Notícias em destaque

Melhora o quadro da Covid-19 em Santa Catarina

commentJornalismo access_time26/09/2021 20:45

Pela primeira vez o mapa de Santa Catarina fica sem uma única região em "vermelho"

Caravaggio luta bastante, mas perde na estreia da Série C

commentEsporte access_time25/09/2021 17:00

Próximo compromisso será contra o Jaraguá no Balsinão

Tigre perde, mas entra no grupo de Paysandu, Botafogo-PB e Ituano

commentCriciúma EC access_time25/09/2021 19:00

O Time Carvoeiro não conseguiu pontuar diante do Figueirense na capital

Blog Clássicos, com Everaldo Belada

Era um garoto que como eu amava Os Beatles e os Rolling Stones - O clássico italiano que conseguiu atravessar gerações.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time21/07/2021 - 09:02

O clássico de hoje, conseguiu atravessar gerações. Originalmente composta nos anos 60, a música continua atual, reverenciando dois dos maiores nomes do rock mundial: Os Beatles e os Rolling Stones.

A versão original é de 1966, uma canção italiana cantada por Gianni Morandi, regravada em português um anos depois pela banda Os Incríveis chamada: “Era um garoto que como eu amava Os Beatles e os Rolling Stones”.

A canção conta a história de um jovem guitarrista que foi convocado para a Guerra do Vietnã e perdeu sua juventude, seu futuro como músico e sua vida na guerra.

Vamos ouvir a versão de 1990, recriada pela banda gaúcha Engenheiros do Hawaii que novamente estourou nas rádios do Brasil inteiro.

Vamos recordar o clássico “C'era un ragazzo che come me amava i Beatles i Rolling Stones” na visão pop dos Engenheiros do Hawaii. CONFIRA:

Goodbye yellow brick road - O clássico do Elton John que foi composta inspirada no filme "O Mágico de Oz".

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time20/07/2021 - 08:54

Um dos artistas mais bem sucedidos da história, que em sua carreira de cinco décadas já vendeu 300 milhões de discos, o londrino Elton John, lançou em 1973, seu sétimo disco, que está na lista dos 200 álbuns definitivos no Rock and Roll da Fama.

O clássico de Elton John que assina este lendário álbum duplo com uma das mais lindas melodias já feitas na história da música chama-se: "Goodbye yellow brick road".

"Goodbye yellow brick road" (Adeus estrada de tijolos amarelos) foi composta inspirada no filme (O Mágico de Oz), de 1939. No filme, Dorothy, interpretada pela atriz Judy Garland, é levada por um tornado do Kansas ao mundo mágico, seguindo a estrada de tijolos amarelos.

"Goodbye yellow brick road" é uma espécie de dossiê na carreira do cantor e pianista Elton John.

Vamos ouvir este lindo clássico com outro grande pianista, o americano Billy Joel, gravado ao vivo, em 1994, na turnê on "The river of dreams".

Billy Joel desliza por finos acordes habilmente interpretados por todos os instrumentos da banda, orquestra e backing vocals nessa jornada musical de "Goodbye yellow brick road". CONFIRA:

Reflections of my life - Desfrute de lembranças adormecidas em sua mente com este clássico do The Marmelade.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time19/07/2021 - 09:59

Olá amigos e ouvintes, o que nós da Eldorado queremos é criar emoções com canções que marcaram e trazem excelentes lembranças e bem estar à você amigo ouvinte.

Prepare-se para desfrutar de lembranças adormecidas em sua mente com clássico “Reflections of my life”. A pura verdade é que a música tem o poder de mexer com o nosso inconsciente e trazer de volta momentos nostálgicos.

“Reflections of my life”, foi gravada no final de 1969, pelo grupo escocês “The Marmelade”. A música está entre as 20 canções que mais foram usadas em trilhas sonoras de filmes e alcançou as paradas mundiais, principalmente no Brasil.

Vamos relembrar está obra do The Marmelade ao vivo, em 2009 com o vocal do próprio autor do clássico Dean Ford comemorando 40 anos do lançamento original de “Reflections of my life”. CONFIRA:

Halo - Uma das músicas mais impactantes da carreira de Beyoncé.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time16/07/2021 - 10:59

No mundo da música pop, é difícil achar alguém que nunca tenha ouvido falar de Beyoncé.

A cantora americana já ganhou 28 Grammys, vendeu mais de 100 milhões de álbuns e está no número 50 no ranking das mulheres mais poderosas do mundo.

Não é exagero dizer que Beyoncé é a artista mais importante da música pop no Século XXI. Em 2008, Beyoncé lançou como single de seu terceiro álbum, uma canção que foi escrita por Ryan Tedder, vocalista da banda Onerepublic chamada: “Halo”.

“Halo” é harmonizada sob elementos de R&B, gospel, soul e pop, e é uma das músicas mais impactantes da carreira de Beyoncé, tanto pelos belos vocais como pela letra: traduzido literalmente “Halo” para o português como auréola, aquela de um anjo.

Beyoncé possui sete singles que alcançaram o primeiro lugar na Billboard hot 100 e “Halo” é uma delas e fez enorme sucesso não só lá fora como também aqui no Brasil, sendo música tema da novela "Caminho das Índias".

Vamos ouvir “Halo” em uma versão remixada com o DJ e produtor norte americano Dave Audé, especialista em recriar grandes hits internacionais em batidas da House Music para não deixar ninguém parado. CONFIRA:

Breakfast in América - Em 1979 o Supertramp lançou o álbum homônimo que faturou dois prêmios Grammy.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time15/07/2021 - 10:50

Uma das bandas inglesas mais apaixonadas pelo público brasileiro é o Supertramp. O grupo começou com uma base vindo do rock progressivo e com raízes fincadas no blues e no jazz.

Em 1979 o Supertramp lançou o álbum homônimo “Breakfast in América” que emplacou vários sucessos e faturou dois prêmios Grammy: melhor álbum e melhor gravação do ano.

A canção foi escrita por Roger Hodgson e Rick Davis, e pode-se dizer que “Breakfast in América” foi o ápice de sonoridade que deixou a banda famosa mundialmente.

A canção é espirituosa, num tom intelectualmente leve, tendo na letra o bom humor, apoiado por saxofone e piano, uma das marcas registradas do Supertramp.

“Breakfast in América” é o álbum de maior vendagem da banda, na década de 1990, já tinha chego a mais de 18 milhões de cópias em todo o mundo.

Vamos ouvir a versão ao vivo de “Breakfast in América” com o Supertramp extraída do aclamado álbum duplo “Paris”, gravado no Pavillon de Paris, na França, em 1980. CONFIRA:

Oh, pretty woman - A canção de Roy Orbson que inspirou o filme "Uma linda mulher", em 1990.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time14/07/2021 - 10:41

O americano Roy Orbson, um dos cantores e compositores pioneiros do gênero Rock and Roll escreveu e gravou uma música, em 1964 que foi um grande sucesso mundial.

A canção que inspirou o filme "Uma linda mulher", em 1990, estrelado por Richard Gere e Julia Roberts, sendo o tema principal da trilha sonora foi: "Oh, pretty woman".

"Oh, pretty woman" tem várias interpretações covers e já foi premiada no Grammy e no Hall da Fama. Em 2009, o cantor Sílvio Brito compôs e lançou a primeira versão brasileira de "Oh, pretty woman".

A música também esteve presente na trilha sonora da novela "Uma rosa com amor" em 2010, sendo o tema de abertura.

Vamos ouvir este clássico do Rock and Roll ao vivo com Bruce Springsteen e John Fogerty (ex-vocalista do Creedence cCearwater Revival).

Os astros executaram "Oh, pretty woman", em 29 de outubro de 2010, no Madison Square Garden, em Nova York. CONFIRA:

We will rock you - Dia em que comemora-se o “Dia Mundial do Rock” também comemora-se o aniversário de um ano do programa Clássicos.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time13/07/2021 - 10:34

Excepcionalmente, hoje, 13 de julho, dia em que comemora-se o “Dia Mundial do Rock” também estou comemorando o aniversário de um ano do programa Clássicos com Everaldo Belada, aqui nas ondas da Rádio Eldorado.

Foram 240 canções inesquecíveis ao longo destes 12 meses que com certeza fazem a trilha sonora de muitos ouvintes.

O programa abriu sua pasta de Clássicos em 13 de julho de 2020, com a imortal “Have you ever seen the rain” do Creedence Clearwater Revival.

Hoje, para celebrar esta data em conjunto vamos ouvir um dos maiores sucessos do Queen: "We will rock you". O clássico foi escrito pelo guitarrista Brian May que arrepia nos últimos 30 segundos com um belo solo de guitarra.

A música é geralmente definida como a cappella usando apenas batidas de pé e palmas como uma batida de percussão corporal.

A canção se tornou um hino nos estádios em eventos esportivos em todo o mundo, devido principalmente ao seu ritmo simples de marcação como um grito de guerra das torcidas.

No clássicos de hoje, a eletrizante, a original versão de “We will rock you” com a banda britânica Queen. CONFIRA:

Debaixo dos caracóis dos seus cabelos - O clássico que Roberto Carlos compôs para o amigo que estava exilado em Londres.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time12/07/2021 - 10:11

Realmente a música nos inspira e nos faz viajar no tempo. Vamos falar de uma composição de Roberto Carlos que traz uma bela história.

Em solidariedade a Caetano Veloso, Roberto queria compor uma música para o grande amigo, que em 1970, no ápice da Ditadura Militar estava exilado em Londres.

O problema era … Como compor uma canção sem ser censurado e até perseguido pelos militares?

Roberto, então retratou a música através de uma característica marcante de Caetano, na época: os cabelos cacheados.

E assim nasceu o clássico “Debaixo dos caracóis dos seus cabelos”. A Canção é uma das mais lindas músicas de Roberto Carlos, que muitos pensam ele fala de amor entre um homem e uma mulher.

Anos mais tarde, em 1992, o próprio Caetano Veloso gravou a música no disco “Circuladô vivo”.

Vamos ouvir a versão de “Debaixo dos caracóis de seu cabelos” na voz melódica e macia de Fernanda Takay, ex-vocalista da banda mineira Pato Fu que gravou a canção de Roberto em seu primeiro álbum solo, em 2009. CONFIRA:

Garota de Ipanema - Em 09 de julho, de 1980, o Brasil se despedia em vida de um de seus maiores artistas: Vinícius de Moraes.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time09/07/2021 - 10:09

Em 09 de julho, de 1980, o Brasil se despedia em vida de um de seus maiores artistas. Vinícius de Moraes.

Além de ser um dos fundadores da Bossa Nova nos anos 50, o poeta Vinícius de Moraes foi um dos maiores compositores da Música Popular Brasileira ao lado de seu grande parceiro Tom Jobim.

Em 1962, Tom Jobim e Vinícius de Moraes compuseram uma canção que está entre as músicas mais regravadas do Planeta.

A música que foi inspirada em Heloísa Menezes Paes Pinto (conhecida como Helô Pinheiro), uma garota de dezessete anos que circulava diariamente em Ipanema, praia frequentada por Tom e Vinícius foi: "Garota de Ipanema".

Além de vários brasileiros, "Garota de Ipanema" já foi interpretada por afamados cantores, internacionais a exemplo de Frank Sinatra, Amy Winehouse, Cher, Plácido Domingo, Madonna, Ella Fitzgerald, Nat King Cole e Diana Krall.

Nos Estados Unidos, o single chegou a alcançar o quinto lugar na Billboard. "Garota de Ipanema" compete com "Yesterday" de Paul Mccartney, no ranking de canções mais interpretadas do Século XX.

