Notícias em destaque

CRICIÚMA ESPORTE CLUBE E SEUS PRESIDENTES

commentJornalismo access_time24/11/2021 15:33

Texto e Pesquisa de Willi Backes.

Turvo larga na frente nas finais do Campeonato Regional da LARM “Taça Carvão Mineral”

commentEsporte access_time30/11/2021 08:30

O segundo jogo entre as equipes será disputado no próximo domingo, dia 5 de dezembro, no Estádio Darci Marini

Prorrogação de contrato de três atletas

commentCriciúma EC access_time30/11/2021 08:30

zagueiro Zé Marcos e os volantes Arilson e Renan Areias prorrogaram com o Tigre para a temporada 2022

EDUCAÇÃO E SAÚDE HOSPITALAR

Pesquisa e Texto de Willi Backes

comment Jornalismo access_time10/11/2021 - 18:33

Reportagem: Willi Backes

Em Dezembro de 1.915 foi inaugurada a primeira Escola Estadual de Forquilhinha, construída pela própria comunidade, tendo por primeiro Professor Jacó Arns. Um ano antes, em 1.914, Jacó Arns buscou estudos e aprofundamentos educacionais no Seminário Colégio Santo Antônio, de Blumenau, tendo por educador Frei Estanislau Schaette.

A primeira turma do educandário recém-criado teve 35 alunos das famílias residentes na colônia de Forquilhinha, no Distrito de Cresciuma, município de Araranguá, no sul catarinense.

Em 1917 foi construída e fundada escola particular, mantida pela comunidade e administrada pela União Escolar de Forquilhinha, presidida por Gabriel Arns. A partir de 1.920, devido a ampliação do educandário e número de 120 alunos, foi contratado o segundo educador, Professor Adolfo Back. A critério dos Professores, as principais matérias de ensino era Religião, Leitura, Aritmética, História do Brasil e Geografia.

Em 1.925, devido à necessária ampliação do educandário para atender o significativo aumento de educandos, foi inaugurada nova ala com duas salas estruturadas.

ENSINAMENTOS DO PADRE PAULO LINNARTZ (1.932).

Em 1.932, Frei Mateus Hoepers, filho dos fundadores de Forquilhinha, foi pro continente Europeu, em Heidelberg na Alemanha, para Doutorado em Teologia. Na sua estada para estudos, conheceu e fortaleceu amizade com Reverendo Padre Paulo Linnartz, que desenvolvia trabalho educacional e social junto a mineiros poloneses e agricultores na região da Renânia. Convidado e desafiado para desenvolver trabalho com mesma profundidade e dedicação, e, autorizado pelos Bispos Superiores, Frei Paulo Linnartz transferiu residência para Forquilhinha.

Em 1.935, em uma das viagens e chegada de retorno da Alemanha do Padre Paulo Linnartz, veio acompanhado por cinco educadoras Irmãs Escolares de Nossa Senhora.

A Unidade Escolar mantida pela comunidade funcionou até Setembro de 1.942, quando o Professor Jacó Arns foi violentamente afastado e o educandário fechado por determinação do Estado, Governador Celso Ramos e do Presidente da República Getúlio Vargas, no auge da Segunda Grande Guerra Mundial. A ordem ditatorial foi seguida de inúmeras incursões policiais no educandário e residências, com queima de livros, cartilhas, fotos e anotações educacionais no idioma alemão e, prisão de muitos imigrantes alemães residentes em Forquilhinha.

DO CONTINENTE EUROPEU, AS IRMÃS ESCOLARES (1.935).

Em 1.935 chegaram a Colônia de Forquilhinha vindas da Alemanha Oriental, de Breslau (hoje Polônia), trazidas pelo Padre Linnartz, cinco Irmãs da Congregação das Pobres Irmãs Escolares de Nossa Senhora, sendo elas as Irmãs Maria Adolfina Meissner, Maria Maximilia Kaboth, Maria Taís Cyranka, Maria Emelina Mahlich e Maria Ínnigo Likierski.

Em Novembro de 1.936, segundo grupo de Irmãs Escolares vindas da Alemanha chegavam a Forquilhinha: Maria Theóphora Krzonkalla, Maria Honesta Janeck, Maria Apollônia Langer, Maria Beredina Wloka e Maria Achillea Bogusch.

Em Maio de 1.937, a Ordem recebeu reforço de Irmãs vindas também da Alemanha, sendo elas as Irmãs Norberta Ogniewski, Hilda Skrzypczyk e Diethilde Mosler. A Irmã Norberta desenvolveu e coordenou inúmeros projetos sociais em Forquilhinha e demais comunidades circunvizinhas. Em 22 de Julho de 1972, com absoluto mérito, recebeu o título de “Cidadã Criciumense”.

Em 21 de Março de 1.938 chegou o quarto grupo de Irmãs Escolares: Maria Thoma Maykowski, Gonsalva Riedel, Genovefa Sindermann, Maria Raphaela John, Maria Frumentia Wiesner, Maria Dietberga Kubina e Maria Leokrítia Biada.

IRMÃS ESCOLARES NA GESTÃO DO HOSPITAL SÃO JOSÉ.

Já nos primeiros anos de atividades educacionais e sociais da Congregação das Pobres Irmãs Escolares de Nossa Senhora em Forquilhinha, a Entidade foi convocada para dirigir o Hospital São José, em Cresciúma.

Autorizada pela Provincial de Breslau e da Madre Geral de München/Munique, através de Lei Municipal, Cresciúma em 08 de Novembro de 1.936, período do nomeado Prefeito Municipal Elias Angeloni, fez doação do Hospital São José à Ordem das Irmãs.

Hoje, após mais de 85 anos do início da gestão, o Hospital São José é um dos principais e mais importantes empreendimentos hospitalares filantrópicos em atividade no Estado de Santa Catarina.

Foto – Construção do Educandário/União Escolar de Forquilhinha.

content_copyAssuntos relacionados

Mais notícias de Jornalismo

CRICIÚMA ESPORTE CLUBE E SEUS PRESIDENTES

commentJornalismo access_time24/11/2021 15:33

Texto e Pesquisa de Willi Backes.

  Anselmo Freitas pode assumir projetos de longo prazo no Tigre

commentJornalismo access_time24/11/2021 08:40

Ao longo de 2022 o presidente recém eleito deve deixar a presidência para cuidar do patrimônio imóvel do clube

Programação da Vila Natalina segue no próximo fim de semana em Morro da Fumaça

commentJornalismo access_time22/11/2021 18:42

Apresentações serão retomadas na sexta-feira (26)

Librelato cresce e lança nova linha de implementos EVOLUT - Geração 2022

commentJornalismo access_time20/11/2021 00:56

A empresa vai investir 50 milhões de reais no próximo ano em novas tecnologias e ampliação da área industrial.

  Sábado será "Dia D" para vacinação Covid-19 em Criciúma

commentJornalismo access_time19/11/2021 08:40

A partir da semana que vem muda o endereço da unidade de vacinação localizada no salão comunitário da Santa Bárbara