Notícias em destaque

  Câmara nega 13º salário de vereadores

commentJornalismo access_time17/10/2017 17:05

Jurídico da Câmara de vereadores de Içara alega ilegalidade na lei que propõe o benefício

Moacir Fernandes conta histórias no Cadê Você

commentEsporte access_time17/10/2017 22:00

Ex-presidente do Criciúma é o entrevistado do final de semana

  Tigre indefinido para pegar o Vila Nova

commentCriciúma EC access_time16/10/2017 17:50

Técnico Beto Campos terá cinco desfalques, mas nem todos os substitutos foram confirmados

João Zanini

Sou João Zanini, natural de Criciúma, 27 anos, jornalista formado e na comunicação desde 2004. Na área policial, são oito anos dedicados à apuração dos fatos marcantes da cidade e da região. Participei de grandes coberturas jornalísticas, em casos que são lembrados até hoje e estão gravados na história regional da Segurança Pública. Aqui no blog, vou compartilhar experiências e algumas opiniões com vocês que me acompanham pelo rádio e, agora, também neste espaço.

Últimas postagens de João Zanini

Notas sobre o suicídio

access_time04/10/2017 16:00 personJoão Zanini

Gostaria de opinar, aqui, sobre essa retrógrada questão da não divulgação de suicídios por nós, jornalistas. Considero varrer a sujeira para baixo do tapete, ignorar a possibilidade de salvar vidas.

Desde a faculdade, sempre aprendi que não se deve divulgar notícia a respeito de suicídio, a não ser que atinja alguém conhecido, influente – como no caso do reitor da UFSC, Luís Carlos Cancellier, nesta semana. E sempre discordei, apesar de respeitar nosso código de ética. Sei que é um assunto delicado, e que divide opiniões. A não divulgação, o ignorar dos fatos relacionados ao suicídio, se dá por conta de pesquisas feitas em “mil novecentos e antigamente”, de que existiria o efeito dominó, em que quando se divulga algo assim, encoraja outros a cometerem tal ato.

Em minha sincera opinião, não acredito nisso. Acho, sim, que não podemos ensinar aos que possuem essa tendência, aos depressivos profundos, de que forma cometer o suicídio. Muito menos, detalhes sórdidos desnecessários. Só que eu penso que o debate precisa ser reaberto.

Não podemos mais fingir que isso não está acontecendo diante dos nossos olhos, inclusive aqui na nossa região. Me revolta e incomoda o fato de saber que isso acontece todos os dias e ter que, simplesmente, fingir que nada ocorreu.

Vamos debater. A proposta está feita, quem quiser, que junte-se a mim!

Centro de Valorização da Vida (CVV) de Criciúma, fone: 34390222

A “violência grátis” dos covardes

access_time25/09/2017 16:58 personJoão Zanini

Vimos, na noite de domingo, mais um fato que nos deixa revoltados, não só como jornalistas, mas como cidadãos. Assaltantes invadiram uma pizzaria e roubaram dinheiro, não sem antes efetuarem diversas coronhadas com uma arma na cabeça de um cliente que pagava a conta. O pior dessa agressão não foram os hematomas – eles quase não ficaram visíveis -, mas, sim, o filho dele, uma criança, que estava do lado e viu tudo de pertinho.

Agora eu pergunto: como vai ficar o psicológico deste pequeno, após ter visto o pai em situação total de impotência, nas mãos de vagabundos que, por mais que não pensem nas pessoas quando cometem esses atos, poderiam pelo menos ter o mínimo de atenção à presença do filho ao lado do pai.

Menos mau que esses bandidos, em rápida ação do 19º Batalhão de Polícia Militar de Araranguá, foram detidos e encaminhados para a delegacia. Pena que nossas leis vão tirar eles da cadeia rapidinho...

Vem comigo!

access_time18/09/2017 18:27 personJoão Zanini

Estou começando hoje, no pique da revolução que teve o site da Eldorado, a atualizar este espaço. Para que a gente possa se entender, quero a participação de vocês, leitores, para que eu corresponda àquilo que você quer.

Uma coisa eu garanto: não irei me calar diante das injustiças e da fraqueza da nossa lei. Desigualdades sociais, notoriamente geradoras de muito daquilo sobre o que eu falo diariamente na rádio.

O país tem que mudar, e, quanto a isso, não resta dúvida. Acho que esta ferramenta vai me ajudar a fazer cada vez mais a minha parte, e quero construir isso junto com você. Seu feed back será extremamente necessário, e você será ouvido. Vamos juntos!