A canção ganhou um Grammy no ano em 1965, superando o clássico "I want to hold your hand", dos Beatles.

Vamos ouvir esta pérola da nossa música com o trio carioca Melin, formado em 2017 pelos irmãos Rodrigo, Gabriela e Diogo Melin. CONFIRA:

Help - O clássico escrito por John Lennon, que declarou que estava mesmo gritando por socorro.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time08/07/2021 - 10:07

O recordista do programa Clássicos, The Beatles finalizaram as gravações no dia 13 de abril de 1965, nos Estúdios Abbey Road, da canção “Help” que foi o mesmo nome de seu quinto álbum, lançado simultâneo com o filme “Help”, em agosto do mesmo ano.

A gravação foi concentrada na faixa rítmica, apenas instrumental - as primeiras vozes só começaram a ser introduzidas no take 9 - somente no take 12, que foi introduzida a famosa frase de guitarra de George Harrison.

"Help!" Foi composta por John Lennon - John costumava colocar suas revoltas nas canções e foi escrita a partir de uma de suas profundas depressões.

John havia se tornado milionário e se sentia encurralado pela fama, estava comendo e bebendo excessivamente, desanimado com o rumo que a banda tomava e mantinha um casamento frio e falso com sua esposa Cynthia. Ele declarou anos depois que estava mesmo gritando por socorro.

Depois que os Beatles se separaram, John sempre citou “Help!” Como uma de suas canções favoritas. Seu único arrependimento era que, por motivos comerciais, a banda tenha transformado uma canção à moda Bob Dylan em uma canção alegre dos Beatles.

Hoje, vamos mudar o protocolo dos Clássicos e ouvir a gravação original de “Help” finalizada no dia 13 de abril de 1965, no Abey Road, em Londres. Ouça “Help” a música que desperta desespero, súplica e lamento, mas, com a alegria contagiante dos Beatles. CONFIRA:

Exagerado - O maior sucesso de Cazuza que nos deixou em 07 de julho de 1990.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time07/07/2021 - 10:00

Hoje, vamos relembrar o maior sucesso do artista: Agenor de Miranda Araújo Neto, que nos deixou há exatamente 31 anos, em 07 de julho de 1990.

Uma música conhecidíssima, que quando toca espalha amor e alvoroço é sem dúvida a canção escrita e cantada pela voz do rebelde Cazuza chamada: "Exagerado".

"Exagerado" foi composta em parceria com Leoni ex-Kid Abelha e se tornou um símbolo na história de Cazuza. Na verdade era um poema, que foi transformado em uma canção.

"Exagerado" foi o primeiro álbum solo lançado por Cazuza após sua saída do Barão Vermelho, em 1985.

A música, literalmente estourou na década de 80, uma época onde as pessoas buscavam a liberdade, expressando as suas vontades, a canção trouxe voz aqueles que estavam em silêncio.

Vamos ouvir este clássico do rock nacional com o RPM, lançado em CD e DVD, em 2002, no álbum MTV ao vivo. A canção tem a participação especial do ex-Barão Vermelho frejat na guitarra.

Vamos ouvir esta bela versão folk rock de "Exagerado" na voz de Paulo Ricardo. CONFIRA:

Chão de giz - Você é daquelas pessoas que prestam bem atenção nas letras do visionário Zé Ramalho?

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time06/07/2021 - 10:00

Você é daquelas pessoas que prestam bem atenção nas letras do visionário Zé Ramalho?

Através de sua obra o paraibano passa mensagens com tons místicos e proféticos com base no seu cotidiano.

Para a revista Rolling Stone, Zé Ramalho está ocupando o número 40 entre os 100 maiores artistas da música popular brasileira.

Em 1978, Zé Ramalho lançou seu disco de estreia, que além de vários sucessos teve uma canção com elementos freudianos chamada: "Chão de giz.

Zé Ramalho confirmou a história que "Chão de giz retrata um relacionamento secreto que ele manteve por muitos anos com uma dama da alta sociedade, na Paraíba.

Vamos ouvir este clássico da MPB com o próprio Zé Ramalho e sua prima Elba Ramalho, gravado ao vivo em 1996, para o álbum “O grande encontro” que recebeu o certificado de Disco de Platina.

Ouça e preste bem atenção na letra e entre de cabeça na visão de Zé Ramalho em “Chão de giz”. CONFIRA:

Crying in the rain - O clássico do A-ha que foi composta em 1961.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time05/07/2021 - 12:08

O clássico "Crying in the rain" interpretada pela banda norueguesa A-ha, muitas pessoas não sabem, é que é uma canção composta em 1961, eu ainda nem era nascido.

Numa parceria entre Howard Greenfield e Carole King, resultou numa das músicas mais populares da história, que foi originalmente gravada com sucesso pela dupla americana The Everly Brothers.

"Crying in the rain" desfilou nos primeiros lugares nas paradas americanas, sendo regravada também por James Taylor e Art Garfunkel.

Vamos ouvir a inesquecível gravação do A-ha, lançada em 1990, se tornando uma das canções mais populares do grupo, que depois de 30 anos do lançamento original voltou a primeira posição nos Estados Unidos e Reino Unido. CONFIRA:

Pais e filhos - Um clássico da Legião Urbana, recordistas de canções que marcaram a juventude dos anos 80.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time02/07/2021 - 11:58

O clássico de hoje traz uma das maiores bandas do rock nacional, Legião Urbana, recordistas de canções que marcaram a juventude dos anos 80.

Com certeza você fez parte dessa geração de jovens, que cantou ao ouvir o forte refrão “é preciso amar as pessoas, como se não houvesse amanhã, porque se você parar pra pensar, na verdade não há”.

A música é: Pais e filhos” e faz parte do álbum “Quatro estações”, de 1989. O disco vendeu perto de 3 milhões de cópias é considerado um dos mais bem-sucedidos discos de rock já vendidos no Brasil.

Sete das onze faixas tiveram bom desempenho nas rádios de todo país.

Segundo o próprio Renato Russo, a canção fala das relações familiares, dos sentimentos, indagações e das angústias.

Vamos recordar então, o clássico, “Pais e filhos” – com a Legião Urbana, gravado ao vivo no Metropolitan, no Rio de Janeiro em 1994, extraído do CD: **“Como é que se diz eu te amo”.

O disco foi lançando, somente em 2001, sendo o quarto álbum póstumo lançado pela banda, após a morte do vocalista Renato Russo em 1996. CONFIRA:

Enjoy the silence - O clássico do Depeche Mode que fala sobre sentimento e sobre buscar o equilíbrio.

 personClássicos, com Everaldo Belada
access_time01/07/2021 - 10:39

É um pouco esquisito que uma banda tenha em seu repertório uma música que faça louvor ao silêncio.

Os ingleses do Depeche Mode – um ícone da música pop dos Anos 80 expressou suas ideias através da sonoridade com uma canção que nos leva a uma reflexão sobre a importância do silêncio chamada: “Enjoy the silence”.

“Enjoy the silence” é uma canção triunfal e faz parte do álbum “Violater” de 1990.

Inicialmente o single foi planejado como uma balada calma, mas, nos ensaios teve uma reestruturação do tema e a inclusão de uma linha de baixo com o perfeito vocal de David Gahan.

“Enjoy the silence” é uma música que fala sobre sentimento e sobre buscar o equilíbrio.

Depois de três décadas após o lançamento, "Enjoy the silence" continua a ser uma das marcas do Depeche Mode e uma das favoritos dos fãs, com presença obrigatória em todos os shows.

Vamos ouvir este clássico dos Anos 90, com uma clássica apresentação ao vivo do Depeche Mode, extraída do DVD Live in Berlin, em 2014, onde o vocalista David Gahan regência a plateia com o forte refrão em “Enjoy the silence”. CONFIRA: