Notícias em destaque

CRICIÚMA ESPORTE CLUBE E SEUS PRESIDENTES

commentJornalismo access_time24/11/2021 15:33

Texto e Pesquisa de Willi Backes.

Turvo larga na frente nas finais do Campeonato Regional da LARM “Taça Carvão Mineral”

commentEsporte access_time30/11/2021 08:30

O segundo jogo entre as equipes será disputado no próximo domingo, dia 5 de dezembro, no Estádio Darci Marini

Prorrogação de contrato de três atletas

commentCriciúma EC access_time30/11/2021 08:30

zagueiro Zé Marcos e os volantes Arilson e Renan Areias prorrogaram com o Tigre para a temporada 2022

Don't you - uma das canções considerada por muitos como uma das que ajudaram a definir o cenário pop dos Anos 80.

access_time03/09/2021 - 16:04

O clássico de hoje, é umas das canções considerada por muitos como uma das que ajudaram a definir o cenário pop dos Anos 80.

“Don't you” (Forget about me) é a canção gravada em 1985, pela banda escocesa Simple Minds, feita especialmente sob encomenda para trilha sonora do filme “O clube das cinco".

A música foi gravada sob pressão por parte da gravadora. A principio, o compositor Keith Forsey ofereceu a canção a Billy Idol e Bryan Ferry, ambos recusaram a gravar.

Depois de muita insistência por parte da gravadora A&M Records, o Simple Minds foi ao estúdio colocou uns lá lá lá e em menos três horas entregou a sua gravadora o que seria seu maior sucesso até hoje.

Vamos ouvir “Don’t you”, este clássico pop dos anos 80 na versão remixada com o projeto White Spaces e o vocalista do Simple Minds, Jim Kerr gravado, em 2014. CONFIRA:


A whiter shade of pale - O clássico do Procol Harum que com certeza você já deve ter ouvido a introdução enigmática em alguma época de sua vida.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time22/09/2021 - 12:16

Hoje, vou mostrar uma canção que com certeza você já deve ter ouvido esta introdução enigmática em alguma época de sua vida.

Em 1967 a banda britânica Procol Harum fez sua estreia com um single que vendeu mais de 10 milhões de cópias.

Enquanto o mundo se deleitava com o álbum "Sargents Pepper’s", dos Beatles, a música que estava em primeiro lugar nas paradas era: "A whiter shade of pale".

"A whiter shade of pale" é uma mistura de rock progressivo com música barroca, e ainda fornece royalties aos autores originais da canção. Estima-se que mais de 900 gravações por outros artistas já foram revisitadas com este clássico.

A letra faz referência a Shakespeare e contem elementos sobrenaturais e mitológicos.

Vamos ouvir esta gostosa melodia romântica e sombriamente mágica ao vivo Gary Brooker, o autor da canção, acompanhado da Danish National Concert Orchestra, em 2006, na Dinamarca.

Apenas ouça e ingresse nessa magia de a "Whiter shade of pale". CONFIRA:

Fico assim sem você - A famosa versão desta linda canção com a gaúcha Adriana Calcanhoto.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time21/09/2021 - 09:39

Nem sempre o sucesso de uma canção vem de uma história com um final feliz.

A música "Fico assim sem você" da dupla Claudinho & Buchecha é uma destas canções que está associada uma história trágica.

Na letra, "amor sem beijinho, Buchecha sem Claudinho, sou eu assim sem você", frisa que a vida não fazia sentido um sem o outro.

A letra foi escrita por um amigo dos músicos e celebrava a amizade da dupla.

Durante a turnê de lançamento do sexto disco da dupla, em julho de 2002, horas antes de viajar, Claudinho ligou para Buchecha e avisou que iria em seu próprio carro, não com a van da banda, como de costume. Claudinho acabou sendo vítima de um acidente e morreu na hora.

