Notícias em destaque

  Semana inicia com tempo bom em Criciúma

commentJornalismo access_time22/10/2018 08:00

Temperaturas mínimas marcaram 13ºC no amanhecer e máxima não devem ultrapassar os 28ºC

Definidos os classificados para 2ª Fase da Copa Sul Sub-19

commentEsporte access_time22/10/2018 14:00

O Criciúma se classificou na terceira colocação e enfrenta o Avaí na próxima fase

Criciúma fica no empate fora de casa

commentCriciúma EC access_time19/10/2018 23:50

Nem o Tigre nem o São Bento conseguiram tirar o 0x0 do marcador

João Paulo Messer

Sou João Paulo Messer, 55 anos, dos quais 38 atuando no jornalismo, apresento de segunda a sexta-feira o Programa João Paulo Messer na Rádio Eldorado (AM 570 e FM 89,5), entre 7h e 10h. Também publico a coluna Radar todos os dias no jornal Diário de Notícias. Neste espaço, abordo os principais temas das pautas de política e economia.

Últimas postagens de João Paulo Messer

COCAL AVALIADA VENDA DA ELIANE

access_time22/10/2018 00:34 personJoão Paulo Messer

A primeira atividade do dia no governo municipal de Cocal do Sul deve ser avaliar a venda da Eliane Revestimentos Cerâmicos, oficializada na última sexta-feira. A empresa tem disparada a maior contribuição na arrecadação do município. Emborra não haja divulgação de dados oficiais da Secretaria da Fazenda do município, estima-se que os índices superam a casa dos 70 por cento da arrecadação total, tendo em vista o efeito cascata provocado pela absorção de vários outros serviços. A expetativa inicial mistura euforia pela entrada de capital novo e preocupação com a incerteza da manutenção aqui no sul do parque fabril e especialmente da central administrativa.

IMPACTO
O anúncio da venda da Eliane Revestimentos Cerâmicos ocorreu apenas no final da tarde de sexta-feira e pegou a todos de surpresa. Entre os funcionários da empresa existem muitas dúvidas. Até o momento não existem comunicados públicos que deem maiores detalhes sobre a negociação. Isso não é comum acontecer, apesar de todo impacto que um negócio desta magnitude provoque.

MATEMÁTICA
Um dos projetos da Associação Empresarial de Criciúma (Acic) com o melhor resultado é o Premio ACIC de Matemática. Agora está em execução uma nova fase. Desta vez é o estímulo aos professores. Ontem os professores passaram por uma avaliação escrita. A premiação tem o objetivo de resgatar a importância do profissional da educação para a formação da atual e das futuras gerações. A premiação também tem o propósito de incentivar o desenvolvimento de propostas inovadoras em sala de aula.

SIDERÓPOLIS
O prefeito de Siderópolis, Helio Cesa Alemão, agilizou com o governo do Estado a garantia de que a ligação entre o seu município e ova Veneza, passando pela localidade de São Martinho, seja pavimentado. O convênio entre o Município e o Governo do Estado foi assinado sexta-feira. Serão investidos R$ 2,3 milhões. O trecho tem 2,5 quilômetros.

MANIFESTAÇÃO
Ontem aconteceram manifestações pró-Bolsonaro em quase todas as principais cidades brasileiras. Em Criciúma a concentração aconteceu no Parque das Nações. Um dos personagens procurados para uma foto foi o deputado Jessé Lopes, neste registo ao lado d vereador Ademir Honorato, ambos comemorando a animação em favor de Bolsonaro em Criciúma.

DE CRICIÚMA
A extraordinária votação obtida pelo presidenciável Jair Bolsonaro, no primeiro turno, já foi comentada diretamente com o futuro presidente do Brasil por criciumenses que o visitaram em casa no Rio de Janeiro. Esta empolgação foi vista ontem na avenida Paulista em São Paulo. Entre os criciumenses que estavam lá o deputado eleito Daniel Freitas foi o mais comemorado com direito a identificação por uma eleitora dele de Balneário Camboriú, no meio da multidão.

AVALANCHE
Afora aquela discussão rechaçada pelo PSL catarinense é inegável o maciço apoio que o MDB leva ao Comandante Moisés. O MDB que fez a maior bancada na Assembleia Legislativa registra a um dos seus votos a favor do candidato do PSL. Naturalmente isso abre caminho para o virtual já eleito governador do Estado governar com alguma tranquilidade. Assim como Bolsonaro ele vai precisar de apoio do legislativo.

ENTRE A CRUZ E A ESPADA
No meio sindical reina enorme preocupação com relação as eleições para o governo do Estado. Na área de Educação a primeira avaliação é que a escolha está entre uma política combatida nos últimos anos e a da incerteza. Líderes professores trocam opiniões pelas redes sociais, portanto sem nenhuma reunião organizada, manifestando-se preocupados. O candidato Gelson Merísio é considerado de difícil relação com o sindicato da categoria, mas a política à área de Educação do Comandante Moisés é absolutamente desconhecida. Em se falando de sindicalistas de Educação o temor é de que não haja diálogo, mas uma condução parecida com o que sugere o novo governo federal, com estilo autoritário. Mesmo assim não deve haver nenhuma manifestação oficial sobre o assunto dado o curto espaço de campanha.

O TÍTULO O título da nota acima remete ao titulo da música de Renato Russo, que leva a uma reflexão sobre as opções, suas escolhas e consequências.

SAÚDE Na última sexta-feira o Secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande, participou do almoço da CDL. Ele fez uma apresentação da sua trajetória quase toda ela ligada à saúde.

ESPECULAÇÕES Óbvio, no campo da especulação, existem dois caminhos apontados para o atual Secretário de Estado da Saúde. Há quem cogite a possibilidade dele ser convidado para ser Secretário Municipal de Saúde em Criciúma. De outro lado há quem sugere que ele possa ser convidado para um papel de gestor no novo projeto do Hospital São José Nada além de especulações.

EMPOLGAÇÃO Do grupo de amigos do deputado eleito Daniel Freitas, pelas redes sociais, ontem, a certeza de que em pouco tempo o Sul terá de novo alguém na majoritária. A sugestão é de que nas próximas eleições o ex-vereador de Criciúma pode figurar como candidato ao Senado, governador ou vice.

PROPORÇÃO Realizada ontem a prova para o concurso público para contratação de um engenheiro ambiental para a Fundação de Meio Ambiente de Criciúma. Chama atenção no concurso que o salario é considerado muito bom: quase R$ 9 mil. Provavelmente por isso 1.094 pessoas disputam uma vaga. Prova foi considerada muito difícil.

DEBATE De todos os debates realizados até o momento em Santa Catarina o melhor foi o da última sexta-feira na RIc Record em Florianópolis. Os ataques continuaram, mas houve mais discussão sobre projetos indispensáveis ao desenvolvimento do Estado.

A SEMANA Nesta semana existem dois fatos importantes na campanha eleitoral para governador. O debate na NSC TV quinta-feira à noite e a pesquisa Ibope que deve ser divulgada na sexta-feira.

A HOMENAGEM O juiz Sérgio Moro foi homenageado neste fim de semana, em Joinville, por um quartel do Exército Brasileiro que comemorou o seu centenário. Nada de especial na relação do magistrado e a unidade militar, senão fato dele ter sido juiz em Joinville no início da década passada.

REFLEXO DA VENDA DA ELIANE

access_time19/10/2018 23:23 personJoão Paulo Messer

O prefeito Ademir Magagnin, de Cocal do Sul, só recebeu a informação da venda da Eliane Revestimentos Cerâmicos era quase 18h desta sexta-feira, tão logo a empresa distribuiu nota oficial através do seu site oficial. Até então ele tinha ouvido rumores sobre a venda e há cerca de um mês ouviu de um dos diretores a informação de que a empresa estava atravessando bom momento e que por conta disso buscava financiamento para implantar um projeto avaliado em cerca de R$ 100 milhões. A coluna apurou ainda que a esposa de um dos diretores, há menos de uma semana, comentou em família que a venda estava sendo concretizada e que havia três meses de negociações. Oficialmente a empresa divulgou nota. Na sexta-feira pela manhã os rumores do negócio corriam em São Paulo entre jornalistas. Basicamente estas são as versões populares da maior venda já feita na história do Sul do Estado de Santa Catarina, embora os valores não são revelados. Especulações giram no espaçoso limite dos R$ 500 milhões e R$ 1 bilhão.

SEM COMENTÁRIOS
Há quase nenhuma manifestação além da nota oficial sobre a venda da Eliane Revestimentos Cerâmicos ao grupo Mohawk. Como de praxe diretores do grupo local não falam. O prefeito Ademir Magagin, de Cocal do Sul adotou a estratégia da cautela e chamou uma reunião para a primeira hora de segunda-feira quando vai mergulhar a sua equipe nos números do município relacionados à empresa.

NÚMEROS
Estima-se que a Eliane Revestimentos Cerâmicos signifique à arrecadação de Cocal do Sul algo em torno de 70 por cento do faturamento com o setor industrial do município, que aliás gira em torno de 80 por cento no total d economia. Isso traduzido à interpretação superficial e simplista significa que o município depende da Eliane.

DIFERENTE
A venda da Eliane é a quarta do setor nos últimos anos. Cada uma com suas peculiaridades. Pelo que apurei a percepção entre os distribuidores é que os parques como a Cerâmica De Lucca saíu de um processo de falência à estável e bem posicionada Elizabeth. Depois a Cecrisa que ao passar às mãos de um grupo de investimento retirou investimentos no parque local. Já a Ceusa foi para as mãos de um grupo econômico que vem mergulhando fundo no segmento de acabamento. A Eliane pode ser a melhor de todas, pois é vendida para um grupo com know how e mercado internacional no setor.

MOVIMENTOS
Há cerca de dois anos e meio a Eliane buscou um financiamento de R$ 200 milhões no Itaú e por isso havia especulações de que este banco, que é dono das marcas como Deca e Duratex, poderia adquirir a empresa sulcatarinense. A entrada da americana Mohawk gera otimismo pela expectativa de investimentos a serem feitos dado ao peso da disponibilidade de recursos humanos e matéria prima locais.

INEVITÁVEL
Se há expectativa sobre a entrada de um novo dinheiro no investimento é necessário avaliar que toda mudança gera transtornos, pois provoca a ruptura com relações de décadas. A cadeia produtiva muda, especialmente no sentido dos prestadores de serviço e isso tem forte impacto. A Eliane tem fornecedores avaliados e mantidos por seu histórico, o que será substituído pela qualificação técnica comprovada.

SEM OFICIAL
Em Urussanga onde aconteceu o último grande negócio do setor cerâmico há otimismo em relação ao que veio depois. Existe, entretanto, o entendimento de que a área da chamada fábrica antiga, localizada na entrada da cidade, em breve será desativada e tudo transferido para a chamada área da fábrica nova.

TEMOR SEMPRE
O que é evidente é que em Cocal do Sul sempre existiu um consenso e opinião de que no dia em que a Eliane fosse vendida a cidade mergulharia em séria crise. Este passa a ser o desafio do governo municipal, evitar que esta percepção contamine outros investimentos.

SEMNA DE TENSÃO
A sexta-feira terminou com debate na RIC Record e pesquisa do Ibope na corrida para o governo do Estado. Os candidatos Gelson Merísio e Comandante Moisés entram na reta final de uma disputa tensa. Os últimos movimentos tem sido de ataques, seja nos debates, seja pelas redes sociais onde são travadas verdadeiras guerras entre os cabos eleitorais. No cenário nacional a discussão está no campo jurídico eleitoral o que gera uma ameaça à estabilidade do país.

ADIADO O pedido de prescrição da pena do deputado federal João Rodrigues, que deveria ter sido julgado nesta semana na 4ª região da Justiça Federal em Porto Alegre não entrou na pauta. Os juízes entendem que como o assunto já está na alçada do Supremo Tribunal Federal é lá que deve ser tratado.

DE OLHO O julgamento do deputado Joao Rodrigues impacta direto no sul do Estado. Se ele for absolvido ganha elegibilidade e com isso o deputado federal eleito Ricardo Guidi perde a sua vaga. Ambos são do PSD.

FÓRUM A venda da Eliane Revestimentos Cerâmicos não poderia ter acontecido em época mais apropriada à discussão pública. Está acontecendo até este domingo a Feira Casa Pronta, onde estão reunidos os principais lojistas e prestadores de serviço da área de construção civil. Este povo reunido e um assunto deste cria o fórum ideal para o debate.

TAMO JUNTO Quarta-feira à noite, quando na solenidade de abertura da Feira Casa Pronta, o presidente do Sinduscom e empresário Olvacir Bez Fontana encerrou o seu discurso com a famosa frase comum nos tempos do regime militar e reeditada pelo presidenciável Jair Bolsonaro “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”, ele chamou atenção. Nada de estranho, afinal ele já tinha aberto o seu voto muito antes.

DEVOLUÇÃO Sai nesta semana aconteceu a condenação do ex-prefeito de Nova Veneza, Evandro Gava, à devolução de R$ 35 mil reais em processo que a Câmara de Vereadores na época denunciou como carros abastecidos “em cima do toco”, isto é: que não estão rodando.

FRASE DO DIA
“Não é possível que a proposta de pedágios no Sul, que nos conhecemos hoje aqui, proponham que a nossa região que é a mais pobre do trecho compense equívocos cometidos no trecho norte, que é o da região mais rica.”
Murialdo Gastaldon, prefeito de Içara comentado a audiência pública sobre as praças de pedágio no trecho sul da BR-101, realizada ontem. Isso porque o valor das praças do sul será maior também para compensar valores cobrados a menor no trecho norte.

PSL REPELE ESPECULAÇÃO

access_time19/10/2018 00:34 personJoão Paulo Messer

O que pela ótica aqui da coluna de ontem seria um fato a ser comemorado pelo Sul, com uma indicação do deputado Ronaldo Benedet para a Secretaria de Segurança Pública no futuro governo, para alguns repercutiu diferente. Foi olhado, também, por alguns leitores como fato negativo. Creio que por quem ficou restrito à discussão simplista do “anti-partidarismo”. Parece-me que esta discussão está vencida. Até porque ninguém de sã consciência pode imaginar que algum governador governe sem apoio de siglas. Pela nossa legislação ninguém se elege sem partido e não é o partido que define o caráter ou capacidade de qualquer um. Insisto na tese de que o Sul deveria brigar pela vaga tendo alguém com as credenciais que tem. Concordo que isso pode, e deve ficar para depois do segundo turno.

POSIÇÃO
O PSL de Santa Catarina informou através de nota que o candidato Comandante Moisés, enfatiza que se mantém dirigido na proposta de “despolitizar” o Governo e, aliado a isso, se manterá firme em governar Santa Catarina com profissionais de carreira. Desta forma, não existe possibilidade de nomear deputados.

DESCARTADO
Em virtude da nota, cuja pretensão era apenas defender potenciais do Sul para compor governo, o próprio candidato a governador, Comandante Moises, gravou um vídeo rechaçando a possibilidade. Descarta qualquer possibilidade de aliança ou nomeação de personagens tradicionais da política. Assim, coerente, o PSL ratifica fidelidade com o eleitor que lhe proporcionou tão grande votação.

EQUIVOCADO
Parece-me fora da lógica o temor de alguns - que respeito, mas divirjo - de que uma nota de jornal tenha potencial para mudar o resultado de uma eleição. Quero crer que a reação é fruto da inexperiência dos que de fato são novos no processo e que por serem novos e que foram eleitos. Isso é tão óbvio quanto a percepção de que: “melhor já ir se acostumando” com opiniões e especulações divergentes.

CONVENHAMOS
Por experiência - ratificada nestas eleições – digo que notas ou comentários não são capazes de influenciar um eleitorado como este que deu extraordinária votação aos eleitos do PSL. Se nem fatos concretos e noticiados pelos maiores veículos tem esta capacidade, não é uma despretensiosa nota comentada que teria capacidade de mexer no cenário. Eu digo: “Não é uma prancha de esqui cravada na neve que vai segurar uma avalanche”.

ANÁLISE
Analiticamente falando, se há quem possa reclamar da especulação na nota, seria o próprio deputado Ronaldo Benedet, cujas circunstâncias podem tê-lo prejudicado. Nem a um, nem a outro a intenção foi ou é criar embaraços. Pelo contrário, segue minha opinião de que o Sul tem grandes nomes para compor governo.

VIGILÂNCIA
Em relação a nota o deputado eleito Jessé Lopes foi rápido e prático ao se dirigir à coluna. No tom adequado e conteúdo prático do que se imagina de um representante da sociedade, cobrou o que ele considera uma correção e que eu considero uma emenda, não que tenha qualquer dificuldade em fazer correção.

VOU NA RETÓRICA
Dada a polêmica que o fato ganhou e o respeito aos leitores, invoco a credibilidade acumulada para lembrar que a coluna mantém posição de transparência, seja de vínculos, opinião e liberdade de expressão. Não há vento ou qualquer outra força ou interesse, capaz de envergar a opinião que é o ofício.

PEDÁGIO SIM, MAS DEMORA
A audiência pública realizada ontem pela ANTT em Criciúma, para discutir a instalação das praças de pedágio no trecho sul da BR-101 resume-se à uma expressão comum aos criciumense: “vai acontecer mas demora”. Quer dizer: não será tão simples assim. Até que de fato este processo esteja concluído há muito a discutir. Questões como a falta de familiaridade dos técnicos com nossa região provocaram a primeira estranheza. A proposta apresentada parece desconsiderar a realidade, o que pode provocar equívocos como aqueles que obrigou a mudança de praças de pedágio depois de instaladas em várias cidades brasileiras, inclusive Palhoça que é do trecho sul. Situações como essa contribuíram para que os participantes que deram quórum quantitativo e qualificado satisfatório fossem deixando a reunião na certeza de que assim como está proposta não pode ser implantada.

COMPENSAÇÃO Uma das maiores estranhezas manifestadas na audiência pública de ontem é que passados muitos anos se constatou que o valor fixado no valor de pedágio no trecho norte ficou abaixo do que é considerado necessário. Como a concessão é por 30 anos correções não podem ser feitas e o trecho sul sendo da mesma obra haveria compensação.

BEM REPRESENTADA Não se pode negar que a representação na audiência pública de ontem foi boa, tanto em quantidade como em qualidade.

IMPRESSIONA A Feira CasaPronta que está acontecendo até domingo no Pavilhão de Exposições José Ijair Conti em Criciúma é evento digno de visita. A estrutura montada pelos expositores e organização não deixa a desejar a nenhuma outra grande feira do país.

DEVOLUÇÃO Sai nesta semana a condenação do ex-prefeito de Nova Veneza, Evandro Gava, à devolução de R$ 35 mil reais em processo que a Câmara de Vereadores na época denunciou como carros abastecidos “em cima do toco”, isto é: que não estão rodando.

FRASE DO DIA
“Não é possível que a proposta de pedágios no Sul, que nos conhecemos hoje aqui, proponham que a nossa região que é a mais pobre do trecho compense equívocos cometidos no trecho norte, que é o da região mais rica.”
Murialdo Gastaldon, prefeito de Içara comentado a audiência pública sobre as praças de pedágio no trecho sul da BR-101, realizada ontem. Isso porque o valor das praças do sul será maior também para compensar valores cobrados a menor no trecho norte.

OLHANDO O NOVO GOVERNO

access_time18/10/2018 00:00 personJoão Paulo Messer

Embora restem dez dias ate a eleição constrói-se o senso comum de que esta é uma etapa superada. Os que ainda conseguem, sutilmente aderem à onda. Isso é o que se constitui na política de voto útil. Afora as obviedades do processo e suas consequências a eleição do Estado proporciona algumas peculiaridades. No setor empresarial existem dois fatos. O primeiro é a preocupação porque o governador que chega ao cargo sem um programa conhecido sobre o setor e que foi pego de surpresa. Outro é que diante deste cenário da falta de lastro político do novo governo o papel das instituições se tornará muito mais forte. Neste sentido entidades de classe do setor produtivo já se antecipam. A mesma animação e reação há entre os servidores públicos, especialmente da Segurança. Com um dos seus no comando os servidores veem menor ameaça a algumas conquistas.

BOLSONAROU
O empresário Olvacir Bez Fontana, presidente do Sindicato da Construção Civil no Sul do Estado chamou atenção pelo encerramento do seu discurso, ontem à noite na abertura da Feira Casa Pronta em Criciúma. Depois de falar do cenário econômico que volta a gerar expectativa animadora ele despediu-se com a frase dos tempos dos governos militares e que recentemente foi resgatada ao vocabulário brasileiro: “Brasil acima de tudo”, disse.

HORIZONTE
Olvacir Fontana é um dos líderes empresariais do sul com o melhor trânsito no ambiente da política, especialmente no MDB. Foi ele quem procurou o prefeito Clesio Salvaro, em nome do governador Eduardo Moreira, para construir uma candidatura de consenso no sul. O resultado das urnas, antecipado pela pesquisa e o senso comum, animam.

NÃO ENVERGA
Ontem aconteceu o debate dos candidatos a governador, pelo rádio. Nada de novo. Repetiram-se os discursos e os argumentos expostos na propaganda eleitoral a ponto da equipe de Gelson Merísio estar repensando o uso da alfinetada que fala do alto subsídio e a precoce aposentadoria do comandante Moisés.

NOVO AARGUMENTO
O candidato Gelson Merísio adotou nas últimas horas um discurso contundente sobre a privatização de rodovias estaduais, defendido pelo seu adversário Comandante Moisés. Merísio disse que a proposta do adversário é criar pedágios nas estradas estaduais. A declaração do candidato do PSL foi dada em entrevista sobre propostas de governo.

ALERTA DO PEDÁGIO
Hoje às 14h acontece em Criciúma audiência publica promovida pela Agência Nacional dos Transportes Terrestres para discutir a implantação de quatro praças de pedágio do trecho sul da BR-101. Ontem o mesmo procedimento administrativo e protocolar aconteceu na cidade de Florianópolis. A reunião de hoje conclui uma fase do processo que pode estender-se por pelo menos um ano.

PELO WAZE
Autoridades que participaram ontem da audiência pública para discutir pedágios no trecho sul da BR-101 consideram que os técnicos da ANTT parecem orientados pela cegueira do técnico. Quer dizer, é como se conduzissem um carro, orientados por algum aplicativo como o Waze. Tanto é que marcaram a audiência ontem no centro da capital, dificultando ainda mais inclusive o acesso dos interessados. Afora isso o texto da audiência parece muito estranho à realidade.

