ou seja, de que o pagamento será feito em duas vezes e que a primeira parcela foi paga e a segunda ainda não venceu. O fato revela alguma “linha cruzada”.

Agenda do governador
Nesta quinta-feira deve ser divulgada a agenda da visita do governador Carlos Moisés da Silva à região de Criciúma. Ele chegará nesta sexta-feira (13) no final da tarde. O primeiro compromisso vai ser na UNESC, onde também fará o anúncio da liberação de R$ 24 milhões para a revitalização da rodovia Jorge Lacerda. Às 20h irá ao jantar da Associação dos Autistas-AMA. Em Nova Veneza a agenda será no sábado às 10h.

Deputado agredido
O deputado estadual Bruno Souza (sem partido) foi agredido por ativistas de esquerda, nesta quarta-feira. O fato foi registrado pelo fotógrafo e assessor do gabinete do parlamentar Guto Kürten, que também foi ameaçado. Bruno gravava um vídeo na praça em frente a UFSC onde acontece um acampamento na manifestação e greve dos alunos. Segundo ele, ao se negar a assinar um documento que pedia “Lula Livre” começou a ser xingado. Seguiram-se tapas, empurrões e muitas ofensas.

Antes
O deputado Jessé Lopes “encarou” a reitora e os manifestantes na UFSC na manhã desta quinta-feira. Com ele não houve nenhum incidente, diferente do que houve com o deputado Bruno Souza.

Água mais cara
Novo entendimento da Casan com a agência reguladora cria algumas mudanças na tarifa de água a partir de breve. Ainda neste ano os consumidores que consomem menos de 10 metros cúbicos não pagarão mais a taxa mínima. Isso era reinvindicação antiga. Acontece que o conjunto da mudança não é tão benéfica assim, pois enquanto alguém que consome, por exemplo, sete metros cúbicos terá diminuição de valores aquele que consome 10 metros cúbicos e que antes pagava R$ 44,00 vai subir para R$ 51,81.

Terreno baldio
O que deve mesmo fazer barulho nos ajustes que a Casan fará na tarifa de água é a cobrança pela disponibilidade de rede. Quer dizer, agora um terreno baldio, mesmo que não tenha ligação de rede, passará a pagar. Este valor é de acordo com a extensão da frente do terreno. É do tipo: “está lá, você não usa porque não quer”. Terreno baldio não pagava nada, agora passa a pagar R$ 30,41 ou mais. Em Criciúma há 22 mil terrenos baldios, segundo dados da prefeitura.

SAER
Nesta quinta-feira às 15h, a comissão que articula a instalação do serviço aeromédico adaptado ao já existente serviço aeropolicial (helicóptero com base em Criciúma), se reúne com o prefeito Clésio Salvaro para uma das últimas amarras que viabilizem o serviço. Para funcionar são necessários cerca de R$ 65 mil mês. Este valor pode ser rateado em quase 50 municípios.

BR-285
Confirmada nesta quarta-feira a data em que o Ministro de Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas irá receber os três deputados federais do Sul, para tratar especificamente da verba que falta para concluir a BR-285, que liga Timbé do Sul (SC) a São José dos Ausentes (RS). Será dia 8 de outubro às 10h.

E precisa?
Chama atenção a aprovação, pela Assembleia Legislativa, de dois projetos de lei. Foi nesta quarta-feira. O deputado Luiz Fernando Cardoso Vampiro (MDB) criou o “Dia Estadual das Torcidas Organizadas de Futebol”. Já o deputado Altair Silva (PP) concede à cidade de Itaberaba o título de “Capital Estadual do Risoto no Tacho”.

Ficha na mão
O ex-prefeito de Criciúma, Márcio Búrigo tem na mão uma série de fichas para a filiação partidária. Algumas estão assinadas. Tem nomes de peso nesta relação que ele garante não revelar quais, por questões estratégicas. Búrigo está construindo o PL, partido do senador Jorginho Mello.

O impossível
Anotem o “quase” impossível pode acontecer. Nos bastidores da capital existe um raciocínio aparentemente absurdo. Ele sugere que às eleições municipais pode haver uma coligação de Dário Berger com João Amin, os dois apoiados por Jorginho Melo que teria a reciprocidade em 2022 na campanha para governador. Anote e guarde. Hoje parece impraticável.

O cano estourado

 personJoão Paulo Messer
access_time11/09/2019 - 11:11

Casan não cobra mais o lixo
O governo de Criciúma já tem plano “B” para cobrar as quatro últimas parcelas da taxa de lixo. As oito primeiras foram cobradas pela Casan, que rejeita a possibilidade de continuar cobrando porque acabou no dia 31 de agosto o contrato com a prefeitura e companhia não tem interesse na renovação. São duas as opções da prefeitura: a primeira é argumentar juridicamente que para evitar prejuízo ao cidadão a Casan seja obrigada a cobrar as últimas quatro e a segunda é contratar uma empresa para fazer esta cobrança via boleto, que terá que ser entregue nas casas. Esta segunda alternativa vai encarecer os serviços em R$ 50 mil mês. Isso vezes os quatro meses que restam eleva a despesa para R$ 200 mil.

Do racional!!!
Convenhamos, a Casan não tinha nada o que cobrar a taxa de lixo junto com a conta de água. Afinal, esta é responsabilidade do município. Ao firmar este tipo de convênio a companhia chantageia o usuário a pagar em dia a conta de lixo, que é um item comumente relegado às últimas contas a serem pagas. Ao cobrar o valor junto com a tarifa de água esta alternativa deixa de existir. Porém, cancelar um contrato cobradas oito de 12 parcelas é causar prejuízo ao contribuinte. Em nome dele o judiciário teria uma decisão sensata se mantivesse a obrigatoriedade da Casan em cobrar a taxa do lixo. Fecha o ano e reorganiza a bagunça. Mas fecha o ano.

Mudou a conta
Desde janeiro o contribuinte pagou a taxa de lixo no valor de 1/12. Na conta de setembro, que virá no início de outubro, a Casan anuncia que não fará mais a cobrança.

Sai hoje
Uma ação judicial da prefeitura de Criciúma está pedindo decisão liminar no Tribunal de Justiça de Santa Catarina, para que a Casan seja obrigada a cobrar as últimas quatro parcelas. A manifestação é aguardada para hoje ou no máximo amanhã.

Lixo na prefeitura
A partir do dia 23 deste mês – dia em que inicia a primavera – haverá um posto de coleta seletiva de lixo. O cidadão que levar o seu lixo reciclável – haverá uma relação destes materiais – até um posto a ser instalado provisoriamente no Paço Municipal, irá receber por este lixo limpo. O lixo é pesado e o crédito descontado da próxima taxa de lixo. Com o passar do tempo a cidade terá vários pontos de arrecadação.

Doação de área
Em audiência pública que acontece nesta quarta-feira (11) às 19 será discutida a doação, por parte da prefeitura de Criciúma, do trecho da rua São Vicente de Paulo, entre as ruas Afonso Pena e Nilo Peçanha, para construção de ampliação do Asilo São Vicente de Paulo. Não deve existir resistência maior que a aprovação.

Olhar o mapa
A prefeitura de Criciúma fez ato de doação de um terreno de 500 metros quadrados à OAB. O ato ocorreu nesta terça-feira. O terreno se destina ao estacionamento da sede da entidade. O que chama atenção em tudo isso é o curioso fato de que as doações naquela área são feitas afetando diretamente o Pavilhão de Exposições da cidade, área agora terceirizada.

Em movimento
Em Içara existe um movimento que pode levar seis ou sete vereadores a aderir um novo partido. O mais curioso é que a maioria é do MDB (4), além de dois do PP e um do PSD.

Passe livre
Existem quatro vereadores com “passe livre” na Câmara de Vereadores de Criciúma. O primeiro a ser “liberado” pelo seu partido (PSDB) foi Júlio Kaminski. Depois foi Zairo Casagrande (PSD), O terceiro foi Júlio Colombo (PSB) e agora Ademir Honorato (MDB). Isso é quase um quarto da legislatura de 17.

Toninho
Não foi só o PSD que convidou o vereador Toninho da Imbralit (MDB). O PSDB do prefeito Clésio Salvaro também. Foi o próprio Toninho quem revelou isso durante uma entrevista na rádio Eldorado.

Governador virá ao Sul sábado

 personJoão Paulo Messer
access_time10/09/2019 - 20:23

Governador visita o Sul sábado
O governador Carlos Moisés da Silva vai anunciar sábado em Nova Veneza a liberação de recursos para a revitalização da rodovia Jorge Lacerda. Este é a informação que chegou aos gabinetes de deputados aliados na Assembleia Legislativa. Leia-se aí os deputados Rodrigo Minotto (PDT) e Luiz Fernando Cardoso Vampiro (MDB) e não Jessé Lopes. No Sul a agenda é interpretada como um recado de entrelinhas ao prefeito Clésio Salvaro, pois o ato será feito em Nova Veneza e não Criciúma, cidade que espera a resposta do governador para uma série de pedidos.

Pela recepção
A equipe do governo avalia que “no interior” a recepção deve ser mais calorosa, sem qualquer risco de reação que não seja o de “só alegria e agradecimentos”. Já chegou ao Palácio da Agronômica a informação de que a festa de inauguração da rodovia NVA-353, que liga as comunidades de São Bento Alto e Vila Maria – ato principal da agenda – terá almoço festivo. “Quatro bois vão morrer para o churrasco”.

Tem jantar
O governador Carlos Moisés da Silva vai se encontrar com a base aliada nesta quarta-feira para um jantar no Palácio da Agronômica. Durante o encontro vai apresentar um relatório do que foi feito até então e quais são os atos já definidos para os próximos meses. Curiosidade sobre a presença ou não do deputado Jessé Lopes.

Sem Casan
A agenda do governador em Nova Veneza só não foi divulgada, ainda, porque havia expectativa de que pudesse ser assinado o contrato da Casan. Etapas burocráticas precisam ser superadas. Por isso este item deve ficar fora da agenda.

Casan e municípios
A rigor, o contrato da Casan com Nova Veneza é o único que resta dos municípios abastecidos pela barragem do rio São Bento. Forquilhinha assinou no ano passado, Siderópolis no mês passado, Maracajá definiu ontem à noite as cláusulas enquanto Criciúma tem contrato até 2042 e Içara até 2048.

Tarifa alta
Essa discussão toda em torno do contrato de Criciúma e a Casan não se dá por falta ou eminência de vencimento do contrato, mas porque o prefeito Clésio Salvaro decidiu reabrir o debate e cobrar uma revisão da tarifa. Ele quer algumas compensações, entre elas tarifa menor. Isso pode ser possível com a substituição da agência reguladora, fato já superado. Agora depende dos cálculos desta agência.

Pagando pelo lixo
Saiu das mãos de Luiz Juventino Selva, um dos homens estratégicos do prefeito Clésio Salvaro, o projeto que vai pagar pelo lixo em Criciúma. Isso mesmo: o governo vai pagar pelo lixo reciclado. No dia 23 deste mês inaugura o primeiro posto de coleta que funcionará como experiência na área do Paço Municipal.

Como funciona
Haverá uma relação de materiais e o cidadão que entregar neste ponto o lixo limpo vai pesar, indicar a a matrícula de um imóvel e nela será creditado o valor. Somados, estes valores irão gerar um crédito a ser concedido no ano seguinte, quando o cidadão for pagar a taxa de lixo.

Sem cobrador
A Casan já confirmou que “não vai cobrar mais a taxa de lixo” nas contas de água de Criciúma, como foi feito nos oito primeiros meses do ano. Ocorre que o município não tem alternativa para cobrar estes valores. A procuradoria do município está tentando na Justiça uma decisão que obrigue a Casan a fazer a cobrança até o final do ano. A guerra de estratégias está sem novidade, pelo menos até hoje. Ninguém sabe com o contribuinte vai pagar um terço da taxa de lixo, já que dois terços ele pagou na conta de água.

Sai da cadeia
Enquanto nos bastidores especula-se a possibilidade de surgir uma nova ação policial derivada da Operação Alcatraz, cinco das sete pessoas que seguiam presas ganharam liberdade nesta terça-feira. São eles: Luiz Hesmanm, Flávia Werlich, Luiz Carlos Maroso, Danilo Pereira e Fabrício Margarido. Para saírem cada um terá que pagar fiança alta, podendo chegar a 300 salários mínimos em alguns casos.

Seguem presos
Dos presos no dia 30 de maio seguem presos Nelson Castelo Branco Júnior e Maurício Rosa Barbosa.

Olhar o mapa
A prefeitura de Criciúma fez ato de doação de um terreno de 500 metros quadrados à OAB. O ato ocorreu nesta terça-feira. O terreno se destina ao estacionamento da sede da entidade. O que chama atenção em tudo isso é o curioso fato de que as doações naquela área são feitas afetando diretamente o Pavilhão de Exposições da cidade, área agora terceirizada.