Após a morte do parceiro, Buchecha chegou a ficar com depressão por três anos. Então a música “Fico assim sem você” ganhou sucesso pelo verso profético “amor sem beijinho, Buchecha sem Claudinho”.

Vamos ouvir a famosa versão desta linda canção com a gaúcha Adriana Calcanhoto, que regravou a música em 2004, no álbum “Partimpim.

No clássico de hoje. Adriana Calcanhoto e a deliciosa: “Fico assim sem você”. CONFIRA:

Unchained melody - O clássico que ficou na memoria de muitos ouvintes como tema do filme “Ghost – o outro lado da vida”.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time20/09/2021 - 12:36

Muitas músicas que já são eternas ficam ainda mais marcadas em nossas vidas quando toca no rádio, em uma novela ou em um filme.

Isto aconteceu com a canção “Unchained melody” que ficou na memoria de muitos ouvintes como tema principal do filme “Ghost – o outro lado da vida”, lançado em 1990, protagonizado por Patrick Swayze, Demi Moore e Whoopi Goldberg, sendo vencedor de dois prêmios Oscar.

“Unchained melody” é uma das canções mais gravadas do Seculo XX, com cerca de 500 versões em diversos idiomas.

A música foi lançada originalmente em 1955, e fez enorme sucesso com o duo americano The Righteous Brothers.

Vamos ouvir a magnífica interpretação de “Unchained melody” com o jovem holandês Mark Hoogkamer, de apenas 22 anos de idade.

Mark Hoogkamer ganhou fama mundial, em 2016, em sua participação no programa de televisão Holland’s Got Talent, e assinando contrato com a Sony Music. CONFIRA:

The house of the rising sun - A mais famosa e conhecida versão deste clássico gravado pela banda inglesa The Animals.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time17/09/2021 - 12:25

O clássico de hoje, é um daqueles atemporais que tem muitas histórias para contar. “The house of the rising sun” gravado em 1961, no álbum de estreia do americano Bob Dylan.

Este clássico já foi regravado também por centenas de artistas como: Joan Baez, Beatles, Nina Simone, Jimmy Hendrix, Metallica, Demis Roussos, Santa Esmeralda e Scorpions.

Musicologistas afirmam que esta música já era cantada antes da Guerra Civil em 1928, e como outros vários clássicos do folk, a autoria é incerta, ninguém sabe ao certo o quem a escreveu.

A música narra o ponto de vista de um homem que vivia, em New Orleans e tinha uma vida ruim e um pai que vivia apostando no jogo e bebia demais

Vamos ouvir a mais famosa e conhecida versão de “The house of the rising sun” (a casa do sol nascente) gravada em 1964, pela banda inglesa The Animals, que alcançou o topo das paradas inglesas e norte-americanas. CONFIRA:

Who’ll stop the rain - O clássico do Creedence que a letra é uma experiência de ter tocado no Festival de Woodstock.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time16/09/2021 - 12:19

Hoje, vamos falar de uma das bandas mais reverenciadas da história da música que teve uma carreira meteórica em apenas cinco anos de existência.

Estou falando do Creedence Clearwater Revival que teve início em 1967 e acabou em 1972.

Nos cinco anos de carreira, eles conquistaram nove Discos de Ouro e sete Discos de Platina, rendendo mais de 30 milhões de discos vendidos apenas nos EUA.

Em 1970, eles lançaram o disco "Cosmo’s factory" que além vários sucessos ficou marcado pela canção "Who’ll stop the rain".

Muitos criticos veem "Who'll stop the rain" como um protesto contra a Guerra do Vietnã. John fogerty, o autor da canção disse em um show que escreveu a letra pela sua experiência de ter tocado no Festival de Woodstock, um ano antes, em 1969.

O nome veio da inspiração de seu filho de 4 anos que ouviu ele cantar antes de gravar em dia chuvoso, o filho disse, olhando para janela: papai, pare a chuva.

"Who’ll stop the rain" já teve inúmeras releituras e foi trilha sonora de vários filme, entre eles está: "Forrest gump" com Tom Hanks.

Bem, vamos ouvir "Who’ll stop the rain" com criador da canção, John Fogerty, ex-vocalista do Creedence que gravou o clássico ao vivo em sua carreira solo, em 1998, num toque mais acústico folk rock. CONFIRA:

Wuthering heights - O clássico de Kate Bush baseado no livro “O morro dos ventos uivantes”.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time15/09/2021 - 12:08

Vamos ouvir no Clássico de hoje, a canção “Wuthering heights”, lançada em 1978, pela inglesa Kate Bush.

“Wuthering heights”, foi escrita por Kate Bush quando ela apenas tinha 18 anos de idade, baseado no livro “O morro dos ventos uivantes” de Emily Bronte, que acabou virando um filme com o mesmo título.

Em 1970, depois de assistir a história do livro vendo o filme na televisão, na mesma noite Kate Bush compôs a canção, que foi lançada oito anos mais tarde levando a música a ser uma das mais tocadas nas rádios, e rapidamente chegou ao topo das paradas em todo mundo.

Vamos ouvir este clássico na versão da banda brasileira de progressive metal Angra, lançado no álbum de estreia em 1993, que chegou ao primeiro lugar no Japão e em vários países da Europa.

O forte vocal ficou por conta de cantor e maestro André Mattos, eleito entre os cem melhores cantores brasileiro de todos os tempos pela revista Rolling Stone. CONFIRA:

It's a heartache - O clássico de Bonie Tyler na voz rouca do cantor britânico Rod Stewart.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time14/09/2021 - 12:00

Uma balada country rock que foi gravada, em 1977 separadamente pelas cantoras Bonnie Tyler e Juice Newton é sucesso mundial até os dias de hoje.

A versão que se estabeleceu em primeiro lugar em toda Europa e Estados Unidos naquele ano na voz da galesa Bonnie Tyler foi: "It's a heartache".

"It's a heartache" foi e ainda é o maior sucesso no Brasil. Bonnie Tyler teve uma turnê marcada em terras brasileiras, em 2020. No mês de maio, tinha show marcado na nossa cidade vizinha, em Tubarão. Toda agenda da cantora foi remarcada para 2021, em virtude da pandemia de Covid 19.

Vamos ouvir "It's a heartache" na voz rouca do cantor britânico Rod Stewart, que gravou uma versão, em 2010, em seu álbum: "Still the same", somente com covers de grandes clássicos do rock. CONFIRA:

He ain't heavy he's my brother - O clássico do The Holies que foi inspirada em uma história real.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time13/09/2021 - 11:54

No clássico de hoje, vamos contar a história de uma linda balada gravada com muito sucesso em 1969, pela banda britânica The Holies.

A canção é a eternizada “He ain't heavy he's my brother” que contou com Elton John ao piano. A letra da música foi inspirada em uma história real, e conta que certa noite, em uma forte nevasca, um padre ouviu alguém bater em sua porta.

Ao abrí-la deparou-se com um menino coberto de neve, a fome estampada no rosto, com poucas roupas, trazendo em suas costas, um outro menino mais novo. O sacerdote mandou-os entrar e falou: - ele deve ser muito pesado. - o menino que carregava o outro disse: - “ele não é pesado, ele é meu irmão”.

“He ain't heavy he's my brother” já foi recriada por: Neil Diamond, Paul Mccartney, Barry Manilow, Cher, Olivia Newton John, Robbie Willians, Johnny Mathis e vários outros artistas.

Vamos ouvir a espetacular versão “He ain't heavy he's my brother” com o vozeirão do americano Bill Medlley gravada especialmente para trilha sonora do filme Rambo III, em 1988. CONFIRA:

Like a rolling stone - Um cover deste clássico idêntica a versão original com os Roling Stones.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time10/09/2021 - 10:22

Hoje, a rádio Eldorado mostra a canção que ocupa a posição de Número Um na lista das 500 melhores músicas de todos os tempos eleita pela Revista Rolling Stone.

A música é atemporal e foi lançada em 1965, pelo americano Bob Dylan. “Like a rolling stone” é a canção que continua sendo cultuada como uma das mais importantes da cultura pop, mesmo depois de 55 anos.

"Like a rolling stone" transformou a carreira de Bob Dylan, sendo considerada até hoje como uma das composições mais influentes do pós-guerra na música popular.

Em um leilão em 2014, as letras manuscritas da música foram vendidas por 2 milhões de dólares, um recorde mundial para um manuscrito de uma música.

Vamos ouvir um cover de “Like a roling stone” idêntica a versão original com os ingleses do Roling Stones, gravado e lançado em 1995, durante a turnê do álbum “Voodoo Lounge”, tendo como destaque esta canção de Bob Dylan. CONFIRA:

Hotel Califórnia - O clássico que ocupa a posição de número 49 entre as 500 melhores canções de todos os tempos.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time09/09/2021 - 10:16

O clássico de hoje é uma canção que ocupa a posição de número 49 entre as 500 melhores canções de todos os tempos.

Estou falando de “Hotel Califórnia” lançada em 1976, pela banda americana Eagles, que já vendeu cerca de 150 milhões de álbuns em todo mundo.

Em apenas uma semana a canção chegou ao número 1 no hot 100 da Billboard, permanecendo por 9 semanas consecutivas.

O solo de guitarra de “Hotel Califórnia” ocupa o oitavo lugar como melhor todos os tempos.

A letra da música faz uma metáfora sobre o lado sombrio do chamado sonho americano.

“Hotel Califórnia” já passou aqui pelos clássicos da eldorado na versão do The Killers.

Vamos ouvir a clássica versão acústica com o próprio Eagles gravado em 1994, para o álbum “Live On MTV”.

Ouça “Hotel Califórnia” nesta versão que também ficou eternizada pelo belo arranjo que nos encanta e nos faz acreditar que a musica é uma forma de arte seguido de um espetáculo. CONFIRA:

Resposta - O clássico que Nando Reis teve como inspiração do recente término do relacionamento entre ele e Marisa Monte.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time08/09/2021 - 16:23

O ano era 1998, a banda mineira Skank elaborava a finalização do repertório de seu novo CD, que teria o título de “Siderado”.

Era o quarto álbum da banda e seria gravado nos lendários estúdios Abbey Road, em Londres, onde os Beatles gravaram vários clássicos.

Samuel Rosa o vocalista do Skank e os demais integrantes da banda convidaram Nando Reis para contribuir no repertório do álbum.

O disco estava praticamente pronto, mas não havia um grande single para o lançamento. O resultado foi a composição da música: “Resposta”

Nando Reis teve como inspiração para escrever a letra do recente término do relacionamento entre ele e Marisa Monte.

Nando foi quem levou o namoro ao fim, arrependido pediu perdão e esperou uma resposta de Marisa, que segundo ele, nunca veio.

A canção é até hoje um grande sucesso na carreira do Skank e também de Nando Reis, ambos tocam “Resposta” em todos os shows.

Vamos ouvir este clássico: “Resposta” com seus criadores, Nando Reis e Samuel Rosa gravado ao vivo em 2007, para o CD e DVD “Luau MTV Nando Reis”, em Ubatuba, litoral norte de São Paulo. CONFIRA:

The great pretender - Vamos ouvir este clássico dos ano 50 com a exuberante voz de Freddie Mercury.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time07/09/2021 - 16:17

Vamos para mais um clássico inesquecível dos anos 50. Uma canção do grupo vocal americano The Platters, lançada em novembro de 1955, alcançou a posição número um nas paradas pop e R&B.

A música que inspirou a rede britânica BBC fazer um documentário, em 2012, sobre a vida de Freddie Mercury foi: "The great pretender".