CAUTELA
Os prefeitos do Sul do Estado que participaram ontem da audiência pública dos pedágios na BR-101, na capital, chegaram e saíram indignados. Alguns deles foram aconselhados a repensar a indignação e evitar que a tensão torne a audiência de hoje inviável, seja pela simples realização ou mesmo pelos resultados oficiais. Não se aconselha criar briga com os agentes do órgão que tem vários despachos para a região, além da BR-101.

SUL: DO NADA PARA O TUDO
Se até então a ausência de representação do Sul do Estado no comando das instituições que direcionam a gestão pública era uma ameaça, agora ela é a certeza de que nenhuma outra região terá melhor representação. Quis o capricho das urnas que o roteiro do futuro fosse corrigido com o processo em andamento em sem nenhuma intervenção, seja pela mão dos agente políticos conhecidos ou de qualquer outra instituição. A vontade individual sopra os ventos do poder para o Sul. Não só o governador é um florianopolitano de nascimento, mas sulistas por adoção, como o provável presidente da Assembleia Legislativa também nasceu em Florianópolis e adotou o sul como sua região e base eleitoral.

TER MAIS Esta é para escrever e guardar: o sul pode ter ainda outro cargo importante no governo do Estado. Trata-se do Secretário de Estado da Segurança Pública. O atual deputado federal – não reeleito – Ronaldo Benedet tem estreita relação com o virtual futuro governador.

NOMEAÇÃO Ronaldo Benedet foi o Secretário de Estado da Segurança Pública que mais tempo ficou no cargo, quase oito anos. Seu primeiro ato foi nomear o comandante Moisés para comandar a unidade dos Bombeiros de Tubarão.

DO CONSENSO Júlio Garcia já era tido como favorito à presidência da Assembleia Legislativa bem antes do processo eleitoral ser deflagrado. O que pareceu ameaçado quando ele entrou em rota de colisão interna com Gelson Merísio transformou-se no mais forte argumento à realidade da política.

RETORNO O deputado estadual Júlio Garcia marcou época na sua passagem pela Assembleia Legislativa por ter construído o consenso e por ele sido eleito duas vezes para o cargo de comandante do Poder Legislativo. A receita do consenso é a única que não perde validade.

INDIGNAÃO Há muito a coluna não registrava reação de tanta indignação dos seus leitores por conta de uma publicação como sobre a frase do dia. Nela reproduzi a fala do defensor público Carlos Teixeira, que sugeriu que 46 por cento da população optou pela tortura policial ao votar em Bolsonaro.

AS ORAÇÕES DE ESMERALDINO

access_time16/10/2018 00:03 personJoão Paulo Messer

O presidente estadual do PSL, Lucas Esmeraldino, admitiu que orou para que Esperidião Amin não se elege-se, por considera-lo agente da “velha política”. A frase foi dita em resposta a uma entrevista que Esperidião Amin concedeu na semana passada, tudo na rádio Eldorado. Amin disse, quinta-feira da semana passada, que setores do MDB nem choraram a derrota de Mauro Mariani porque já estão alinhados com o PSL do comandante Moisés. Esmeraldino retrucou dizendo que isso não passa de “uma grande bobagem” e aproveitou para disparar contra o progressista eleito ao Senado. Completou a entrevista dizendo: “é uma pena que o Amin se elegeu”.

SOLAVANCOS
Não há nenhum fato estranho na declaração do presidente estadual do PSL ou de qualquer outro companheiro de partido, como a troca de farpas registrada nas últimas horas. Entende-se normal este cenário, pois há de se considerar que os líderes do PSL sequer estavam assim tão preparados para um embate verbal com adversários construídos na eleição. O partid saiu de azarão a favorito.

NA REAL
Não se trata de torcida ou qualquer intenção de menosprezar a capacidade de gestão de um possível governo do PSL, como indica uma aparente tendência, mas é óbvio que ao analisar o cenário gera curiosidade sobre a capacidade e preparação dos governantes em assumir o Estado. Diferente de Jair Bolsonaro com 30 anos e vida pública, os bolsonaristas de Santa Catarina assumirão um gigante desconhecido.

TECNOLOGIA
As empresas de tecnologia instaladas no Estado, que ainda alcançam 70 por cento das prefeituras do Brasil, se veem ameaçadas por uma proposta de substituição dos atuais modelos por uma espécie de software livre. A rigor a ideia está sendo lançada sob a ilusão de que este serviço pode ser mais barato. Técnicos contestam e alerta ao risco. Pelo que se apurou, uma empresa do exterior comprou uma empresa do Estado, fez um software para o Estado da Paraíba e este pode ser usado em Santa Catarina.

PELA ECONOMIA
A proposta defendida pelo Tribunal de Contas e a Federação Catarinense de Municípios de substituir os atuais programas de gestão pública oferecidos por diferentes empresas, quase todas catarinenses, está gerando tensão. Sob o argumento de baratear o serviço pode ser adotado um software que não “casa” ou tenha sérios problemas dentro de pouco tempo. Está parecendo barato demais para um serviço tão delicado como o controle das contas públicas.

TRIPOLARIZAÇÃO
O fator “anti-PT” levará milhares de eleitores a votar em Bolsonaro para evitar, um novo governo do PT, porque o partido é visto “com sangue nos olhos”. Bolsonaro não é o candidato de muitos que irão votar nele neste segundo turno. Isso evidencia um cenário tripolariado entre PT, Bolsonaro e o anti-PT. Essa tese justifica a liderança de Bolsonaro que deve ser presidente eleito numa onda, sem ser o candidato da maioria.

OPÇÃO
No Estado esta realidade é ainda mais agressiva. O eleitor pode votar num candidato desconhecido, que não conhece dez por cento das cidades catarinenses e que usou estrutura praticamente zerada para sua campanha. Sequer ele necessitou ou necessitará de discurso ou programa de governo. Tudo isso tem uma causa: a reprovação à política tradicional. Prova de que para o voto não existe meio termo.

REVIRANDO TÚMULOS
Pelo visto a Câmara de Vereadores de Criciúma voltou à vida normal, passada a campanha eleitoral de primeiro turno. Os discursos dos vereadores ontem pareciam fala de primeiro mês de mandato. O Legislativo voltou disposto a sacudir alguns temas polêmicos. Diga-se de passagem, nenhum fato novo, tudo tema antigo retomado com a impressão de que “agora vai”. Um deles é a disposição de exigir do município o rompimento do contrato com a Agesan, agência que regula o serviço de água e esgoto no município. Não é de hoje que os vereadores sabem que o serviço é caro e ineficiente. Outro tema antigo ressuscitado ontem é o caso da Somatem, administradora dos quatro principais cemitérios do município. A rediscussão da lei das funerárias também está no pacote dos discursos feitos ontem na tribuna d Câmara. Quer dizer, a cidade tem pauta de sobra, afora a eleição de segundo turno.


CEMITÉRIO O contrato da Somatem, administradora de cemitérios, com a prefeitura de Criciúma é de 1999 com duração de 25 anos. Não terá sido a primeira vez que o Legislativo mexe e remexe no texto da concessão. Nas vezes anteriores nunca se encontrou nada que pudesse levar à substituição da empresa.

MILITARES Deputados estaduais eleitos pelo PSL estiveram na Assembleia Legislativa para saber do que tem direito e já anunciam que pretendem aproveitar o máximo possível de militares da reserva em cargos de confiança. A onda militar não parece restrita ao comandante nacional.

PESQUISA Uma primeira pesquisa para o governo do Estado só será divulgada sexta-feira pelos veículos da NSC. Pesquisa Ibope.

REFLEXO A atitude de Gelson Merísio que já anunciou quatro nomes de um virtual governo pode pegar bem entre os eleitores, embora isso ainda não tenha ficado comprovado. Mas uma coisa é certa, os anúncios de nomes que não são do ambiente político estão levando muita gente a fazer críticas veladas.

SE ESPERAVA Aliados do delegado de polícia Ulisses Gabriel, que disputou a eleição para deputado estadual, foram surpreendidos com o anúncio de Merísio para os dois principais cargos na Secretaria de Segurança Pública e nenhum deles é delegado de polícia civil. Ulisses é presidente estadual da categoria.

CONVERSA Pode não haver nenhum tipo de acordo ou conversa sobre transição de governo ou qualquer compromisso futuro, mas não faltam testemunhas para relatar encontro ente o governador Eduardo Moreira e o comandante Moisés. Encontro na casa oficial do governador.


FRASE DO DIA
“Eu pessoalmente vejo com extrema preocupação este momento que o Brasil está vivendo. A eleição no primeiro turno mostrou que 46 por cento do eleitorado brasileiro é a favor da prática da tortura policial, que é uma das bandeiras do candidato que ganhou o primeiro turno. Então me parece que um ato que visa justamente apurar e coibir essa prática nefasta que é a tortura estará sim em risco se confirmar a vitória deste candidato”.
Carlos Teixeira, Defensor Público Estadual, em entrevista ao repórter João Zanini da rádio Eldorado, analisando as chamadas audiências de custódia, ferramenta em fase de implementação no Estado.

VÍRUS ADMINISTRATIVO

access_time15/10/2018 00:23 personJoão Paulo Messer

Um dos segmentos tecnológicos com forte presença catarinense é o de programas de gestão municipal. Atualmente as empresas catarinenses têm 70 por cento de participação neste mercado no país. O Tribunal de Contas do Estado e a Federação Catarinense dos Municípios, entretanto, estão propondo a adoção de um sistema único. Isto significa opção por uma única empresa em detrimento às demais. A reação das empresas do setor de sofwaare para gestão das contas públicas reage alegando que a opção prestes a ser adotada em Santa Catarina interfere na livre iniciativa e prejudica um mercado que representa 5,6 por cento da economia catarinense. Atualmente o Estado tem mais de 12 mil empresas que geram 47 mil empregos diretos. Até agora pouco se falou sobre o assunto.

PELO MUNDO
O professor André Abreu, frequentemente ouvido pelos ouvintes da rádio Eldorado, quando o assunto é o noticiário mundial, concluiu curso pós-graduação em relações internacionais. No seu trabalho de conclusão de curso ele fez uma análise do primeiro ano do mandato do presidente norte-americano Donald Trump. O tema leva o titulo: “Papel do Presidente e do Congresso na formulação de Política Externa dos Estados Unidos”.

GRANDE PERDA
Será sepultado hoje às 10h no cemitério municipal de Criciúma o arquiteto urbanista Roberto Cabral. Os leitores, por certo, irão ler muito sobre ele nos jornais e ouvir elogios ao seu trabalho. Tratava-se de um cidadão inquieto com as coisas da sua área. Perdemos um referência na área e um grande cidadão. Começou a chamar atenção para o seu trabalho quando atuou na extinta CricúmaTrans. Atualmente era dono de empresa que elaborava projeto para várias cidades catarinenses.

ECONOMIA
Começa quarta-feira no pavilhão de exposições José Ijair Conti mais um grande evento do turismo de negócios. Desta vez é da área da construção civil e do mobiliário, um dos mais afetados com a crise. A participação no evento pode ser um termômetro para se medir a capacidade de mobilização da área para enfrentar a dura missão de recuperação econômica.

GESTÃO DE CONTINUIDADE
Neste ano mais uma vez a OAB de Criciúma deve ter chapa única para a eleição de novembro. Ela foi inscrita quinta-feira da semana passada na seccional Santa Catarina na capital. O candidato a presidente é o advogado Rafael Búrigo Serafim que terá como vice Alisson Murilo Matos e o apoio do atual presidente Fábio Geremias de Souza, que agora está cotado para ser conselheiro federal da OAB nacional.

OSCAR BALSINI
O empresário do setor de tecnologia Oscar Balsini, de Criciúma, emitiu nota no fim de semana descartando a possibilidade de assumir a Secretara de Inovação e Tecnologia em caso de vitória do candidato Gelson Merísio. A informação correu o Estado, depois que Merísio e Oscar se encontraram e mostraram admiração recíproca.

PSD MIRA JORGINHO
O PSL (17) vai questionar na Justiça a eleição do senador Jorginho Melo (MDB), alegando o que teria sido irregularidade na inscrição do segundo suplente Beto Martins (PSDB). Se Jorginho perder o mandato quem entra é o candidato Lucas Esmeraldino (PSL).

PSL DESMENTE ACORDO COM MDB
Uma nota oficial divulgada no fim de semana procura desfazer comentários de que o comandante Moisés, candidato a governador pela sigla, estaria fazendo acordos com o MDB. Esta possibilidade é rechaçada com veemência pelo presidente estadual da sigla, Lucas Esmeraldino. Estas especulações começaram virtude dos muitos anos em que Moisés ocupou cargos de confiança por indicação do MDB, porque o candidato adversário começou a explorar isso na propaganda eleitoral e pelo histórico habilidoso do MDB em manter-se no poder.

CASO BALSINI Pelo que apurei nos bastidores da politica o “cupido” que tentou fazer o casamento Merísio e Oscar Balsini (especulado pra a Secretaria de Estado da Inovação tecnológica) foi o empresário Guto Fretta, do Grupo Angeloni, que é cunhado de Balsini.

ATACAR NÃO O comandante Moisés, que vem sofrendo ataques do candidato Gelson Merísio na questão salarial e aposentadoria teria sido fortemente armado com dados repassados por emedebistas que tem em Merísio seu maior adversário. Essa munição deve ser usada especialmente nos debates e apenas em “legítima defesa”, ou quer dizer, para se defender.

REFIS A prefeitura de Criciúma tem expectativa de arrecadar até R$ 80 milhões com o programa de refinanciamento de dívidas que está em vigor. O montante é o que a equipe econômica do governo tem como a chamada “dívida boa”, isto é, de devedores com condições e interesse de pagar.

POLUIÇÃO Está na hora do setor de fiscalização da prefeitura de Criciúma se preocupar com o desrespeito ao Código de Posturas do Município quando o assunto é poluição visual. Estão pendurando propaganda em postes, muros, árvores e qualquer estrutura que dê sustentação. Já, já vira casa da mãe joana.

ORLEANS Animado com a votação que obteve para de deputado estadual o delegado de polícia Ulisses Gabriel (PSD) já anunciou nas redes sociais que está se preparando para disputar prefeitura de Orleans dentro de dois anos. No município o atual prefeito Jorge Koch (MDB) também é delegado de polícia, está no primeiro mandato e faz uma bem avaliada gestão.

FRASE DO DIA
“Nossos levantamentos indicam que temos R$ 80 milhões do que chamamos de dívida boa, isto é, aquela que há interesse do devedor em pagar para reestabelecer a sua condição de crédito.”
Ceito Heinze Cardoso, Secretário de Fazenda do Município de Criciúma comentando a expectativa de arrecadação com o novo programa de refinanciamento de dívidas dos contribuintes com o município.

SEGUNDO TURNO PELA PROPAGANDA

access_time13/10/2018 00:03 personJoão Paulo Messer

Bastou o primeiro dia da propaganda eleitoral para identificar o perfil da campanha do candidato Gelson Merísio, que pela onda Bolsonaro passou de líder de votos do primeiro turno a desafiante. O comandante Moisés passou de azarão a favorito, não nas pesquisas, mas das manifestações pelas redes sociais. Isso gera uma sensação de vitória. A mesma percepção que no primeiro turno mostrava tendência de uma disputa entre Mauro Mariani e Gelson Merísio, agora é de que o candidato do PSL virou a bola da vez. Inclusive a propaganda de Merísio sugere isso. O candidato do PSD começou com duas armas: desmitificar o adversário e colá-lo no MDB. Depois de ter adotado o discurso de Bolsonaro, Merísio disputa com Moisés o eleitorado do fenômeno Bolsonaro. E a propaganda tende ir assim até o fim.

ENTENDIDO
Só agora, passado o primeiro turno da eleição é possível entender aquele gesto de Gelson Merísio, quando ele decidiu anunciar seu voto em Bolsonaro. Não tivesse feito aquilo e naquele momento, teria sido ele que ficaria para trás. Ali a equipe de Merísio percebeu que o comandante Moisés vinha num crescimento que o colocaria n segundo turno. A declaração de voto de Merísio decidiu quem disputaria com Moisés. Foi ali que Mariani perdeu a eleição.

PROPAGANDA
Pelo primeiro dia de propaganda ficou a evidência de que a equipe de marketing do candidato comandante Moisés terá bem mais dificuldades que o time de Merísio. Já no primeiro dia a propaganda de Moises ficou em cima do “eu sou o candidato do Bolsonaro”. Seu adversário, além de descontruir isso copiou Bolsonaro e se antecipou anunciando mais do que plano de governo. Anunciou também nomes fortes para um possível governo.

IGUALZINHO
No mesmo instante em que Jair Bolsonaro abriu a corrida pelo segundo turno chamando atenção para a indicação de três nomes, que embora já especulados, são a novidade do momento, Gelson Merísio anuncia dois nomes para a área de Segurança Pública.

MARKETING
Em breve aliados do comandante Moisés podem reclamar da mídia de que seu adversário aparece melhor no noticiário. Desde já fica fácil de explicar, pois Merísio habilidoso copiou Bolsonaro na estratégia de criar fato. Já o candidato Moisés foi pego tão de surpresa, que ao passar para o segundo turno chegou sem um plano de marketing. Este é o desafio do comandante Moises agora, pois os ventos sopram muito forte e a favor dele.

OS NOMES
No primeiro programa eleitoral o candidato Gelson Merisio anunciou que deve nomear dois nomes de peso para a área de Segurança Pública. Um deles é o promotor de Blumenau, Odair Tramontin, que iria para o cargo de Secretário de Segurança Pública. O outro nome é o do delegado da Polícia Federal, Ivan Ziolkowski, que atua em Curitiba na equipe da operação Lava-Jato.

TURMA DA MARMITA
Na reunião do PSDB de Criciúma para decidir sobre o direcionamento do partido no segundo turno, quinta-feira ao meio dia, chamou atenção a presença de marmitas na mesa. Elas chegaram e os discursos não acabavam. Nada de novo e o partido anunciou liberar a todos com relação aos votos para governador. Já para a presidência da república o indicativo é de Jair Bolsonaro. Quando foram almoçar a comida estava fria. Aliás, os tucanos devem ir e acostumando com prato frio.

OLHA A FOTO
Outro detalhe da reunião revelado também pela foto é que a deputada federal reeleita Giovânia de Sá (PSDB) está com moral. Tem discurso, tem voto e por isso cacife para orientar o partido.

ALFINETADA DE AMIN
O mais antigo adversário do MDB e de Eduardo Moreira, o atual deputado federal agora senador eleito e ex-governador Esperidião Amin, está dizendo nas entrevistas que o grupo do atual governador nem chorou a derrota de Mauro Mariani e já anunciou voto no candidato comandante Moisés, neste segundo turno da eleição. Nas entrelinhas deixou a interpretação de que setores do MDB já no primeiro turno votaram no candidato do PSL, pois para estes seria a forma de ganhar duas vezes, uma dentro do MDB e outra evitando a chegada de Gelson Merísio.

ÚLTIMO DIA Termina nestes sábado mais uma edição da Feira do Livro em Criciúma. De novo o evento teve um excelente resultado. Foram quase duas semanas em estrutura montada na Praça Nereu Ramos.

PARALELO Neste último dia da Feira do Livro acontece o lançamento do Prodetur Turismo Criciúma, às 10 horas. Acontece ainda o pré-lançamento do edital Cultura Criciúma.

UNIVERSIDADE A reitora da UNESC, recebeu nesta sexta feira pela manhã, os presidentes de Diretórios Acadêmicos das universidades da ACAFE. Na pauta assuntos do sistema de universidades comunitárias como o fortalecimento das comunitárias, artigo 170, audiências públicas sobre educação, entre outras ações articuladas entre todo o sistema.


FRASE DO DIA
“...Esta é uma relação sobre o qual acho que nem o Bolsonaro, que eu conheço há 27 anos, deve conhecer”.
Esperidião Amin, ao dizer do que ele descreveu como estreitas relações do comandante Moisés e o MDB em Santa Catarina.

EMEDEBISTAS APOIAM O PSL

access_time11/10/2018 00:23 personJoão Paulo Messer

O PSL de Santa Catarina precisa começar a se acostumar com o ônus, já que o bônus o transformou de sigla nanica em gigante. Aquilo que só viam acontecer no terreno do vizinho, agora passa a fazer parte da área do partido. A primeira dificuldade terá que ser administrar a repercussão das manifestações de apoio. Ontem os peemedebistas Eduardo Moreira, Paulo Afonso Vieira e outros declararam apoio ao comandante Moisés. Isso explorado pela oposição, associado ao que antecipei terça-feira aqui na coluna, se transforma em arma contra. Refiro-me aos vínculos do candidato do PSL com o MDB. Logo o time de Merísio dirá que por gratidão Moisés governador pode retribuir o gesto de apoio que teve dos emedebistas. E o MDB é hábil em se manter no poder. Este é o primeiro desafio de gestão a ser enfrentado pelo PSL catarinense.

PRIMEIRA PROVA
Para ser grande e justificar o tamanho que ganhou o PSL catarinense precisa descolar do emedebe sem sequelas. Isso porque eleito governador o comandante Moisés terá que contar com a bancada emedebista na Assembleia Legislativa.

É DO JOGO
No primeiro turno, quando Gelson Merísio declarou apoio a Jair Bosonaro, peesselistas reagiram entendendo que o capitão deveria vir a público para se manifestar. É como se quisessem que ele rejeitasse o apoio. Óbvio, isso não aconteceu. E agora emedebistas declaram apoio e o comandante Moisés não tem como negá-lo.

VIVA VOZ
Ontem o presidenciável Jair Bolsonaro gravou um vídeo de breves 30 segundos em que se dirige aos catarinenses. O PSL catarina esperava que ele fosse mais explícito no seu apoio restrito ao comandante Moisés. Como é óbvio, ele não fez isso. Limitou-se a desejar boa sorte a ele, não sem antes lembrar e agradecer que no primeiro turno teve apoio de Gelson Merísio. Parece-me que o vídeo foi emenda pior que o soneto.

É HOJE
Os eleitos pelo PSL de Santa Catarina, tanto para a Câmara dos Deputados como para a Assembleia Legislativa e o comandante Moisés irão se encontrar com Jair Bolsonaro hoje no Rio de Janeiro. Na reunião deve ser clareada essa situação Merísio e Bolsonaro.

MERÍSIO NO SUL
O candidato Gelson Merísio estará em Criciúma no final da tarde de hoje. Vai se encontrar com aliados políticos em uma reunia no início da noite em um hotel da cidade. Chama atenção que o PSDB da cidade antecipou para o meio dia uma reunião para deliberar sobre a posição em relação a campanha de governador.

CAMINHO ABERTO
O fraco desempenho dos candidatos do MDB em Içara, principalmente do senador Paulo Bauer que tinha como segundo suplente o vice-prefeito Sandro Giassi Serafim, revela que as eleições municipais de 2020 são um jogo aberto no município. Tanto o prefeito Murialdo Gastaldon como o seu vice tiveram resposta muito abaixo do que se imaginava.

FRAQUEJOU
O desempenho baixo dos candidatos emedebistas na região não se restringe à Içara. Todas as demais cidades mostram rejeição à sigla. Isso vale para Criciúma. A exceção é o Balneário Rincão onde o prefeito Jairo Celoy Custódio fez a sua parte com sobras.

FORÇA DO PREFEITO
De todos os prefeitos da região quem demonstrou força política foi Noi Coral (PP) de Morro da Fumaça. Fez 4,3 mil votos para o candidato Gelson Merísio, enquanto o já forte MDB da cidade obteve apenas 1,7 mil votos para Mauro Mariani. Afora isso os deputados do MDB foram mal votados no município, enquanto os apoiados pelo prefeito tiveram votação expressiva.

BOLONARO E SANTA CATARINA
Hoje os lideres do PSL catarinense se reunirão com o presidenciável Jair Bolsonaro no Rio de Janeiro. A intenção é esclarecer sobre as consequências dos movimentos do líder nacional na eleição para o governo do Estado. Ontem, porém, Bolsonaro já recebeu um grupo de catarinenses. Dia sim, dia não, ele tem tido encontros com o dono da rede Havan, Luciano Hang, que parece ter acampado nos arredores da casa de Bolsonaro. Pois é dai que estaria vindo a influência mais forte. Hang é apoiador de Gelson Merísio. Por isso Bolsonaro não deve desconsiderar o apoio de Merísio.

CRICIÚMA No encontro dos catarinenses, ontem, com Jair Bolsonaro, destaque para Criciúma. O criciumense Ricard tatá Farias comentou com o presidenciável sobre os números dele na cidade.

NÃO É ASSIM Em Treviso estas eleições deixaram claro que os eleitores do PP não aceitam votar em candidatos do MDB. Apesar da ação do prefeito Jaimir Comin (PP) os candidatos emedebistas foram mal. Só quem tem voto no município parece ser mesmo o empresário Henrique Salvaro.

NÃO ATRAPALHA Não me parece ser coisa de aliado essa manifestação dos emedebistas que se declaram apoiando o comandante Moisés (PSL). Se quisessem ajudar, ficariam quietos. Afinal, as urnas do primeiro turno já deram o recado que o MDB precisa ouvir.

FUTURO Políticos tradicionais, que ocupam cargos eleitos ou não há anos, mas que agora se elegeram batendo na trave devem ir pensando em mudar de “profissão”. O recado das urnas foi amargo. Quase todos os tradicionais rodaram ou se elegeram pelo mínimo de votos.

COOPERATIVA O resultado da última eleição para a Cooperativa de Morro da Fumaça, Cermoful, associado ao que aconteceu na eleição geral recente remete a uma luz de alerta à atual diretoria da cooperativa. Isso porque na eleição anterior venceu por menos de 100 votos. A cooperativa é basicamente apoiada pelo MDB.

FRASE DO DIA
“Eu quero agradecer o apoio do Merísio por ocasião do primeiro turno. Mas para o segundo turno tivemos o comandante Moises, do meu partido, o PSL. Quero desejar, agora, boa sorte ao comandante Moises, e dizer que ele é um fenômeno em Santa Catarino assim como estamos sendo no Brasil. Moisés, boa sorte, felicidade, estamos torcendo por você”.
Jair Bolsonaro, em vídeo dirigido aos catarinenses, manifestando-se sobre a eleição estadual. Reconhece Moisés como do seu partido deseja sorte, mas não fala em apoio único.

MDB E PSDB LIBERAM GERAL

access_time10/10/2018 00:34 personJoão Paulo Messer

O MDB fez reunião ontem para avaliar o fracasso nas urnas e decidir sobre o segundo turno. A deliberação é pela liberação geral, sem direcionamento no segundo turno. Assim cada peemedebista fica livre para apoiar o comandante Moisés ou Gelson Merísio. Extraoficialmente a leitura é que aliados de Eduardo Moreira se dediquem na campanha pelo comandante Moisés, o que à luz da interpretação de meros cabos eleitorais fica menos constrangedora a transmissão de cargo. Além disso possíveis revelações sobre esqueletos no armário e até atendimento a um outro pedido facilitam pela relação estreita de Moisés com os emedebistas.

ACOMODAÇÃO
No MDB outro grande problema sentido nos andares inferiores é o da acomodação de alguns dos filiados que há quase 16 anos estão em cargos de indicação. Isso é comum nos partidos tradicionais que perdem a relação com o poder. Os filiados do PSD mantém a expectativa com a eleição de Gelson Merísio. Alguns emedebistas mais otimistas apostam que podem ficar com o comandante Moisés que necessitará de gente e ele já foi do governo do MDB.

DECISÃO ADIADA
O presidente do Tribunal Regional Eleitoral rejeitou a possibilidade de afastar os quatro vereadores do MDB e um do PSB de Sombrio. Eles sofreram processo de afastamento acusados de “fraude de gênero”, isto é, o partido não teria respeitado a obrigatoriedade de 30 por cento de candidatas mulheres. O TRE entendeu que o caso é complexo, que há outros idênticos no país e por isso é necessário aguardar julgamento no Tribunal Superior Eleitoral em Brasília.

NUNCA SAÍRAM
Os vereadores de Sombrio acusados de “fraude de gênero” nunca chegaram a ser afastados. Em primeiro grau eles obtiveram ganho de causa, o que foi revertido no TRE. Ante recurso obtiveram o entendimento que o caso é complexo, por isso ficam no cargo. Se fossem afastado a Câmara ficaria apenas com bancada de oposição.

SOB ANÁLISE
No Tribunal Regional Eleitoral em Florianópolis, hoje, serão ouvidas testemunhas e aas partes interessadas no processo em que o Partido Progressista de Criciúma pede a vaga da vereadora Ângela Mello. Atualmente no MDB, Ângela ganhou a vaga quando Justiça Eleitoral determinou a perda da vaga que era do vereador Daniel Freitas, quando ele trocou o PP pelo PSL.

SEGUE FORA
A Justiça voltou a negar pedido do vereador reeleito Moacir Dajori (PSDB), que foi cassado no início do ano em virtude um processo do mandato anterior. Esta é a terceira tentativa dos advogados do vereador de Criciúma, que foi denunciado por ex-funcionário de gabinete.

AMARAL VOLTOU
Amaral Bitencourt, que na legislatura passada proporcionou uma cena histórica ao prenunciar que iria voltar à Câmara, já que por uma manobra do partido dele na época (PDT) ele foi impedido de assumir na última hora, voltou à cena. Desta vez ele foi preso sob acusação de propaganda de boca de urna. Na primeira audiência parece ter esclarecido que não é verdade.

O FATO
Amaral Bitencourt foi acusado de comprar voto na boca de urna e por isso conduzido pela polícia. Ele tinha consigo matérial de campanha dos candidatos Luiz Fernando Cardoso Vampiro (estadual) e Ricardo Guidi (federal) e R$ 290,00 no bolso. Na audiência preliminar o acusador não conseguiu provar tê-lo visto comprar voto.

PSDB TAMBÉM LIBERA GERAL
Ainda na noite de segunda-feira o PSDB teve reunião na capital para analisar o resultado das urnas e falar sobre o comportamento no segundo turno. Todos os tucanos estão liberados, assim como acontece na direção nacional. A leitura é que pouco adianta o partido indicar um caminho, pois já no primeiro turno o grupos foram por seus líderes. Suspeita-se no ambiente tucano que as traições foram muitas. Campanhas mais intensas no segundo turno para o candidato Gelson Merísio agora podem ser interpretados como pista de como o líder tucano se comportou no primeiro turno.

TIRO NO BICO

Não faltam inconformados no PSDB, pois o partido nunca errou tanto sobrando apenas dois deputados estaduais eleitos com pífios 70 mil votos ambos, menos de um terço do que a soma dos eleitos pela sigla na eleição anterior e metade das cadeiras.

TEM MORAL
A deputada federal Giovânia de Sá é, a rigor, a tucana com moral para reivindicar dentro do PSDB. Ela será a única tucana catarinense na Câmara dos Deputados e foi reeleita com o dobro dos votos.

CRICIÚMA
A executiva municipal do PDB fará reunião quinta-feira ao meio-dia para decidir sobre a orientação em Criciúma.

NO SUL
O candidato a governador pelo PSD, Gelson Merísio, estará em Criciúma amanhã no final da tarde para uma reunião com lideranças do seu partido e partidos aliados no segundo turno. Até lá vários prefeitos que não o apoiaram no primeiro turno devem decidir o caminho do segundo turno.

FUTURO
Já existem olhares lançados sobre as eleições municipais. A tese de que o PSL será a bola da vez é a aposta dos eleitores, mas a ideia tem resistência de políticos tradicionais que preferem entender que para a eleições municipais não haverá mais onda Bolsonaro e a expectativa já terá sido transformada em cobrança.

FRASE DO DIA
“Óbvio que o Bolsonaro não iria perguntar se poderia dizer aquilo, mas deve ter pensado na amizade que tem em Santa Catarina e preocupado em não perder apoio ele disse isso. Mas nos vamos informar ele da importância de se manifestar pelo Moisés, que é sim o único verdadeiramente apoiado pelo Bolsonaro”.
Daniel Freitas, deputado federal eleito pelo PSL, comentando a declaração do seu líder Jair Bolsonaro à rádio Jovem Pan de São Paulo.

E O JOGO RECOMEÇA

access_time09/10/2018 00:23 personJoão Paulo Messer

Os partidos perderam o controle dos seus pastores que perderam o controle do rebanho. Na eleição para o governo do estado só um fato novo tira a eleição do comandante Moisés. Ele é da onda Bolsonaro onde Merísio também está, mas de carona. Para vencer a eleição Moisés precisa apenas explorar sua legitimidade e colar Merísio aos seus. Para Merísio virar o jogo precisará muito mais do que reforçar sua aliança. A eleição de Gelson Merísio me parece mais difícil do que a eleição de Fernando Haddad e olha que Bolsonaro está com duas mãos na taça.

DA RETÓRICA
Comandante Moisés é um predestinado se olhado pelas vista atentas às atuais eleições. Se for pela bíblia o cidadão verá que todos os povos o tinham como herói ungido pela autoridade do mundo, quer dizer, um comandante que vem aos tempos atuais, abençoado pela onda. Moises trás as regras do grande líder. Virou fé cega da salvação do Estado assim como é pura fé do eleitor de que vem ai alguém para salvar o Brasil.

DA CIÊNCIA
Se é da fé cega e esperançosa a massa que confere os votos ao comandante Moisés, a esperança de Merísio é de que os historiadores tenham uma outra mensagem. Quer dizer, para a bíblia e seus leitores Moisés é herói, mas para a lógica da ciência a história foi escrita na areia da praia. Isso mesmo, Moisés será eleito pela fé da esperança, enquanto Merísio só consegue reverter o jogo se for pela desmistificação aos eleitores.

JOGOS DISTINTOS
Como na analogia ao nome Moises e ao texto anterior, creio que os candidatos a governador, no segundo turno da eleição em Santa Catarina, terão que adotar estratégias bem distintas. Moisés não tem como sair da linha que constrói esperança. Já Merísio terá que fazer sua estratégia pelos métodos tradicionais e científicos de uma eleição, a dos acordos. As dificuldades e os efeitos de ambos são proporcionalmente iguais.

DE REPENTE SUL
O comandante Moisés que só ganhou holofotes desde o último domingo é do Sul. Até então todos reclamávamos que a região estava fora da majoritária. De domingo para cá o discurso precisa ser refeito. Não é apenas o comandante Moisés que mesmo nascido em Florianópolis onde reside hoje, tem na cidade azul a sua base política. Esta base tem nome: Lucas Esmeraldino.

DO SUL
De repente as esperanças reascenderam no sul, pois o candidato a vice-governador de Gelson Merísio é João Paulo Kleinubing, cujos familiares da esposa residem em Criciúma. Nos últimos tempos ele tem se dividido entre Blumenau e Criciúma quanto as horas são dedicadas exclusivamente à família

CUIDAR DE CASA
João Paulo Kleinubing tem uma dura missão: cuidar “de casa”. Ele precisa reverter a derrota que todos os candidatos blumenauenses sofreram. A cidade que tinha um candidato a governador (Décio Lima) e dois candidatos a vice-governador (João Paulo Kleinubing e Napoleão Bernardes), todos ex-prefeitos, registrou ampla vitória do candidato comandante Moisés.

PSDB TREME
Os tucanos reuniram-se ontem à noite em Florianópolis para ouvir o eco interno da bomba que explodiu no ninho. O partido poderá ter até nova eleição proposta por um grupo que se sentiu prejudicado pela condução que o partido teve. É flagrante mesmo a quem não é tucano que alguma coisa estranha aconteceu.

NEM TÃO VIRGEM ASSIM
Para um homem ser testado em todas as suas emoções, vínculos e princípios, basta lançar-se numa disputa eleitoral. Enquanto ele não despertar ameaça, passa despercebido. Pois ontem começaram a aparecer os primeiros laços de relação política do comandante Moisés, candidato que até então era desconsiderado à disputa, mas que do domingo pela manhã à domingo a tarde virou o favorito. Suas relações políticas seriam como é maioria do estado maior das forças policiais com o MDB desde os tempo de Luiz Henrique da Silveira. Entre 2012 e 2014 ele foi o coordenador da Defesa Civil e de 2014 a 2016 esteve na Secretaria de Justiça e Cidadania.

SÓ ESPERNEIO Há de considerar que essa busca e até comprovação de qualquer vínculo de confiança política com um ou outro governo não afeta qualquer currículo, muitas vezes pelo contrário. Jair Bolsonaro tem seus filhos na política é acusado de ocultar patrimônio, nem por isso cai na preferência do eleitorado.

ATÉ NO MDB A relação de deputados federais do MDB diminuiu de cinco para três e pelo menos um reelegeu-se provavelmente pelo discurso pró Bolsonaro. Trata-se de Rogério Peninha Mendonça um “bolsonarista” declarado.

NAS REDES Flagrante a reação do PT nas redes sociais, que é por onde Jair Bolsonaro estendeu sua simpatia até então. Ontem, primeiro dia do primeiro turno a turma do PT foi mais ativa nas redes sociais do que a turma do Bolsonaro. Esta é uma observação avalizada por levantamento técnico, segundo o próprio facebook.

É ÓBVIO Pessoas ligadas a Eduardo Moreira comentam que ele respira aliviado quando ouve que as chances de passar o governo para o comandante Moises são como mais prováveis do que passa-lo a Gelson Merísio. O obvio ululante.

HOMENAGEM A Câmara de Vereadores de Criciúma entregou ontem moção de aplauso à irmã Libera Mezzari, que está deixando o hospital São José após 12 anos de gestão. O presidente da AMREC, Helio Roberto Cesa, o Alemão, aproveitou a homenagem para entregar uma placa de homenagem.

TSUNAMI ELEITORAL

access_time08/10/2018 00:34 personJoão Paulo Messer

Que a varrida eleitoral seria grande quase todos sabiam, o que ninguém imaginava é a proporção. Ficou pouco do que havia e nada de lógica. Nunca houve uma renovação tão expressiva numa eleição brasileira. Povo fez em nove horas o que a Câmara dos Deputados não fez em quatro anos e o que a Justiça resiste em fazer. A renovação eleitoral superior a 50 por cento arrastou consigo bons projetos e personagens. E não são apenas os partidos políticos s grandes derrotados. Institutos de pesquisa e analistas devem passar por reciclagem igual às siglas. Nem os que ganharam sabem o que aconteceu. Essa interpretação ainda vai render algum tempo. Quem sabe muitos nunca entenderão o que aconteceu de fato. A história deixa um capítulo sem precedente.

UNS MAIS
Alguns perderam mais, outros menos. No Estado o PSDB segue sendo o maior perdedor. Jogou totalmente errado quando abriu mão de elevar à candidatura de governador o ex-prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes, que ganhou a simpatia até dos emedebistas, mas sucumbiu como candidato a vice-governador porque o fardo MDB tornou-se pesado demais para carregar.

RECADO DA URNA
O eleitor catarinense parece ter dado um duro recado ao MDB, fazendo a maquina de votos encolher a sua representação na Câmara Federal e ser engolido pela onda Bolsonaro e pela estratégia Merísio. O partido que comandou o Estado, direta ou indiretamente, nos últimos 16 anos sofreu uma dura derrota nas urnas.

ELEITOS
O fenômeno Jair Bolsonaro combinado a aposta feita por Daniel Freitas salvaram a bancada federal do sul. Ele foi o federal mais votado entre os candidatos da região. Nem ele imaginava que alcançaria um resultado tão expressivo. Geovânia de Sá (PSDB) foi garantida pela fidelidade da igreja, pois se dependesse da fidelidade tucana estaria amargurando derrota.

O TERCEIRO
O atual deputado estadual Ricardo Guidi ganhou uma vaga de deputado federal nos instantes finais da apuração. O tipo de eleição para matar do coração. Esta eleição, entretanto, ainda não está segura. Depende da decisão da Justiça, que se afrouxar para o atual deputado federal João Rodrigues liquida Guidi. Rodrigues (67.955) fez mais votos que Guidi (61.830), mas seu registro não foi deferido. Se reverter isso, a Justiça tira Guidi da Câmara.

ESTADUAL ENCOLHEU
A representação do sul do Estado na Assembleia Legislativa encolheu. Reelegeram-se Ada De Lucca, Luiz Fernando Cardoso e Rodrigo Minotto. Entre os nomes novos Júlio Garcia. Os deputados Cleiton Salvaro e Valmir Comin não se reelegeram. Outro que não conseguiu mais uma vez foi o suplente Dóia Guglielmi.

MOTIVOS
O deputado estadual, que ficou como primeiro suplente da sua coligação experimentou o fator “legenda”. Se na sua primeira eleição ganhou vaga titular na Assembleia Legislativa, nesta eleição ele fez o dobro de votos da vez anterior e amarga a suplência.

SUICÍDIO
Dos erros cometidos pelos partidos um dos maiores está no PP do Sul. O partido insistiu com quatro candidaturas quando tinha potencial para no máximo duas. José Milton Scheffer correu por fora e se reelegeu. Valmir Comin, Lei Alexandre e Pepê Colaço “se mataram”.

OLHANDO 2020
Dois nomes novos aparecem no cenário eleitoral de Criciúma, quando o assunto é briga pela cadeira de prefeito. Daniel Freitas, que se elegeu pelo partido de Jair Bolsonaro (PSL) e Ricardo Guidi (PSD) que vem pelas mãos do deputado Júlio Garcia com um empurrãozinho do vice-prefeito Ricardo Fabris associado ao legado deixado pelo pai, são nomes fortes para a disputa com Clésio Salvaro em 2020. Dois fatores podem torná-los frágeis. Um é um bom governo do atual prefeito e o outro o fato de elegerem-se deputado e se quiserem mudar o campo do seu jogo político. Isso, pelo recado deixado pelo eleitor nas urnas agora, pode ser perigoso demais.

CACETADA Tanto o governador Eduardo Moreira quanto o prefeito Clésio Salvaro foram grandes derrotados nesta eleição na sua terra. Ambos apoiavam Mauro Mariani, que ficou e terceiro lugar na corrida para o governo do Estado.

DERROTAS O candidato Mauro Mariani sofreu duas derrotas. A primeira foi para o comandante Moisés (PSL) e a segunda para Gelson Merísio (PSD) que é quem vai para o segundo turno.

DÁRIO VEM AI Nas próximas eleições oo MDB obrigatoriamente terá que buscar a reconstrução pelas mãos de Dário Berger, adversário interno de Eduardo Moreira no MDB.

VOTO REGIONAL O projeto do voto regional é outra ferramenta que precisa ser revista no sul do Estado. A associação empresarial que capitaneou o projeto sofre derrota com a resposta das urnas. Deve se tornar mais contundente, inclusive. De certa forma o setor empresarial de Criciúma sofre derrota também cm a não reeleição de Ronald Benedet.

E AGORA Passada a eleição a ACIC deve anunciar já para os próximos dias uma primeira reunião com os deputados eleitos pelo Sul do Estado. A ideia é manter um fórum permanente com encontros frequentes para debater a demanda.

ILUMINADO O governador Eduardo Moreira deve estar pensando que não poderia ter feito coisa melhor que sair do cenário político. Apagou a luz da sua vida pública no momento exato.

POR OUTRA VIA Quem está rindo à toa, também, deve ser o deputado Manoel Mota (MDB), que saiu desgastado e foi relegado pelo seu próprio partido. Fora da corrida eleitoral decidiu apoiar o ex-prefeito de São Ludgero, Volnei Weber (MDB) que se elegeu deputado estadual.

BAUER SOLTA BOMBA EM CASA

access_time05/10/2018 00:00 personJoão Paulo Messer

A disputa pelas duas vagas ao Senado virou uma guerra entre os candidatos da mesma chapa (a que apoia Mauro Mariani (MDB) e Napoleão Bernardes(PSDB)). O atual senador Paulo Bauer usou o horário da coligação para soltar uma propaganda que possivelmente tinha como alvo o ex-governador e um dos líderes da disputa Raimundo Colombo. Nela Bauer fuzila Colombo colando foto dele com Dilma Roussef, que ali é figura que representa o PT, que “afundou o Brasil”. No mesmo tom e estilo que usa para atacar Colombo, Bauer ataca o colega de chapa Jorginho Mello (PR), também exposto como aliado de Dilma e o PT. Pior, o espaço pertence parte à candidatura de Bauer e a outra metade a Jorginho Mello. Bauer soltou uma bomba na própria casamata e se indispôs com todos.

REAÇÃO DE JORGINHO
O candidato Jorginho Mello gravou vídeo em que diz se orgulhar de pertencer a coligação liderada por Mauro Mariani e devolve o ataque dizendo que Paulo Bauer “apunhalou” a coligação depois de “jurar pagar uma dívida que tinha com esta sigla”. Informa ainda que a coligação entrou na Justiça contra o candidato da própria chapa. Com isso busca ganhar os votos dos emedebistas. A estratégia mira ficar com uma das duas vagas.

FALHA NOSSA
O fato gerado pelos disparos de Paulo Bauer contra um companheiro de chapa são bem mais graves. Há de se considerar que a produção e a exibição passaram por coordenadores da campanha através da equipe de propaganda eleitoral. Não cabe alegação de que não sabiam. Foi traição “em casa”.

TIROTEIO
No mesmo vídeo em que se dirige aos emedebistas Jorginho Mello apresenta suspeita de que ao atirar num colega de chapa sugere que Paulo Bauer tenha “algum acerto com o Esperidião Amin”. A prata da bala que Jorginho dispara em Bauer pode ser o instante em que ele remexe no caso da delação premiada que o acusa (está em fase de investigação) de recebimento de vantagens da Hypermarcas. No mesmo vídeo o correligionário de Bauer, Napoleão Bernardes aparece dizendo que “Jorginho é correto”.

REFLEXOS
Entre as consequências do ataque de Paulo Bauer ao companheiro de chapa Jorginho Mello está o prejuízo que ele proporciona para o Sul. Isso porque o seu suplente é vice-prefeito de Içara, Sandro Giassi Serafim. Outro fato é que Bauer é o político hoje mais próximo do prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro. Rompimento de Bauer com a chapa combinada a uma possível não reeleição pode levar estes dos tucanos afinados a sair da base de apoio do MDB.

FAKE NEWS
Na Justiça o senador Paulo Bauer conseguiu a suspensão imediata doo telefone que estava espalhando fake news com informações inverídicas contra ele. O whatsapp propagava notícia de que Bauer teria recebido recursos ilegais de empresa de medicamentos, que não tem nenhuma comprovação, apenas delação em processo em investigação.

A ONCOLOGIA
Na reta final da campanha os candidatos intensificam o corpo a corpo na busca da eleição ou reeleição. Para os que entraram na disputa agora o discurso do “novo” é o preferido. Para aqueles que já cumpriram um mandato, como tomo o exemplo do deputado Cleiton Salvaro, a ferramenta são as conquistas. No caso de Salvaro a articulação pela Oncologia Pediátrica do Hospital São José é a cabeça de uma relação que os deputados sempre apresentam como realizações.

DOS MINEIROS
Associados do Sindicato dos Trabalhadores Mineiros de Criciúma foram surpreendidos ontem no final da tarde com o cancelamento de última hora da assembleia geral extraordinária da categoria. O presidente viajou para atender interesses da entidade em São José e não conseguiu chegar a tempo (17h). Com isso fim comprometidas as assembleias que seriam realizadas hoje em Maracajá, semana que vem em São José, Irani e Campos Novos.

ENDIVIDADO
O Sindicato dos Mineiros de Criciúma está com montante de dívidas que pode superar o seu patrimônio. São mais de R$ 1,5 milhão para o sistema de previdência, mais de R$ 300 mil para prefeitura de Criciúma, além de uma enorme relação, inclusive rescisão trabalhista. Por isso já enfrenta duas penhoras, sendo que por uma delas já houve despacho com condenação para leilão da sede, o que conseguiu ser adiado pelo corpo jurídico.

UNESC É ORGULHO SULCATARINENSE

access_time03/10/2018 23:23 personJoão Paulo Messer

Enquanto no ambiente da representação política o Sul “esperneia” por um mínimo de atenção, após perder espaço na vitrine das chapas majoritárias, uma notícia enche a região de orgulho. Trata-se dos bons resultados alcançados pela Unesc no RUF (Ranking Universitário Folha), que avalia 196 universidades brasileiras. No quesito pesquisa a Unesc ficou em primeiro lugar entre as instituições particulares de Santa Catarina e a sétima no país. A mesma avaliação confere uma série de colocações de destaque em itens e instituições pesquisadas. Trata-se de um ranking acreditado e extremamente criterioso. Os dados ainda estão sendo avaliados na instituição, mas já ensejam comemoração. Havemos de lembrar que a reitoria administra um gigante, afetado como todos do setor de educação, por impactos violentos da crise econômica do país.

LENDO OS DADOS
A primeira avaliação da Unesc para estes bons resultados é que: “Tudo isso se deve ao fato da universidade oferecer estrutura para os seus pesquisadores, incluindo verbas próprias para administrar as suas linhas de pesquisa, horas consideráveis para dedicação aos projetos, recursos para participação em eventos, grupos de pesquisa e alunos bolsistas em grande quantidade, o que colabora no andamento dos trabalhos, sejam de laboratório ou sociais”.

SPRINT DE CHEGADA
As instituições ligadas a Associação Empresarial de Criciúma intensificam a mobilização pelo voto regional. Tem se ouvido dirigentes empenhados na divulgação dos fatores que motivam a campanha. Depois que os principais líderes e partidos perderam espaço, resta a estas organizações chamar atenção do eleitor para a necessidade de se manter força de representação na Câmara dos Deputados e Assembleia Legislativa.

SEGUNDO TURNO
O último debate entre os candidatos a governador em Santa Catarina foi o retrato da largada do segundo turno. O bom e comportado desempenho de Décio Lima (PT) ficou numa tabelinha com s outro quatro candidatos que não os primeiros das pesquisas Mauro Mariani (MDB) e Gelson Merísio (PSD). Estes dois partiram para o ataque entre si.

AÇÃO SOCIAL
Uma intervenção feita sob a regência do Secretário Municipal de Ação Social, Paulo César Bitencourt, deve virar referência. Trata-se do recadastramento dos moradores do condomínio residencial Carmel, que acontece paralelo à atualização da lista de espera. No condomínio há 272 apartamentos, todos ocupados, mas nem todos por seus moradores inicialmente contemplados pelo programa Minha Casa Minha Vida.

INCONSEQUENTE
Condomínios de programas sociais nasceram todos sob a desordem da desinformação aos contemplados, por isso geraram inúmeros problemas. Muitos eram pessoas que moravam em áreas ocupadas com serviços públicos “enjambrados”, como os famosos gatos de luz e água. Assim, saíram de um local em que pagavam nada para uma área organizada sem terem recebido o mínimo de educação e preparação.

FAKE NEWS
Candidato ao Senado, Paulo Bauer (PSDB) ganhou na Justiça ação que moveu para combater fake News distribuída através do whatsapp. A notícia acusava o parlamentar de ter recebido dinheiro de uma empresa de medicamentos. Como não há comprovação disso a Justiça mandou retirar o telefone de onde partiu a notícia. Ele ficará desativado até o dia 7 de outubro.

FOI-SE UM TEMPO...
A eleição deste ano segue surpreendendo por uma série de fatores. Velhos conceitos e estratégias perderam sua eficiência. A manipulação da opinião pública nunca deixará de ser eficiente, mas o seu tempo sugere efeitos e dosagens que já não se movem mais por regras antigas. Insisto na tese de que o poderio de comunicação de massa continua influenciando muito, mas de longe não tem a mesma capacidade de soprar essa massa de um lado para outro de uma só vez. Foi o conceito construído ao longo dos últimos dois anos de Lava Jato que elegeram o seu “caçador de marajás” e não a moda da cara pintada lançada da noite para o dia como em 1989. As redes sociais seguem desacreditadas, se é que um dia o serão. Assim, para as eleições municipais de 2020 o discurso precisa começar hoje.

TÁ NO AR Ainda existem os que se surpreendem com posições tornadas públicas por agentes que antes se mantinham numa falsa impressão de que eram extraterrestres sem posição. Inclusive os veículos de comunicação - dos maiores aos menores - assim como seus protagonistas, se permitem colocar a cara para fora do muro.

AVANÇO Permitir a todos o direito de ter posição é crescer na democracia. É não viver num mundo do faz de conta. Assim não são apenas sindicatos laborais quem podem empunhar bandeiras, como os patronais já passaram a fazê-lo. Se um respeitar o outro será democracia.

CHANCE PERDIDA O PSDB errou tanto que outro cavalo está passando encilhado e ele não vai montar. Se Geraldo Alkmin declarasse agora oposição ao PT, sem essa história de bater em petista com uma rosa, faria pontos. Declarar-se vencido e apoiar Bolsonaro para derrotar o PT seria uma tentativa de resgatar a marca anti-PT, mas silenciar pode ser uma confissão suicida.

IÇARA Hoje o prefeito Murialdo Gastaldon vai assinar o contrato que irá assegurar a construção da nova sede da prefeitura de Içara. A obra deve ficar como principal marca da sua gestão, embora possa não estar totalmente concluída. Ele já se habilita para entrar na história da cidade como o melhor prefeito.

O ESPETÁCULO O Teatro Elias Angeloni passou por reforma recentemente, mas ainda não se livrou das enchentes. Ontem ele voltou a ficar com cerca de 50 centímetros de água na parte mais baixa, entre o palco e a primeira fileira de cadeiras. Isso porque no parque em volta da prefeitura inda se resolveu um antigo problema de drenagem do rio.

NEM O PÁTIO Inadmissível que a prefeitura comemore aniversário da sua reinauguração e nos fundos d bonita fachada o lamaçal impeça os funcionários de irem para o refeitório sem usar galocha. Ora, para um órgão que tem uma fundação de meio ambiente e não consegue ajardinar seu próprio pátio, resta olhar em volta.

POTENCIAL DE URUSSANGA

access_time03/10/2018 00:23 personJoão Paulo Messer

O único dos muitos potenciais turísticos explorados por Urussanga faz enorme sucesso na feira internacional do vinho, a Wine South America, que está acontecendo em Bento Gonçalves (RS). A bebida feita pela rara variedade de uva reconhecida pelo movimento internacional Slow Food é a principal novidade no evento. A região dos Vales da Uva Goethe chama muito mais a atenção do púbico lá de fora do que das próprias autoridades e o público da sua área. Se a cidade não abrir os olhos para o seu potencial turístico agora passará mais algumas dezenas de anos aplaudindo outras regiões e se contentando com a sazonalidade do turismo restrito a uma festa anual. Falta apenas um projeto adequado à sua rica cultura arquitetônico e cultural para fazer a cidade explodir. É necessário voar mais alto para despertar para o potencial perdido. É só dar um passeio na vizinha Nova Veneza.

IÇARA
Içara pode passar nos próximos anos por uma transformação que deixa marcas. Trata-se dos contratos de financiamento que serão assinados amanhã. Um é para a construção da nova sede da prefeitura e outro para revitalizar a área central da cidade. É o tipo de obra que deixa resultado aos olhos do contribuinte.

NOVA SEDE
O prédio atual da prefeitura de Içara é de 1969 e não atende mais da metade das secretarias e departamentos, que na sede nova podem ir todos para o mesmo endereço, gerando economia de R$ 100 mil mensais. Os recursos são provenientes de financiamentos e garantem só para a nova sede cerca de R$ 7,5 milhões. Um ato a ser realizado amanhã marca a assinatura.

NO FUTURO
Como é gestão de segundo mandato, e de dobradinha afinada, as especulações sobre o futuro político de Murialdo Gastaldon e de Sandro Giassi Serafim sugerem alguns caminhos. O vice deve ser candidato a prefeito ao natural. Já Murialdo terá dois caminhos. O primeiro é uma eleição de deputado, área que pode estar bem povoada. Não se descarta especulação que pode levar à próxima eleição de reitoria da Unesc um ponto de inquietude, fato sequer comentado pelos personagens.

MERA ESPECULAÇÃO
No mesmo ambiente político que especula meras suposições existe um campo fértil de projeções como aqueles mais animados com o grande trabalho da atual reitor da Unesc, Luciane Ceretta, cujo nome é de desejo de algumas siglas partidárias de olho nas próximas eleições municipais de Criciúma. Assim como Murialdo nunca falou em disputar reitoria, a reitora jamais falou em outro projeto. Óbvio, ambos negam e rechaçam as especulações, mas elas acontecem neste ambiente ávido por debate político.

É DO AMBIENTE
Felizmente os tempos criaram uma espécie de imunidade às especulações nestes casos. Não fosse assim, isso combinado a habilidade destes agentes públicos em conviver com hipóteses a cerca de seus nomes, a revelação destas especulações poderiam gerar algum mal-estar, o que só não acontece por estarem longe de ser fato.

GRANDE PERDA
O setor educacional, principalmente, perdeu ontem um grande personagem. Figura reconhecida por unanimidade o professor doutor Ilson Pivesan, aos 59 anos, faleceu ontem de madrugada em Florianópolis, onde residia nos últimos anos. Morreu em consequência de um câncer que começou na bílis e se espalhou por outros órgãos. Entre os inúmeros trabalhos, foi coordenador do último planejamento estratégico na Unesc. Atualmente atuava especialmente em cursos de pós-graduação.

ÁGUA MORRO ABAIXO, FOGO MORRO ACIMA...
O censo comum pode provocar o que em eleições se conhece como voto útil, isto é, o voto que arrasta os eleitores indecisos. Esta é a percepção que se instalou nos ambiente que discutem política no Estado de Santa Catarina, nas últimas horas. A última pesquisa Ibope tem muito a ver com isso. Vale só para a eleição presidencial, pois nas demais o marasmo é o de antes da eleição. Particularmente considero que a preferencia aparente do eleitorado não foi construída pelas redes sociais, mas sim pelos veículos oficiais nos últimos meses. Não seu ouviu nada além do sangue que saiu dos tribunais e o vômito dos delatores. Foi a Globo e seu noticiário que construiu Jair Bolsonaro e não as redes sociais.

O DERROTADO O que para alguns mais superficiais pode parecer perseguição eu reputo como interpretação: o PSDB é o maior derrotado desta eleição. Não só no âmbito nacional, o partido desperdiçou a oportunidade de assumir o Poder. O cavalo que passou encilhado virou jegue.

FRUSTROU O leitor que me acompanha a mais tempo sabe que não sou dado às repetições de análise que possam criar a luz da insistência, mas me sangra os olhos a forma equivocada como o PSDB perdeu a chance de ganhar eleições. A lógica sucumbiu aos interesses também no Estado de Santa Catarina.

TINHA TUDO Ninguém entrou melhor cacifado nesta disputa eleitoral que o PSDB e em especial o senador Paulo Bauer. Depois de ser aclamado candidato a governador numa convenção de quase quatro mil filiados, recuou e atualmente é notícia por causa de um bate boca com um deputado do se partido.

O NÃO Um dos mais respeitados institutos de pesquisa com forte atuação no sul do Estado e que atende apenas os candidatos e partidos, sem fazer pesquisa para publicar, constata que nesta eleição o eleitor não sabe exatamente o que ele quer, mas sabe o que não quer.

PESQUISAS Se confirmar a desconfiança do eleitorado de Jair Bolsonaro, e ele vencendo a eleição presidencial no primeiro turno, o maior derrotado não serão os seus adversários, mas os institutos de pesquisa. Eles têm sido o centro das atenções e a voz destoante destas eleições. Diferentes de outras, esta disputa será lembrada por este aspecto.

BOLSONAROU O vereador Ademir Honorato (MDB), de Criciúma, ocupou a tribuna ontem para abrir o seu voto à presidência. Sem citar o nome do candidato leu o versículo 17 do capítulo 17 do livre de provérbios: “em todo tempo ama o amigo e na angústia nasce o irmão”. Completou falando a frase: “Brasil acima de tudo e Deus acima de todos”.

AGENDA DOS PRECATÓRIOS

access_time02/10/2018 00:23 personJoão Paulo Messer

O prefeito Clésio Salvaro tem audiência hoje com o Ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Morais, em Brasília. Ele é relator de uma reclamação feita pela prefeitura de Criciúma, porque o Tribunal de Justiça do Estado de Santa Catarina negou pedido para a prefeitura manter pagando de precatórios um por cento da receita líquida. Este percentual significa, hoje, R$ 580 mil. O TJ insiste na tese de que o percentual deve ser de 2,7 por cento da receita líquida. Isto significaria mensalmente R$ 1,4 milhão. Portanto, depende da decisão do ministro um desembolso mensal a mais de R$ 900 mil. O prefeito diz que se o percentual de 2,7 por cento for mantido inviabiliza investimentos. A Justiça quer que as prefeituras paguem todos seus precatórios até 2024. O prefeito de Criciúma diz que leva cálculo mostrando que mesmo mantendo pagamento de um por cento da receita líquida ele zera a dívida até o prazo.

REPERCUSSÃO
Se obtiver êxito na argumentação que defende hoje ao relator do processo de Criciúma no STF, o prefeito Clesio Salvaro pode estar abrindo um caminho que alivia as contas de várias prefeituras. Assim como Criciúma, centenas de outros municípios têm dívidas de precatórios. A tese de Salvaro é que se provar que paga tudo até 2024 o percentual pode ser inferior ao 2,7 por cento exigidos.

REFIS
O projeto do refinanciamento de dívidas dos contribuintes de Criciúma não entrou na pauta da Câmara de Vereadores, ontem, como era esperado. Hoje a líder do governo deve pedir agilidade para aprovar a matéria.

TURISMO
Foi assinada ontem em Buenos Aires a parceria que garante seis voos semanais entre Buenos Aires e Florianópolis, a partir de dezembro e até o início de março. A parceria foi firmada durante a Feira Internacional de Turismo. No ato um criciumense, Eduardo Loch, que hoje ocupa cargo na Secretaria de Turismo de Florianópolis.

HERANÇA
Até hoje as praticas na divulgação do turismo catarinense seguem uma cartilha gerada pelo ex-governador Luiz Henrique da Silveira.

SIDERÓPOLIS
O DN publicou ontem edital da prefeitura de Siderópolis contratando empresa para a pavimentação de 37 ruas. Os recursos são do Programa Pró Avançar Cidades do Ministério das Cidades com financiamento do BRDE e a prefeitura de Siderópolis. As propostas serão abertas no dia 31 de outubro às 9h.

CADA UM POR SI
A briga das eleições passou para o segundo voto ao Senado. Em campanha os candidatos encontram fato curioso: a maioria dos eleitores tem o primeiro voto do Senado e não tem o segundo. Os cabos eleitorais concentraram fogo nas candidaturas proporcionais mantendo o eleitor desinformado.

AO SENADO
Ontem o candidato a senador na coligação liderada pelo MDB, o deputado Jorgino Mello (PR), fez agenda na região Sul. Dono de uma reeleição assegurada para deputado federal ele optou por entrar numa disputa pesada que em nomes com Esperidião Amin, Raimundo Colombo, Paulo Bauer, Ideli Salvatti e outros velhos conhecidos do eleitor. No MDB sua candidatura faz peso por ter como suplente a viúva de Luiz Henrique da Silveira.

TUCANADA A LA ALKMIN
A presença do presidenciável Geraldo Alckmin, ontem no meio da tarde em Florianópolis, foi o retrato do que tem sido a campanha dos tucanos. Na caminhada pelo centro da cidade ele só teve a “benção” de Eduardo Moreira no início. Moreira que é amigo e declarou voto nele preferiu ficar e não andar pela cidade. O presidenciável tucano ganhou o protocolar apoio dos tucanos. Nem todos fizeram questão de registrar o fato em suas páginas onde publicam cada passo da sua campanha. Foi uma agenda assim com “gosto de chuchu”, definiu um assessor da própria sigla.

JÁ FOI Dos amigos mais próximos de Eduardo Moreira, que tem intensificada sua presença no Sul nestes últimos dias, ouve-se a percepção de que ainda não cicatrizou a ferida aberta com a necessária desistência da reeleição. A todo momento ele ouve alguém lamentando que não tenha enfrentado o partido internamente.

HOSPITAL A Câmara de Vereadores de Forquilhinha aprovou ontem a doação de um terreno para a Associação de Aposentados construir um hospital. Trata-se de uma área de 10 mil metros quadrados. A promessa é de que a instituição construirá um hospital que atenda tanto pelo sistema púbico como pelo privado e convênios.

PRIMEIRO Eleitores observarão que diferente da eleição geral de 2014, neste ano o primeiro voto será dado ao deputado federal. Essa manobra teria sido feita tendo em vista a já identificada dificuldades dos eleitores que ao longo da votação tornam nulo seu voto por “não saber chegar ao final”.

RODOVIÁRIA Passa sem maior repercussão o processo de concessão da Estação Rodoviária de Criciúma por 20 anos. Existem concorrentes de vários Estados brasileiros. Ontem ocorreu a primeira etapa do processo. Lembra-se que a rodoviária foi totalmente revitalizada na gestão passada do atual prefeito Clésio Salvaro.

BULLIGOU Depois de ser expulso por abrir voto em Jair Bolsonaro o prefeito de Chapecó, Luciano Bulligon acaba de botar bola fora com os chapecoenses. Ele gravou um vídeo pedindo voto no candidato a deputado federal Osvaldo Mafra (Solidariedade), sendo que todos imaginavam que sua campanha seria por João Rodrigues (PSD).

TUCANADA Na região de Brusque o candidato ao Senado, Paulo Bauer (PSDB) acaba de declarar guerra ao correligionário deputado Serafim Venzon, acusando-o de não ter feito campanha para ele na última eleição para governador. Conflitos deste tipo devem surgir em grande quantidade, mas após a eleição.

SE NÃO FOR Na região de Criciúma não faltam tucanos confessando com o bico exprimido que se Paulo Bauer não eleger-se ao Senado vão para casa mais cedo, isto é, bem antes do segundo turno.

ANIVERSÁRIO Os petistas que acompanharam o candidato a governador Décio Lima fizeram uma surpresa ontem pela manhã. Ao sair de uma entrevista na rádio Eldorado os companheiros de partido o aguardavam com um bolo para comemorar os seus 58 anos. E brincou: “5 mais 8 dá 13”.