Em 2004, "The great pretender" foi listada dentre as 500 melhores canções de todos os tempos.

Em 2013 o filme com mesmo nome foi premiado com o "Rose d'or" como melhor documentário artístico.

"Rose d'or" – "O rosa de ouro" (em francês) é um prêmio suíço entregue anualmente para consagrar os melhores programas da televisão de todo o mundo.

Vamos ouvir este clássico com a exuberante voz de Freddie Mercury, considerado com um dos melhores crooners de todos os tempos.

O cantor regravou a canção e lançou-a como single, em 1987. CONFIRA:

Have you ever seen the rain - Uma bela releitura deste clássico feita em 2006 pelo cantor britânico Rod Stewart.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time06/09/2021 - 16:11

A canção de hoje é tão inesquecível que já teve mais de 50 regravações covers em diversos estilos diferentes com artistas como: Bonnie Tyler, Johnny Cash, Joan Jett, REM, Ramones, Emmersom Nogueira, Spin Doctors, e olhá só, até Reginaldo Rossi gravou esse clássico.

A versão original é “Have you ever seen the rain” gravado em 1971, pela banda americana Creedence Clearwater Revival que já foi revisitado aqui na Eldorado na estreia do programa Clássicos com a cantora de jazz da Argentina: Karen Souza.

O autor da canção John Fogerty afirmou que a música foi escrita sobre o fato da banda estar no topo das paradas e ter superado todas as expectativas mais loucas de fama e fortuna.

Vamos ouvir uma bela releitura feita em 2006, pelo cantor britânico Rod Stewart gravado no álbum “Great rock classic” somente com covers de clássicos do rock. CONFIRA:

Don't you - uma das canções considerada por muitos como uma das que ajudaram a definir o cenário pop dos Anos 80.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time03/09/2021 - 16:04

O clássico de hoje, é umas das canções considerada por muitos como uma das que ajudaram a definir o cenário pop dos Anos 80.

“Don't you” (Forget about me) é a canção gravada em 1985, pela banda escocesa Simple Minds, feita especialmente sob encomenda para trilha sonora do filme “O clube das cinco".

A música foi gravada sob pressão por parte da gravadora. A principio, o compositor Keith Forsey ofereceu a canção a Billy Idol e Bryan Ferry, ambos recusaram a gravar.

Depois de muita insistência por parte da gravadora A&M Records, o Simple Minds foi ao estúdio colocou uns lá lá lá e em menos três horas entregou a sua gravadora o que seria seu maior sucesso até hoje.

Vamos ouvir “Don’t you”, este clássico pop dos anos 80 na versão remixada com o projeto White Spaces e o vocalista do Simple Minds, Jim Kerr gravado, em 2014. CONFIRA:

El condor pasa - O clássico que tem uma das melodias mais lindas da história e está completando 108 anos.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time02/09/2021 - 15:57

O clássico de hoje tem uma das melodias mais lindas da história da música e está completando 108 anos.

Em 1913, o compositor peruano Daniel Alomía compôs a canção que é considerada a música peruana mais conhecida no mundo, feita especialmente para uma peça teatral e musical.

O clássico peruano que foi transportado para uma versão em inglês, em 1970 pela dupla americana Simon & Garfunkel chama-se: "El condor pasa".

Paul Simon ouviu "El condor pasa" pela primeira vez em 1965 em um teatro em Paris com a banda peruana Los Incas. Ele pediu permissão ao autor para regravar a canção em inglês.

Estima-se que ao redor do mundo, mais de 4000 versões da melodia foram produzidas. O governo do Peru declarou essa canção como patrimônio cultural nacional e agora é considerada o segundo hino nacional do país.

Vamos ouvir esta obra peruana na versão instrumental do guitarrista inglês Geoff Reeves Sinta a linda melodia solada com a simples execução de Geoff Reeves com uma guitarra fender em "El condor pasa". CONFIRA: