Notícias em destaque

  Nova Veneza: Gôndola permanece fechada até a próxima semana

commentJornalismo access_time17/08/2018 17:13

Manutenção da embarcação e do arredor prevê melhorias na acessibilidade dos visitantes

Maracajá faz amistoso neste sábado como preparativo para Regional da Larm

commentEsporte access_time17/08/2018 18:00

Os atletas que representarão Maracajá no campeonato da Larm, em sua maioria, disputaram o campeonato municipal deste ano e serão comandados pelo professor Nei Monteiro

Tigre treina forte na reapresentação

commentCriciúma EC access_time17/08/2018 08:45

Nesta sexta-feira (17/08) o grupo carvoeiro irá treinar em dois períodos no CT Antenor Angeloni

João Paulo Messer

Sou João Paulo Messer, 55 anos, dos quais 38 atuando no jornalismo, apresento de segunda a sexta-feira o Programa João Paulo Messer na Rádio Eldorado (AM 570 e FM 89,5), entre 7h e 10h. Também publico a coluna Radar todos os dias no jornal Diário de Notícias. Neste espaço, abordo os principais temas das pautas de política e economia.

Últimas postagens de João Paulo Messer

Coluna de Sexta-feira

access_time17/08/2018 00:34 personJoão Paulo Messer

TEORIA ANTICONSPIRAÇÃO
Contrariando teoria aqui da coluna, de que entre os tucanos o prefeito de Criciúma saiu em desvantagem se olharmos para o futuro, teses defendidas por tucanos que invocam o testemunho de emedebistas, pelos corredores da capital, é que Clésio Salvaro está para a coligação no mesmo patamar de Gean Loureiro, prefeito da capital. Quer dizer, os dois prefeitos de grandes cidades e com possibilidade de reeleição estão mapeados com o selo de “futuro”. Nesta linha de raciocínio o entendimento é que as duas administrações viram “menina dos olhos” de um governo do Estado com MDB e PSDB.

A MÁQUINA
Inspirada numa expressão cunhada em Criciúma nos anos 1990, quando o MDB tinha soberania nas disputas, setores do partido no Estado entendem que é possível vitória ampla o suficiente para ganhar o Estado e “mandar para casa de uma vez” Esperidião Amin e Raimundo Colombo.

SAI DA MÁQUINA
O otimismo de emedebistas e tucanos é que a força da aliança pode sair da estrutura que os partidos possuem, leia-se o aparelho Estado. Os cálculos otimistas destes interlocutores são feitos com base na estrutura que os dois partidos tem em cargos estratégicos e que jamais abrirão mão de lutar por esta manutenção.

COMEÇA CAMPANHA
Ontem, primeiro dia de campanha eleitoral o candidato a governador pelo MDB, Mauro Mariani ao lado do vice Napoleão Bernardes, começou em agenda com o prefeito de Joinville, Udo Döhler, Mais tarde com o candidato ao Senado, Paulo Bauer, saiu para a campanha do corpo-a-corpo em Joinville, enquanto o outro candidato ao Senado, Jorginho Melo, fez campanha na su região em Joaçaba.

CARECA
Dada a largada à campanha começam a surgir cenas curiosas. Ontem a assessoria da coligação “Aqu é Trabaho” Em menos de 48 horas de campanha, os candidatos da coligação “Aqui é Trabalho”, liderada por Gelson Merísio, João Paulo Kleinubing, Esperidião Amin e Raimundo Colombo divulgou que a chapa já havia feito “barba, cabelo e bigode”, num tom bem humorado à cena da foto.

PRIMEIRA POLÊMICA
Mal começou a campanha e surgiu a primeira suspeita de uso da máquina por parte da coligação liderada por Mauro Mariani. O Ouvidor Geral da Secretaria da Administração, Dejair Pinto mandou mensagem a donos de cargos comissionados pedindo dinheiro para a campanha da coligação “Santa Catarina quer mais”. Ofereceu ainda possiblidade de parcelar a contribuição.

PESQUISAS
Nova ferramenta para os bastidores da eleição já é manuseada por um dos maiores institutos do Estado, o Mapa, tradicional por suas pesquisas certeiras. Trata-se de uma pesquisa feita por um software que recolhe através de cruzamentos de movimentos sobre os candidatos na internet. Se o modelo se mostrar eficiente ele poderá dar resposta às campanhas no mesmo ritmo do tracking, que é a consulta de massa feita pelo telefone.

POLÊMICA
O prefeito Noi Coral (PP) me parece ter a melhor resposta ao projeto do vereador Álison Félix Bertan (PR) de Morro da Fumaça. Ele questiona: “diferenciar porquê? Antecipa que este assunto não lhe preocupa por considerar que não existe discriminação e ao criar uma lei sim se gera algum tipo de discriminação. Tem lógica, afinl, discriminar é tratar diferente.

Coluna de Quinta-feira

access_time16/08/2018 00:34 personJoão Paulo Messer

MERÍSIO COMEÇA PELO SUL
A candidatura liderada pelo candidato Gelson Merísio (PSD) começou a maratona de eventos políticos pelo Sul do estado, ontem. Levou como é da característica já da sua pré-campanha uma estrutura bem organizada. Com investimento em uma das melhores equipes na preparação destes eventos, já havia sido assim no ato de pré-lançamento em Chapecó. Esta deve ser a característica da candidatura que tem 15 partidos e é liderada pelo PSD, mas com forte influência do Partido Progressista. O palanque ficou denso politicamente falando pelas presenças de personagens como Esperidião Amin e Raimundo Colombo, que são candidatos ao Senado.

NOVE CANDIDATOS
Foram confirmadas ontem nove candidaturas ao Governo do Estado, sendo a maior coligação liderada pelo PSD com Gelson Merísio. Ele soma ao todo 15 partidos políticos na coligação. Em segundo lugar em termos de tamanho da coligação é a chapa liderada por Mauro Mariani que tem nove siglas no total.

SENADO TEM 14
A disputa ao Senado terá uma das mais acirradas disputas da história com personagens como os ex-governadores Esperidião Amin e Raimundo Colombo ou a força do MDB que tem na chapa o tucano (PSDB) Paulo Bauer e o deputado Jorginho Melo (PR). Ao todo 14 candidatos a governador pediram registro. Pelo PT uma dupla de peso: Ideli Salvatti e o ex-desembargador Lédio Rosa.

ROSELI FICA
Empossada ontem dona de uma das 17 cadeiras no Poder Legislativo de Criciúma, a professora Roseli De Lucca Pizzollo permanecerá no cargo de Secretária de Educação do Município. Ela decidiu isso em reunião com o prefeito Clésio Salvaro logo após a sua posse. Com isso o suplente Marcos Meller é quem assumira ca vaga na Câmara.

TUCANA
Roseli De Lucca Pizzollo é a atual presidente do PSB em Criciúma, mas tem conduta fiel à liderança do prefeito Clésio Salvaro. Ela chega ao cargo de vereadora porque o colega de partido Moacir Dajori foi cassado por fatos denunciados ainda no seu primeiro mandato. O atual era o segundo.

DEU POLÊMICA
Em Morro da Fumaça o ambiente de política anda tenso por conta de um projeto apresentado pelo vereador Alisson Bertan. Ele quer criar no município o Dia da Diversidade. A proposta foi protocolada terça-feira e já provoca debates acalorados, especialmente nas redes sociais.

ORLEANS
Uma das melhores cartadas administrativas da região parece ter sido a do prefeito de Orleans, Jorge Koch. Ele tem sido procurado pelos colegas para falar sobre a constituição de um projeto que agilize a pavimentação. Nesta semana chegaram os primeiros equipamentos do britador. Além de produzir a base para as pavimentações a britagem do seixo vai desassorear o rio de Brusque do Sul, que sempre foi um problema daquela localidade.

CÁLCULOS
Os cálculos do governo de Orleans indicam que o britador com a usina de asfalto do consórcio regional deve baixar pela metade o custo das pavimentações. O valor de partida foi R$ 813 mil, mas num convênio com o Estado o montante baixou para R$ 540 mil. O equipamento deve entrar em atividade em setembro.

ELEIÇÃO PÓS PRISÃO
A liminar que deu a liberdade ao deputado federal João Rodrigues (PSD) expedida na noite de terça-feira foi entregue ao parlamentar por um de seus assessores ontem pela manha, quando ele saiu da penitenciaria da Papuda em Brasília como de praxe, para ir à Câmara dos Deputados. Preso desde o início do ano, ele anunciou na sua primeira entrevista à rádio Eldorado, ontem na primeira hora da manhã, que será candidato à reeleição, situação que era dúvida, pois continuava preso. Ainda ontem ele entrou com pedido do registro de candidatura. Chama atenção a leitura que ele faz, por certo baseado em informações de equipes que monitoram o processo eleitoral, de que a sua prisão pode se tornar numa ferramenta que lhe dê votação ainda mais significativa. A interpretação e de que o eleitor catarinense deve olhar para o fato que ele classifica como prisão injusta. O raciocínio é parecido com o feito pelo PT no caso do ex-presidente Lula.

O FLECHA Criciúma perdeu ontem uma destas figuras humildes e muito conhecidas. Faleceu aos 80 anos o conhecido artista circense e líder de comunidade, João Rosa da Silva, conhecido como o “Flecha Negra”. Ele criou na região o Circo do Flecha Negra, famoso por suas touradas. Ele residia no bairro Rio Bonito em Criciúma. Segundo familiares, “ele faleceu dormindo”.

ESTÁ FORA Depois de licenciar-se da presidência da Assembleia Legislativa por 59 dias o deputado estadual Aldo Schneider comunicou oficialmente ontem que não vai concorrer à reeleição. Ele luta contra o câncer.

NO COMANDO A condição de saúde do deputado estadual Aldo Schneider que lhe obriga afastar-se das atividades parlamentares provoca significativa mudança na Assembleia Legislativa, pois a presidência sai do MDB e fica com o deputado Silvi Drevek (PP), que e aliado ao deputado Gelson Merísio.

ESQUECERAM O governo atual descobriu, guardado em caixas, vasto material esportivo para criança. São cerca de 1,8 mil conjuntos de uniformes que estão sendo preparados para distribuição. O material comprado com verba pública ficou “encaixotado” e provavelmente esquecido.


FRASE DO DIA
“Eu acredito que até vira fato positivo, porque ninguém concorda com injustiça. Uma coisa é prender o bandido ou corrupto a outra coisa é prender o justo, que não cometeu nenhum crime. A questão de eu ser vítima de um processo como este faz com que o cidadão de Santa Catarina olhe para um deputado que teve a sua vida vasculhada de maneira a ver nele alguém mais credenciado do que muitos. Pelo contrário, acho que este fato vai é me ajudar na eleição.”
João Rodrigues, deputado federal candidato à reeleição rejeitando a possibilidade de que a sua prisão pode lhe causar impacto negativo na eleição deste ano.

Coluna de Quarta-feira

access_time15/08/2018 00:34 personJoão Paulo Messer

HOJE É DIA DO REGISTRO
Os partidos políticos tem até hoje para efetuar o registro das candidaturas e a partir de amanhã começam a sair as homologações ou negativas, cada caso ao tom da Justiça. Em âmbito nacional o registro da candidatura do presidenciável Luiz Inácio Lula da Silva é o caso mais famoso. No Estado os olhos estarão lançados sobre o registro da candidatura do deputado João Rodrigues (PSD), que assim como o presidenciável teve o nome aprovado na convenção do partido. Candidatura registrada e homologada os candidatos podem sair em campanha. Antes não.

NO PT
Os petistas prometem “invadir” o Tribunal Superior Eleitoral em Brasília, fazendo do ato de registro da candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva mais um ato midiático. Nas rodas de debates os petistas lembram que nas eleições municipais de 2016 foram registrados 145 candidatos em situação idêntica a Lula e que mais de 70 por cento destes ganharam na Justiça o direito de disputar a eleição, venceram e foram empossados. Exemplo mais claro é do prefeito Clésio Salvaro de Criciúma.

DEDO CATARINENSE
Parte dos desdobramentos relacionados aos registros de candidaturas passa pelas mãos de um catarinense que assumiu ontem, Trata-se do ministro Jorge Mussi, que foi empossado corregedor geral do Tribunal Superior Eleitoral, função que vigia o andamento dos processos dos ministros.

CASO BAUER
A Polícia Federal voltou a fazer buscas em uma construtora de Joinville, citada como uma das destinatárias de parte dos R$ 11,5 milhões que teriam sido pagos pela Hypermarcas ao senador Paulo Bauer, fato que ele nega. A investida da polícia ocorreu nesta segunda-feira sem maiores repercussões no meio político.

SUPLENTES
A assessoria de Paulo Bauer divulgou ontem o encontro dele com o histórico emedebista Cacildo Maldaner e o vice-prefeito de Içara, Sandro Giassi Serafim, também MDB. Ambos são os suplentes na chapa de Bauer.

MOBILIZAÇÃO MDB
Ontem à noite os emedebitas de todo o Estado participaram de mais uma reunião de mobilização do partido visando as eleições. Foi no Hotel Cambirella no estreito em Florianópolis. Exemplo da animação de quem faz política é a selfie feita pelo vereador Mciel Dassoler, de Forquilhinha.

NA CÂMARA
O projeto que altera o horário das sessões ordinárias d Câmara de Vereadores, antecipando das 19h às 17h nas segundas e terças-feiras deve avançar sem polêmica. Por um longo período o assunto manteve enquete na capa da página do Poder Legislativo e a resposta em favor da mudança foi bem superior à manutenção do horário. Se for para a discussão de custos será visto que a troca reduz ligeiramente custos.

HOMENAGEADA
Nesta semana a Câmara de Vereadores de Criciúma homenageou a professora Cristiane Dias, escolhida recentemente uma das dez merecedoras do título principal na 21ª edição do Prêmio Educador Nota 10. O premio é considerado o mais importante da Educação Básica do Brasil. Ela é professora de Língua Estrangeira do 9º ano na Escola Pública Estadual Maria José Hulse Peixoto, Bairro Brasília, em Criciúma.

DAS TEORIAS DA CONSPIRAÇÃO
Existem teses do andar mais abaixo, isto é, entre assessores de políticos, que Eduardo Moreira encerra a carreira com duas cartadas de mestre. Uma delas é não deixar de reconhecer os serviços que lhe foram prestados por Eraldo Peruchi. A outra é que a construção da aliança com o PSDB privilegiou os principais líderes do partido tucano e isolou o seu maior adversário político em Criciúma, o refeito Clésio Salvaro. Eraldo termina no gabinete do governador. Clésio vê o triunfo dos tucanos Paulo Bauer candidato ao Senado, Napoleão Bernardes candidato a vice fortalecendo Dalirio Beber, Leonel Pavan na secretaria de Turismo e Marcos Vieira com caminho trilhado para ser presidente d Assembleia Legislativa a partir do ano que vem.

BOA RELAÇÃO A mesma linha de raciocínio que trata da relação de MDB e PSDB sugere que no sul Giovânia de Sá mantém-se bem posicionada se reeleger-se enquanto Dóia Guglielmi tenta a eleição à Assembleia Legislativa com simpatia de muitos emedebitas.

NO PP Seguindo na teoria da conspiração, a leitura é que o deputado federal Jorge Boeira (PP) não fez esforço para escalar em seu lugar o ex-prefeito Márcio Búrigo, já que Boeira pode pretender em 2020 disputar a prefeitura. Sem Daniel Freitas e sem Márcio Búrigo vira nome mais forte no partido.

COMPARAATIVO Chama atenção o valor com que devem ser pavimentados cinco quilômetros de asfalto no interior de Nova Veneza: R$ 2,6 milhões, que é a metade da média de custo de ruas pavimentadas em outros municípios, onde o valor médio gira na casa de R$ 1 milhão.

AMANHÃ Assim como o ex-presidente Lula, o deputado federal João Rodrigues (PSD) tentará inscrever seu nome como candidato nas eleições. Ambos seguem presos, com a diferença de que o parlamentar apenas dorme na cadeia.

A MÁQUINA Uma das dificuldades que o candidato Mauro Mariani (MDB) terá vai ser explicar como cumprir a promessa de reduzir o número e funcionários se desde que o seu partido assumiu o governo aumentou de 92 mil servidores ativos em maro para 95 mil em julho.

ESQUECERAM O governo atual descobriu, guardado em caixas, vasto material esportivo para criança. São cerca de 1,8 mil conjuntos de uniformes que estão sendo preparados para distribuição. O material comprado com verba pública ficou “encaixotado” e provavelmente esquecido.


FRASE DO DIA
“A Lei da Ficha Limpa foi gestada no ventre moralizante da sociedade brasileira, que está a exigir dos poderes instituídos um basta.”
Rosa Weber, que assumiu ontem como nova presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

Coluna de Terça-feira

access_time14/08/2018 00:23 personJoão Paulo Messer

MAIORES DESAFIOS
A renovação que não é tão renovação, afinal os candidatos à majoritária nunca disputaram esta vaga, não deve ser discurso fácil de aplicar na campanha eleitoral. A duas principais candidaturas já devem ter identificado as suas maiores dificuldades. O resultado disso será percebido apenas a partir de quinta-feira quando a campanha começar de fato. O candidato Márcio Mariani tem como um dos grandes aliados o fato de estratégias antigas em que o numero 15 do partido é amplamente difundido. O fato de disputar a majoritária na maioria das eleições pode ser um dos seus grandes aliados.


O NÚMERO 55
Um dos desafios dos marqueteiros do candidato Gelson Merísio será em menos de 55 dias colar o número 55 na mente do eleitor catarinense. Este é o maior desafio, já que o jogo ficou igual em termos de candidatos da majoritária. Nas últimas duas eleições o 55 ficou selado na urna como vencedor, mas hoje é o 15 que aparentemente figura mais fácil por conta do histórico.

NÚMEROS
De hoje até a eleição do primeiro turno em 7 de outubro faltam 54 dias, que na contagem dos políticos significam 1.296 horas, ou então 77.760 minutos. Amanhã termina o prazo doo registro de candidatura e quinta-feira começa de fato a campanha. No dia 31 de julho inicia a propaganda eleitoral no rádio e na televisão.

SÓCIOS
O PSDB se apressa em colher resultados da aliança com o MDB que é governo. O prefeito Clésio Salvaro, fez uma reunião na sede do partido em Criciúma, sábado, deixando evidente que os tucanos esperam ser tratados como amigos do governo. Ontem o prefeito de Nova Veneza esteve cedo no gabinete do governador Eduardo Moreira e arrancou a garantia de R$ 2,6 milhões para pavimentação de uma rodovia no interior do município.

LEODEGAR
Só hoje será consolidada a substituição do candidato do PP à Câmara Federal. Depois de Jorge Boeira sair mesmo do jogo e de Ângela Panatto Ghilandi ter recusado o convite para ficar com seu legado eleitoral, Leodegar Tiscoski que já foi deputado federal aceitou o que ele classificou de desafiou imposto pelo partido no Sul. Ele será o candidato.

DA BAGAGEM
Ao aceitar o desafio de ir à disputa de deputado federal como num chamado do partido Leodegar Tiscoski deve ter amarrado bem não só a campanha, mas um possível cenário futuro. Ele tem 42 anos de vida pública e além dos mandatos de deputado estadual e federal e da atuação em secretarias estratégicas do governo foi presidente estadual da sigla nos melhores momentos do partido, como quando o PP ganhou a eleição para governador e prefeitura da capital.

NA CÃMARA
A Câmara de Vereadores de Criciúma começou ontem o processo de mudança dos horários das sessões. Atualmente as sessões ordinárias começam às 19h, sempre nas segundas e terças-feiras. As datas seguem sendo estas, mas as reuniões começariam mais cedo: 17h. Pesquisa feita no site oficial da Câmara aprova a mudança.

NA ÁREA DE MARINHA
Moradores do Sul, mas proprietários de áreas na ilha de Florianópolis andam apreensivos com as decisões da Justiça. Na última sexta-feira, como num pacote do dia dos pais, a Justiça Federal determinou a demolição de dezenas de construções na área de marinha na ilha: Campeche, Lagoa da Conceição e Ribeirão da Ilha. Só neste ano já foram consumadas 200 destruições, entre áreas invadidas ou não. Essa novela é antiga. Proprietários da praia da Galheta no Sul do Estado que o digam. Já longe dali se diz que o problema nunca vai se resolver e que até que aconteçam algumas destruições muitos contratos de defensores e reeleições de políticos ainda vão acontecer.


SE FOSSE O ex-prefeito Márcio Búrigo estava na espreita da possibilidade de ficar com a vaga de Jorge Boeira, embora tivesse vacilado em algumas consultas recentes. Pessoas próximas a ele admitiam ontem, que se Ângela Ghislandi disse não e Leodegar Tiscoski não fosse candidato ele iria. Já no núcleo do partido não é o que consideravam.

ACREDITO NÃO O Secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande saiu de uma entrevista à rádio Eldorado, em que detalhou prazos do plano para fazer funcionar o Hospital Materno Infantil Santa Catarina até o fim do ano. A reação da massa de ouvintes foi quase unânime de que se trata de promessa que vale até as eleições.

TEM HISTÓRICO A desconfiança de que a promessa de execução do projeto do Hospital Materno Infantil Santa Catarina seja “fogo de campanha eleitoral” tem razões de ser. Só esta obra vem sendo prometida desde o fim da década de 1990, coincidentemente com alguns mesmos personagens.

POLENTADA Os desdobramentos da eleição estadual em Nova Veneza devem ser os mais intensos possíveis. Tanto no PSDB como no PP o processo estadual pode ter provocado uma oxigenação. Não será surpresa se a eleição de 2020 no município tenha como candidatos jovens como Ângela Panatto Ghislandi (PP) concorrendo com Aroldo Frigo Júnior (PSDB).

NA COZINHA A verdade é que Ângela Ghisandi vem sendo “cozinhada em banho-maria” por líderes do PP existe um bom tempo e a chance da visibilidade de uma quase candidatura a deputada federal colaborou com isso. Já Aroldo Frigo Júnior foi “fritado” pelo PSDB.

AMANHÃ Assim como o ex-presidente Lula, o deputado federal João Rodrigues (PSD) tentará inscrever seu nome como candidato nas eleições. Ambos seguem presos, com a diferença de que o parlamentar apenas dorme na cadeia.

A MÁQUINA Uma das dificuldades que o candidato Mauro Mariani (MDB) terá vai ser explicar como cumprir a promessa de reduzir o número e funcionários se desde que o seu partido assumiu o governo aumentou de 92 mil servidores ativos em maro para 95 mil em julho.


FRASE DO DIA
“Precisamos somar força para aumentar a nossa força de representação. Acho que agora chegou a hora de criar posições para ocupar maior espaço. Tem que ter proposta. É hora de deixar os objetivos pessoais de lado para fortalecer a representação, mas com clareza de objetivo.”
Olvacir Bez Fontana, presidente do Sindicato da Construção Civil comentando a necessidade do setor empresarial buscar representatividade.

Coluna de Segunda-feira

access_time13/08/2018 00:23 personJoão Paulo Messer

CHEGANDO A HORA DO ELEITOR
Inicia hoje a semana da burocracia eleitoral. Ainda não chegou a vez do eleitor. Isso fica para quinta-feira, dia 16, que é quando os registros tiverem sido feitos no Tribunal Regional Eleitoral. Só então, de mão da homologação as candidaturas comecem a campanha. As majoritárias devem registrar entre hoje e quarta-feira os seus planos de governo, peças interpretadas pelos eleitores como de ficção. Até o momento apenas o PSOL e o PSL registraram suas candidaturas. As dúvidas sobe a lista de candidatos, entretanto, podem permanecer até 30 dias antes da eleição, que é até quando os partidos podem preencher as chamadas “vagas remanescentes”.

ESTÃO FORA
Dos 16 deputados federais, sete – ou oito - não voltarão à Câmara Federal com certeza. A dúvida é sobre João Rodrigues (PSD), que está preso e tende ser considerado inelegível. Outros sete têm caminhos diferentes. Décio Limas (PT) e Mauro Marini (MDB) são candidatos a governador; João Paulo Kleinubing (DEM) é candidato a vice-governador; Esperidião Amin (PP) e Jorginho Mello (PR) são candidatos ao Senado; César Souza (DEM) e Jorge Boeira não concorrerão mais.

NA EDUCAÇÃO
Pode haver surpresa no Governo Municipal de Criciúma nesta semana. A Secretária de Educação, Roseli De Lucca Pizzollo, que está na Europa retorna quarta-feira e anuncia se fica ou não no cargo. Isso porque ela agora é dona de uma cadeira na Câmara de Vereadores, com a cassação de Moacir Dajori. Roseli estaria disposta a ficar na Câmara. Se sair a sua gerente administrativa Cristiane Uliana Fretta deve assumir.

PROMESSA ANTIGA
O Hospital Materno Infantil Santa Catarina existe no nome e no projeto desde o fim da década de 1990, quando o governo era do MDB e o Secretário Municipal de Saúde, Acélio Casagrande. De lá para cá houve avanços apenas na construção da UTI Neo-Natal, graças a um passo dado pelo prefeito interino da época, Sérgio Pacheco, que provocou o Ministério Público que obteve êxito quando Anderlei Antonelli assumiu a prefeitura.

ESPERANÇA
Mais de vinte anos após ser idealizado como Hospital “de fato” o Materno Infantil Santa Catarina pode se tornar realidade até o fim do ano. É o que está encaminhado pelo agora Secretário de Estado da Saúde, Acélio Casagrande e o prefeito Clésio Salvaro. Os primeiros procedimentos burocráticos foram publicados no Diário oficial do município semana passada. Até setembro seria tudo com a prefeitura, e de outubro a dezembro ações divididas. Em janeiro de 2019 tudo com o Estado e o hospital funcionando.

PREÇO DO 15
Um dos preços que o prefeito Clésio Salvaro paga para ter inaugurado um hospital em sua gestão é colar o “15” no peito. Ele sempre foi adversário político, e em certas ocasiões jurídico, do MDB. Na convenção do seu partido foi voto vencido e o PSDB coligou com o MDB. Do limão parece que lhe resta a limonada.

SIMPLES ANOTAÇÃO
Junto com Glauco Corte – que deixou a presidência da FIESC na última sexta-feira – foi boa parte da esperança do setor empresarial do Sul. Se antes o Sul já estava em desvantagem, agora tende sofrer mais, apesar de estar bem representada, mas em cargos menos importantes. Se a região não se impuser na representação política empresarial seguirá coadjuvante como na política partidária.

OPERAÇÕES POLÍTICAS
A arte da política revela faces inacreditáveis para o cidadão comum. Uma delas é a construção que vem sendo feita nos bastidores, desde já. Não sabemos ainda quem serão os 40 deputados estaduais eleitos, mas a cadeira de presidente da Assembleia Legislativa já está sendo “mapeada”. Leitura “das internas” indica que Marcos Vieira, aquele que dizia que o PSDB tinha projeto e sabia onde queira chegar, estaria mapeado com apoio do MDB para ser o presidente. Só o tempo dirá se isso é fato ou fake. O fato é que Vieira é um dos mais hábeis construtores da política catarinense. Hoje, óbvio, o fato precisa ser interpretado com reservas pelo leitor, mas é uma informação forte dos bastidores. A leitura óbvia é que se o PSDB tivesse tido candidatura própria Vieira dificilmente chegaria à presidência da Assembleia. Assim, PSDB vice do MDB tinha como alvo mais do que as vagas de vice-governador e senador.


EM TESE Leonel Pavan (PSDB) vai assumir a Secretaria de Turismo de Santa Catarina nos próximos dias. É mais um tucano contemplado pelo plano 60 (soma de 45 + 15). Assim, a rigor, só um tucano ficou na frigideira do óleo 60: Clésio Salvaro, de Criciúma, que sabidamente defendia chapa pura ou aliança com o PP.

“REAÇÃO” Não só presenciei como senti “na pele” o fato que testemunha que Paulo Bauer “entrou no pacote” numa costura para o PSDB ficar com o MDB. Ele parecia incomodado com o risco, quando logo após a convenção respondeu agressivamente quando lhe perguntei se o que acabara de dizer: “que a cabeça de chapa do PSDB era inegociável”, deveria ser interpretado como ponto mais importante da sua fala.

REVIDOU A pergunta naquele momento respondida com tom de agressão pelo senador que acabava de ser homologado candidato a governador era na verdade a melhor sentença que consegui fazer até agora sobre a eleição. Incomodou porque ele sabia de planos outros dentro do partido.

POLENTADA Os desdobramentos da eleição estadual em Nova Veneza devem ser os mais intensos possíveis. Tanto no PSDB como no PP o processo estadual pode ter provocado uma oxigenação. Não será surpresa se a eleição de 2020 no município tenha como candidatos jovens como Ângela Panatto Ghislandi (PP) concorrendo com Aroldo Frigo Júnior (PSDB).

NA COZINHA Ângela Ghisandi vem sendo “cozinhada em banho-maria” por líderes do PP e a chance da visibilidade pode ter chegado com uma candidatura a deputada federal. Já Aroldo Frigo Júnior foi “fritado” pelo PSDB.

DIA 15 Assim como o ex-presidente Lula, o deputado federal João Rodrigues (PSD) tentará inscrever seu nome como candidato nas eleições. Ambos seguem presos, com a diferença de que o parlamentar apenas dorme na cadeia.

A MÁQUINA Uma das dificuldades que o candidato Mauro Mariani (MDB) terá vai ser explicar como cumprir a promessa de reduzir o número e funcionários se desde que o seu partido assumiu o governo aumentou de 92 mil servidores ativos em maro para 95 mil em julho.


FRASE DO DIA
“Estamos coligados com Deus e com a voz do povo, nas ruas.”
Lucas Esmeraldino, presidente estadual do PSL de Jair Bolsonaro, explicando porque o partido rejeitou coligações com alguns partidos.

Coluna do Fim de Semana

access_time11/08/2018 00:23 personJoão Paulo Messer

CAMPANHA SÓ DIA 16
Uma semana após as convenções nem todas as listas de candidatos estão fechadas. As últimas atas devem ser entregues na semana que vem quarta-feira, que é até quando podem ser feitos os registros de candidaturas. É resultado do que aconteceu no final da semana passada, quando convenções tiveram que ser costuradas. A lista fechada foi só a principal, ou seja, os candidatos a governador, vice e quase todas as vagas do Senado. Os candidatos só podem fazer campanha – pedir voto – a partir da próxima quinta-feira, dia 16, que a partir de quando começa a chegar o material de campanha.

DOS PRAZOS
Os partidos políticos tiveram até 24h após as sus convenções para entregar a ata destas reuniões, sendo que todas ficaram com espaço aberto a possíveis mudanças. Agora todos têm até o dia 15 para entregar o preenchimento de vagas, mas existe a possibilidade de deixar vagas em aberto até 30 dias antes da eleição para preencher possíveis vagas remanescentes.

COM O GOVERNADOR
Nesta sexta-feira, antes de viajar para Criciúma onde cumpre agenda em vários eventos, entre eles o último debate antes de ser oficialmente iniciada a campanha de fato, o candidato Mauro Mariani esteve ao lado do governador Eduardo Moreira na sede da FIESC para a solenidade de posse da nova diretoria.

COM A EQUIPE
O candidato a governador Gelson Merísio passou boa parte da sexta-feira, reunido com representantes dos partidos que apoiam a sua candidatura. Os ajustes finos estão sendo feitos para quando for possível “cair na estrada” para buscar o voto. Notório que uma das estratégias será apostar na base ampla e no apoio de personagens como os ex-governadores Esperidião Amin e Raimundo Colombo.

CARTA DO GAVAZONI
Um dos movimentos de maior repercussão neste momento da pré-campanha eleitoral foi feito nesta sexta-feira pelo ex-Secretário de Estado da Fazenda, Antônio Gavazzoni. Homem estratégico trazido para o governo pelo então governador Luiz Henrique da Silveira, e desde então um dos mais influentes, ele distribuiu uma nota explicando porque vota em Gelson Merísio. O documento deve ter grande repercussão.

COMUNIDADE ITALIANA
O deputado estadual Cleiton Salvaro (PSB) abraçou em Santa Catarina a instalação de um consulado da Itália, ferramenta que facilita a vida não só dos italianos que vivem no Brasil, mas principalmente os descendentes de italianos, além de abrir outros caminhos de relação entre as nações. Nesta semana foi confirmada a primeira informação real do governo italiano para que isso ocorra.

AGILIZAÇÃO
No final do ano passado o deputado Cleiton Salvaro esteve ao lado da parlamentar italiana Renata Bueno para reivindicar ao governador Raimundo Colombo um prédio no centro da capital para instalação da unidade. O parlamentar abraçou um projeto que já havia cinco anos. Passo seguinte viajou à Itália onde tratou com o governo italiano, em nome do parlamento catarinense, da liberação de equipamentos e pessoal para viabilizar a unidade. Nesta semana estes equipamentos chegaram ao Brasil os primeiros equipamentos.

REPOSTA À BEBEL
Quando era primeira dama do município de Criciúma Isabel Grijó Búrigo, esposa do prefeito Márcio Búrigo (PP) baixou determinação segundo a qual nenhum político poderia visitar os clubes de mães e de idosos coordenados pela AFASC. Nesta sexta-feira o prefeito Clésio Salvaro (PSDB) parece ter dado uma resposta indireta à ex-presidente da entidade. Ele levou ao seu gabinete a direção atual da AFASC e convidou os deputados de todos os partidos, ou seus assessores, e anunciou que não só estes locais como inclusive as escolas estão abertas a todos, indiferentemente de sigla partidária. O prefeito rechaça a ideia de que o seu ato tem a ver com a atitude da esposa do seu antecessor, mas ficou evidente.


QUEM DIRIA Clésio Salvaro e Eduardo Moreira tiveram nesta quinta-feira o primeiro encontro depois que seus partidos, PSDB e MDB, coligaram. Adversários na política em alguns processos judiciais, os líderes do sul qe chegaram a se tratar como “Abutre” e “Demônio” parecem bem sintonizados.

BASE ALIADA A aliança MDB e PSDB faz ampliar a base de apoio ao prefeito Clésio Salvaro na Câmara de Vereadores. Ele passa a contar com os votos dos cinco vereadores do seu partido (PSDB), os três do partido do vice-prefeito Ricardo Fabris (PSD) e agora também os cinco do MDB. Há de se considerar que a negociação com os demais se dá no corpo-a-corpo.

TÁ FORA O vereador Moacir Dajori (PSDB), cassado pela Justiça, já não está mais na Câmara desde a semana passada. Observa-se ainda que os dados e a foto dele foram removidos imediatamente do site oficial do Poder Legislativo.


FRASE DO DIA
“Em 2014 eu fui proibido de visitar os Clubes de Mães, em 2016 isso se repetiu. Quero dizer que o prefeito não é dono destas instituições. Sintam-se a vontade para visitar estes locais e façam como sugere a democracia”.
Clésio Salvaro, prefeito de Criciúma, anunciando a todos os candidatos a deputado que não há restrições às visitas dos políticos a locais da administração municipal.

Coluna de Sexta-feira

access_time10/08/2018 00:34 personJoão Paulo Messer

MOVIMENTOOS ERRADOS
Se for para relacionar políticos que jogaram errado nestas eleições, a relação é enorme. Em particular para o Sul do Estado os seus dois principais líderes, Eduardo Moreira e Clésio Salvaro, entram na lista. Mesmo sendo governador EM não conseguiu se garantir candidato e mediante eminente risco de derrota no partido preferiu antecipar sua aposentadoria para o final deste ano. CS teve a oportunidade de aventurar-se à majoritária num passo que seria audacioso ao extremo, bem ao seu estilo, se tivesse renunciado para ficar apto a compor chapa majoritária. As circunstâncias revelaram que se tivesse feito isso seria candidato a vice-governador com reais condições de ganhar. Como não tem “bola de cristal”, nem quis apostar no que parecia pouco provável, pode ser empurrado para o fim da fila, se Napoleão Bernardes consolidar-se principal liderança do PSDB.

AS SIGLAS
Partidariamente duas siglas falharam feio no Estado: PP e PSDB. Ruim é que nos bastidores de ambos correm especulações de que o coletivo perdeu, mas individualmente algumas peças ganharam. Óbvio, no centro destas especulações estão os presidentes condutores das conversas.

A ÂNGEL DA VEZ
É no PP, é federal e é Ângela, mas não é Amin e sim Ghislandi. A personagem da vez é jovem talento local de potencial admirado há tempos, mas não testado nas urnas. Refiro-me à filha do empresário Sanciro Ghislandi, um progressista juramentado que nos últimos tempos tem se mostrado bem relacionado com líderes de outras siglas também e que nunca escondeu o desejo de ver a filha brilhar na política.

FEDERAL
Ângela Panatto Ghislandi foi convidada pelo deputado federal Jorge Boeira (PP) para ocupar o seu lugar na disputa por uma vaga à Câmara dos Deputados. Teria à sua disposição toda a estrutura e área de atuação já ocupada pelo parlamentar. Uma oferta tentadora como admitiu o pai dela. Seu nome deve ser oficializado candidata a deputada federal.

NA VENEZA
Se a filha do empresário Sanciro Ghislandi disputar vaga à Câmara Federal e não obtiver sucesso o caminho estará pavimentado para disputar a prefeitura em 2020. Isso tem alguns significados. Um deles é que o ex-prefeito Gava (PP) estará definitivamente fora do processo. O outro é que sua candidatura pode provocar no PSDB – principal rival – outro tipo de investida, como buscar igualmente um jovem candidato.

TUCANATO
O cenário político de Nova Veneza pode estar se antecipando para 2020. O vereador Aroldo Frigo Júnior (PSDB) ensaiou candidatura a deputado estadual, mas acabou ficando fora. Resta saber se foi por fritura providencial ante a possibilidade de estar surgindo uma nova liderança ou se só ensaiou para marcar espaço. Nos arredores das mesas do jogo de “mora” já se pode ouvir teses à respeito.

JOGO DUPLO
O movimento praticado pelo deputado Jorge Boeira, em abrir mão da vaga de candidato a deputado federal para permitir o acesso à cena política de uma jovem liderança de Nova Veneza pode não ser jogada individual. Com este movimento Boeira pode estar se cacifando à disputa da prefeitura de Criciúma em 2020 em campanha vizinha à de Ângela em Nova Veneza.

SUPLENTES
Desta vez a figura de suplente se senador ganhou maior visibilidade no processo de seleção dos candidatos. Enquanto Paulo Bauer teve dificuldades para escolher os seus, Jorginho Mello (PR) anunciou logo a viúva do ex-governador Luiz Henrique da Silveira, Ivete da Silveira (MDB) e o ex-prefeito de Imbituba e ex-deputado Beto Martins (PSDB).

MISSÃO MUITO BEM CUMPRIDA
Hoje fecha o ciclo de uma gestão muito competente frente a uma das instituições mais influentes no Estado. Trata-se da FIESC (Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina) e do fim do mandato de Glauco Corte. Tendo priorizado a Educação como foco do mandato ele deixa um trabalho que transformou a instituição. Os avanços em todos os espaços abrangidos pela federação são dignos de registros em recordes, seja de gestão financeira, pessoal, patrimonial e institucional. Possivelmente na história da entidade e do Estado não se repetirá tamanho sucesso. O estatuto precisa ser respeitado, por isso ele transmite o cargo hoje para Mario César Aguiar, de Joinville.

BARULHAÇO A operação da Polícia Federal, ontem em Criciúma, causou enorme barulho. Há quem assegure que as relações podem estender tentáculos de relação dos envolvidos com gente do noticiário político.

É DO SUL Na “contabilidade” do noticiário que reclama da ausência de representantes da região Sul na disputa pela majoritária não está entrando o candidato ao senado pelo PSL, Lucas Esmeraldino, de Tubarão.

TAMBÉM É Os petistas também reclamam, pois apesar de passar os últimos anos na capital, o candidato ao senado Lédio Rosa (PT) também é do Sul (Tubarão).

ALDO FORA Na luta contra o câncer o deputado Aldo Schneider (MDB) constantemente pede afastamento das suas funções. Nesta semana fez isso de novo. Como pede licença só por 59 dias segue recebendo o salário

MOTA FORA Outra consequência ao fato da licença de Aldo Schneider ser inferior a 60 dias o suplente não assume. Fosse isso quem seria chamado seria Manoel Mota (MDB) do Sul.

MATEMÁTICA Os estudantes Lucas, Gabriel e Sofia, que representaram Santa Catarina na Olimpíada Internacional de Matemática serão recepcionados hoje pelo prefeito Clésio Salvaro para um café. Eles são alunos da Escola Municipal Jorge da Cunha Carneiro do bairro Próspera. Foram premiados com duas medalhas de bronze e uma menção honrosa na competição disputada na Tailândia, semana passada.

FRASE DO DIA
“Essa coisa da Educação pegou tão forte que hoje eu vou a vários locais e todos me perguntam sobre a Educação. Essa parte da educação marca a nossa gestão."
Glauco Jose Corte, presidente da FIESC, que hoje deixa o mandato.

Coluna de Quinta-feira

access_time09/08/2018 00:03 personJoão Paulo Messer

CASE TEM DIA “D” HOJE
Uma comitiva com dez moradores das comunidades impactadas pela construção da Penitenciária Regional e agora com o CASE, além do prefeito Clésio Salvaro e os vereadores Ademir Honorato (MDB) e Geovana Zanette (PSDB) terão audiência hoje no Tribunal de Justiça na capital. Tratam da inauguração do CASE. O prefeito diz que só dará o alvará quando a comunidade considerar-se atendida nas medidas compensatórias. O Tribunal de Justiça pode endurecer e baixar ato de inauguração pelo fato da obra estar pronta e faltam vagas no sistema de abrigo de menores infratores.

BOEIRA SILENCIA
O Partido Progressista passou o dia de ontem em reunião na capital do Estado, mesmo assim ainda não fechou a lista de candidato a deputado federal. Falta uma resposta do deputado Jorge Boeira (PP), se vai ou não à reeleição. Pelo que se recolheu nas conversas com progressistas, Boeira silenciou. Ainda não disse ao partido se vai ou não. A coluna também tentou, sem sucesso, contato com o deputado.

OPÇÃO
Se o deputado Jorge Boeira (PP) não for candidato a deputado estadual PP terá outro nome, preferencialmente pela região sul. Na lista estão os atuais deputados e o progressista Leodegar Tiscoski, que desde 2006 não participa de eleição. Sua candidatura seria uma espécie de missão partidária, embora os mais otimistas enxergam chances de eleição.

ANGELA E BIEHL
Até ontem o PP confirmava a candidatura de hugo Biehl candidato a deputado federal, mas mantinha dúvidas sobre a candidatura de Ângela Amin, embora a imprensa da capital já dá seu nome como certo na disputa. Tem-se que Jorge Boeira “está fazendo conta”. Na coligação PP e PSD fala-se em até seis deputados federais, o que parece ser otimismo exagerado.

SUPLENTE DO SUL
Só ontem após o meio dia o governador Eduardo Moreira conseguiu encontrar um candidato para a segunda suplência do senador Paulo Bauer (PSDB). Vai ser o vice-prefeito de Içara, Sandro Giassi Serafim. Ele não foi a primeira, nem a segunda opção, mas seu nome teve grande aprovação tanto no MDB como no PSDB. O primeiro suplente será Cacildo Maldaner.

PROTAGONISTA
A Federação Catarinense dos Municípios sempre foi mais institucional do que provocadora, papel mais ou menos igual ao desenvolvido pela Confederação Nacional dos Municípios. Na verdade os prefeitos podem mais. Para isso é necessária liderança. Hoje o presidente da entidade estadual é o prefeito de Itajaí, Volnei Morastoni. O ritmo da gestão tem sido mais intenso que de seus antecessores. Faltam resultados práticos.

NA FILA
O atual prefeito de Tubarão Joares Ponticelli (PP) não esconde seu desejo de presidir a Federação Catarinense dos Municípios. Aos interlocutores que conhecem o seu desejo ele tem se limitado a responder que “tudo se dará ao seu tempo”. Só o fato de prefeitos enxergarem a entidade com a força que ela tem – representa os prefeitos dos 295 municípios – já é salutar. O que não vale é promover marchas sem resultado algum, como tem sido.

NA ESTRATÉGIA ESTADUAL
O governador Eduardo Moreira fará uma reunião hoje à noite para apresentar a vários setores do MDB o sulcatarinense Eraldo Peruchi, incorporado à administração estadual desde a última sexta-feira. Fiz referência ao assunto na coluna de ontem. Não existem informações sobre que peso ele terá na equipe da majoritária, onde já foi anunciado Tufy Michereff Neto, de Joinville, como coordenador regional. Não faltam especulações de que Eraldo poderia substituí-lo, o que ligados a Tufy descartam. A verdade é que Eraldo, que sempre esteve nas campanhas do MDB, mas que nas últimas andou muito nos bastidores, e até teve um ligeiro desentendimento com o governador Eduardo Moreira, hoje está de volta com força total.

DESCASADOS Tem-se em meio aos maiores líderes político e marqueteiros que nestas eleições a melhor alternativa será “descasar” candidaturas. E isso não vale apenas para a relação de candidatos a presidente da república com candidatos a governador, mas até mesmo entre candidatos a governador e deputados.

REJEIÇÃO A sugestão de estratégia do “descasamento” é porque os eleitores estão mais seletivos. As siglas partidárias já não atestam mais os votos do eleitorado.

ARGUMENTOS Entre os argumentos que teriam sido usados pelo governador Eduardo Moreira para convencer políticos a assumir a vaga de segundo suplente de senador é que se Geraldo Alkmin (PSDB) vencer a eleição Paulo Bauer pode virar Ministro e que Cacildo Maldaner estaria disposto a abrir mão da vaga.

FORA Na lista candidatos a candidato a suplente do Senado na vaga de Paulo Bauer, havia, pela ordem: Ronaldo Caressi, Edinho Bez e Ivo Carminatti. Todos declinaram.

LÁ E CÁ Algumas situações curiosas na eleição estão em Criciúma e Nova Veneza, onde os prefeitos são do PSDB e os vice-prefeitos do PSD. Cada um em um palanque nestas eleições para governador.

EM FESTA Desde ontem Urussanga vive a Festa do Vinho, que vai até domingo. Como de praxe a Associação dos Municípios da Região Carbonífera realizou reunião na cidade.

FRASE DO DIA
“Eu não entendo o que ajuda o Estado de Santa Catarina se a gente fizer crítica a ele. Primeiro porque é uma inverdade dizer que ele está quebrado. Atravessa dificuldade sim, mas temos que olhar para frente.”
Gelson Merísio, candidato a governador provocado a responder críticas do seu adversário Mauro Mariani que falou e estado destruído administrativamente.

Coluna de Quarta-feira

access_time08/08/2018 00:23 personJoão Paulo Messer

MDB QUER A MÁQUINA
Se o candidato Gelson Merísio construiu a maior coligação – em número de partidos – os emedebistas não puxam apenas a calculadora para somar o que eles consideram ser o exército que deve trabalhar em favor da candidatura de Mauro Mariani. Remontam a uma velha expressão usada no Sul da “máquina mortífera”. Sugerem que se deve medir a força dos cabos eleitorais, como o fato dos partidos coligados comandarem cidades como Joinville, Itajaí, Florianópolis e Criciúma. Contam ainda os três senadores catarinenses e a maioria dos deputados estaduais e federais. São as armas apresentados à guerra eleitoral. Por este quadro é que a oposição, embora mais numerosa em número de partidos, menor em potencial político eleitoral, deve adotar um discurso de renovação ou mesmo invocar a luta de Davi e Golias.

A COLIGAÇÃO
A coligação liderada pelo candidato a governador Mauro Mariani terá nove partidos: MDB, PSDB, PR, PPS, PTC, PTB, DC, PRTB e Avante. A chapa terá 107 candidatos a deputado estadual e 79 candidatos a deputado federal. Os nove partidos da coligação somam juntos 1.439 vereadores eleitos e mais de 150 prefeitos, além de vice-prefeitos, três senadores, 15 deputados estaduais e nove federais.

PROPORCIONAL
Na composição proporcional, para Federal, MDB e PR contam com 17 candidatos. PSDB, PPS, PTB e DC terão 24 candidatos. Já as siglas Avante e PRTB, 14 candidatos, e o PTC, 24 candidatos. Para Estadual, MDB e PSDB terão 58 candidatos. PR, PPS, PTB, DC, PRTB, Avante e PTC somam 49 candidatos.

CONVOCADO
Tufi Michereff, que havia sido indicado pelo deputado Mauro Mariani para assumir a Secretaria de Estado do Turismo Cultura e Esporte foi “chamado” para outra missão. Ele vai comandar a campanha a governador. O presidente da Santur, Valdir Walendowski, que é de um time da velha-guarda do turismo, assume a pasta temporariamente.

APOIO A MERÍSIO
A coligação de Gelson Merisio (PSD) para as eleições deste ano terá o maior número de candidatos nesta eleição. São 89 candidatos a deputado federal na aliança, na disputa para as vagas na Câmara dos Deputados, e 197 candidaturas a estadual, para as cadeiras da Assembleia Legislativa.

PARTIDOS
A aliança construída pelo PSD e mais 14 legendas em Santa Catarina, para a candidatura de Gelson Merisio a governador, contará em todo Estado com o apoio de 124 prefeitos, 1238 vereadores e 125 vice-prefeitos.

FORÇA PRINCIPAL
Na Alesc, a coligação concentra um bloco de 20 parlamentares eleitos, do total de 40 cadeiras. São nove do PSD, quatro do PP, dois do PSB, dois do Podemos, um do PSC, um do PDT e um deputado do PCdoB. Na Câmara dos Deputados, em Brasília, os partidos aliados tem cinco das 16 vagas. E não tem hoje nenhum senador.

RECONHENDO O ESTRATEGISTA
Na reta final de sua carreira política o governador Eduardo Moreira nomeou para ocupar espaço estratégico ao seu lado no gabinete, até o final do mandato dia 31 de dezembro, uma das figuras mais importantes na construção do PMDB, especialmente no sul do Estado, mas também “por toda Santa Catarina”. Trata-se do estrategista Eraldo Peruchi. Homem de bastidores, polêmicos às vezes, respeitado sempre por aliados e adversários, ele vinha atuando como mentor do governo municipal do Balneário Rincão de fato, mas lotado no gabinete do deputado federal Ronaldo Benedet, com quem sempre trabalhou. Eraldo é ídolo não só dos emedebistas e carregou o partido a muitas glórias. Por isso virou alvo preferido da oposição em diversas ocasiões. Possivelmente o gesto de nomeá-lo para atuar ao seu lado no governo, seja um dos maiores atos partidários de Eduardo Moreira.

SEGUE PRESO Contrariando uma quase certeza que havia entre os mais próximos ao deputado federal preso João Rodrigues (PSD), a 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal (ministros: Luiz Roberto Barroso, Luiz Fux, Rosa Weber, Alexandre de Morares e Marco Aurélio Mello), negou recurso jurídico que lhe daria liberdade. Ele segue preso à noite e nos fins de semana e na Câmara dos Deputados durante o dia.

ÚNICO No meio politico, inclusive entre os adversários, a condenação dele é considerada descabida. Ele foi julgado nos últimos dias da prescrição de um processo com origem num caso em que ele assinou a compra de uma máquina feita pelo prefeito da cidade de Pinhalzinho, quando Rodrigues assumiu o governo de forma interina.

BAIXA O atual presidente a Assembleia Legislativa (licenciado), Aldo Schneider, que segue internado para tratamento de um câncer no hospital da Unimed em Balneário Camboriú estaria avaliando a possibilidade de abrir mão da reeleição. A informação é do portal de noticias SC em Pauta.

PRIMEIROS O primeiro registro de chapa foi feito ontem pelo PSOL. São candidatos a governador Leonel Camasão (PSOL) a vice Carol Bellaguarda (PCB).

Coluna de Terça-feira

access_time07/08/2018 00:34 personJoão Paulo Messer

PELO VOTO REGIONAL
Depois que a região Sul ficou fora de todas as composições majoritárias passou a crescer de importância à representação politica a campanha do voto regional para os deputados estaduais e federais. Através do parlamento pode ser assegurada a vigilância necessária para que a região não sofra prejuízos. Existe um projeto estadual da Federação das Associações Empresariais que defende o voto regional em todo o Estado. Há de se prestar atenção na composição de uma bancada forte. Só isso pode amenizar os inevitáveis prejuízos com a ausência na majoritária. O apelo da campanha e das instituições é para que haja o menor número possível de voto dados a deputados de outras regiões.

OLHO NO FUTURO
Um café da manhã hoje as 8h30min na ACIC será ponto para apresentação de nova edição da ExpoMais. O projeto acontece na ACIC com a cocriação entre entidades empresariais e instituições educacionais aliadas ao desafio de proporcionar momentos únicos de conhecimento, que navegam entre os conteúdos apresentados pelos seus palestrantes. Participam: ACIC, CDL de Criciúma, Esucri, IFSC, Satc, Sebrae, Senac, Senai e Unesc.

MATEMÁTICA
Os alunos que representaram Criciúma na Olimpíada Internacional de Matemática na Tailândia retornam amanhã ao Brasil. A etapa foi concluída ontem. Eles foram premiados com medalha de bronze para Gabriel Domingos Zanoni e Sofia da Silveira Joaquim, enquanto o aluno Lucas Rodrigues conquistou menção honrosa.

NACIONAL
Os alunos Alaércio Marques Junior e Vitor Silvano Fostes de Azambuja do primeiro ano do curso de manutenção e informática do programa Mediotec do Cedup em Criciúma, participam de hoje até sexta-feira, em Brasília, de um evento nacional voltado a projetos de inventos. Eles são orientados pelo professor Alexander William Spritze e criaram uma bengala equipada eletronicamente para auxiliar deficientes visuais.

AMOSTRA
O projeto da bengala eletrônica para deficientes visuais, criado no Cedu em Criciúma, foi apresentado ontem ao Secretário-Adjunto de Estado da Educação, Gildo Volpatto. Os alunos e professor foram acompanhados pela gerente regional de Educação professora Juceleine Fernandes e a coordenadora do Mediotec, Vera Lúcia Rodrigues Correa.

PRORIDADE
O setor de Educação nem sempre é prioridade quando se trata da liberação de recursos. Existem dois exemplos das atuais legislaturas que se pode relacionar como compromisso com a educação. O deputado federal Jorge Boeira (PP) apostou a maior parte das suas emendas parlamentares na UFSC e Instituto Federal. Já do Estado o deputado estadual Cleiton Salvaro destinou R$ 500 mil para escolas estaduais da região de Criciúma.

VEZ DA PROPORCIONAL
Depois do fechamento das coligações nas chapas majoritárias ontem foi dia dos líderes partidários fazerem as costuras para criar caminhos para as eleições dos seus deputados, seja na eleição para estadual ou federal. É por este caminho que alguns políticos conseguem guardar espaço, enquanto outro com mais votos não garantem eleição. As composições só devem ser divulgadas nos próximos dias, mas esta é uma das etapas mais importantes para os deputados.


CASSADO A Câmara de Vereadores de Criciúma consolidou ontem o processo de cassação do vereador Moacir Dajori, como determinou a Justiça. Ele já não participou da sessão desta segunda-feira. É aguardado o retorno da suplente Roseli De Lucca Pizzolo para ser notificada. Assim que ela se licenciar o terceiro suplente Marcos Meller assume.

PALANQUE Entendimento de setores do PSDB é de que pouco adianta dois palanques para Geraldo Alkmin em Santa Catarina. Isso porque o PSDB é vice de Mauro Mariani num palanque enquanto o outro palanque tem o PP da candidata a vice Ana Amélia Lemos. Tucanos consideram que necessitavam o “45” na televisão e isso não vai acontecer.

CAIU Uma das maiores derrotas eleitorais quem sofreu, nesta eleição, foi o atual candidato ao Senado, Paulo Bauer (PSDB). Tivesse tido a habilidade de construir a chapa em que fosse cabeça de chapa, numa disputa que tivesse Gelson Merísio de um lado e Mauro Mariani de outro, poderia ter surpreendido como “tercius”. No cenário atual vai ter que brigar para ser senador.

AVISADO Tucanos não pode reclamar que ficaram fora da cabeça de chapa, pois a construção vinha acontecendo. Desde sempre havia um grupo que era dado como alinhado ao MDB. Não foi coincidência que este segmento abandonou Bauer na reta final deixando-o com a “vaga consolação”.

TAXI Uma nova forma de pegar o taxi em Criciúma já atua com o serviço de carros particulares concorrendo com o Uber. O aplicativo para passageiros da 99 traz a cotação da corrida em tempo real, permitindo que os usuários acompanhem minuto a minuto o valor, evitando possíveis surpresas desagradáveis no final do trajeto.


FRASE DO DIA
“Nós não teremos mais cargos políticos para serem ocupados na proporção que temos hoje. Dos atuais 1,4 mil cargos atuais vamos extinguir 1,2 mil para valorizar os funcionários efetivos.”
Gelson Merísio, numa das primeiras entrevistas após ser confirmado candidato a governador.

Coluna de Segunda-feira

access_time06/08/2018 00:34 personJoão Paulo Messer

FAVORITO, MAS VULNERÁVEL
Ou o MDB ganha a eleição no primeiro turno ou terá todos contra ele no segundo. Na mais demora e conturbada fase convencional dos partidos, foi só no entardecer do domingo, prazo final das definições, que as cartas foram ajustadas ao jogo. MDB e PSDB juntos enfrentam PSD, DEM e PP. As primeiras leituras sugerem a reedição de uma disputa de “arenistas” versus “emedebistas”. O PP teve que entregar a cabeça de chapa e ter apenas uma vaguinha para Esperidião Amin no senado, enquanto do outro lado, o MDB teve que entregar três de quatro vagas para conseguir preservar a cabeça de chapa. O primeiro problema da chapa liderada por Mauro Mariani será contar com a fidelidade dos seus aliados. A chapa de Mariani com Napoleão Bernardes de vice é tão forte que pode ganhar no primeiro turno, mas tão vulnerável que pode perder no segundo.

SITUAÇÃO
Para compor a sua chapa Mauro Mariani teve que primeiro vencer uma guerra silenciosa interna tirando Eduardo Moreira do jogo. Passo seguinte foi a vez de tirar do processo Paulo Afonso Vieira candidato ao senado. A costura com o PSDB foi feita através de interlocutores antigos. O “sim” do PSDB foi o “yes” com soco de punho serrado. Agora é só garantir a fidelidade.

OPOSIÇÃO
A “pedra” no caminho de Gelson Merísio para construção da chapa foi Esperidião Amin. O ex-governador mostrou ao final que tem mais do que o seu PP, tem ascendência inclusive sobre o DEM. O candidato a governador não teve dificuldades para acertar com uma enorme relação de partidos. O que ele precisa agora e combinar com o eleitor.

A GOTA D´ÁGUA
As negociações foram intensas neste fim de semana e só foram fechadas no meio da tarde de ontem. A gota d´água que transbordou em favor do “balde cheio” foi quando Paulo Bauer (PSDB) não encontrou candidato a vice. Convidou Leonel Pavan e Giovânia de Sá, que declinaram Ficou vulnerável e teve que recorrer a lideres como Marcos Vieira e Dalírio Beber simpáticos à aliança com o MDB como plano “B”.

FORÇA
Se analisarmos as três maiores chapas das eleições de Santa Catarina há ampla vantagem da chapa MDB e PSDB, pois são 101 prefeituras, entre as quais seis grandes como Joinville, Jaraguá do Sul, Blumenau, Florianópolis, Itajaí e Criciúma. Já a aliança PSD e DEM com PP têm 61 prefeituras e entre as maiores estão Chapecó, Palhoça, São José e Lages. O PT em 20 prefeituras.

O PP É O AMIN
Como em 2014, neste ano de novo Esperidião Amin fez do PP o que quis, porque quem poderia ter feito do PP o que deveria fazer antes, não o fez. Refiro-me às novas lideranças que não construíram o partido, mas cuidaram dos projetos pessoais. Isso foi feito sob a sombra do PP, que é consequência do vulto Amin. E o vulto Amin é o mesmo que oferece a sombra a todos aqueles que se orgulham de ter um partido forte, que na verdade não é tão forte como parece. Basta o vulto dar um passo para cá, ou para lá, que a sobra deixa todos descobertos.

O GOLIAS
Os progressistas precisam entender que esse vai e vem com o PSD é fruto de uma negociação conduzida por Gelson Merísio. Primeiro era boa para os deputados, depois Amin entrou no jogo e avisou Merisio que não adianta ter o PP, tem que ter Amin. Quando Merisio, até que enfim convenceu Amin e já tinha convencido os deputados, ganhou o PP. Como Amin já tinha relacionado ao patrimônio do PP o DEM de João Paulo Kleinubing, Merísio levou de brinde também o DEM.

BRIGA DE GENTE GRANDE
A disputa ao Senado pode ser ainda mais emocionante que a disputa pelo governo do Estado. Sem menosprezar a força de Jorginho Melo, nem do PT que tem Ideli Salvati e Lédio Rosa, existem três nomes fortes brigando por duas vagas. O MDB que se costuma dizer “elege um poste” tem a indicação de Paulo Bauer que também é o único nome do PSDB e por isso tem potencial de favorito. Esperidião Amin carrega consigo percentual que lhe habilita a qualquer disputa. Raimundo Colombo vem de sete anos de governador, impensável que não tenha amarrado sua eleição ao Senado.

ECO Como nenhum destes últimos dias terminou com certezas absolutas, a noite deste domingo abriu com duas informações que poderiam significar alguma ameaça ao que já estava anunciado.

INTERIOR Uma informação é sobre a indignação que teria tomado progressistas “aminzitas juramentados” sobre o apoio a Gelson Merísio. Este assunto e a lista de candidatos da proporcional provocaram reunião emergencial ontem à noite.

NACIONAL A outra informação é a reação do diretório nacional do PSDB desaprovando a aliança com o MDB na cabeça de chapa. Isso porque os tucanos entendem que ficam sem palanque do “45” em Santa Catarina porque o MDB tem Henrique Meirelles candidato e não pode fazer outra campanha senão para o “15” sob o risco da infidelidade.

SUPLENTE Paulo Bauer candidato a senador na aliança MDB e PSDB vai convidar o ex-prefeito de Turvo, Ronaldo Carlessi para ser o seu candidato suplente.

ACEITOU Ivete Silveira, viúva do ex-governador e senador Luiz Henrique da Silveira aceitou convite para ser suplente de Jorginho Melo (PR).

NO PACOTE Para o MDB desconvidar Carmen Zanotto (PPS), que havia sido convidada para ser vice, foi mais fácil que tirar pirulito de criança.

EXPLIQUEM-SE São muita as “saias-justas” se põem após uma “salada” de siglas como a que acaba de ser composta, mas em Criciúma há uma ainda mais curiosa. Trata-se do palanque que terá Eduardo Moreira e Clésio Salvaro juntos.

FRASE DO DIA
“A aliança MDB e PSDB é auto explicável e isso é fundamental para a gente encarar o eleitor.”
Mauro Mariani, candidato a governador, ontem, após definida a chapa.

Coluna do Fim de Semana

access_time03/08/2018 20:19 personJoão Paulo Messer

PREVISÃO DE “FURACÃO”
A sexta-feira terminou com um cenário de ameaças às convenções já realizadas e às que acontecem neste fim de semana. Houve espaço inclusive para notas classificadas como fake news, que podem se tornar reais, ou seja, neste quadro de incertezas há mentira que pode virar verdade. O que há de fato é que faltam muitas definições para poucas horas. O MDB divulgou no meio da tarde nota reforçando que a convenção deste sábado irá definir Mauro Mariani candidato a governador. Divulgação que pode ter sido uma forma de desconstruir especulações de que Dário Berger estaria entrando na vaga. Mas o maior tumulto estava no PP. Seguidas reuniões de portas fechadas, que invadiram a noite de sexta-feira, estariam tratando do que se cogita seja a possibilidade da retomada da forma original de três partidos que se denominam geneticamente iguais: PSD, DEM e PP.

CHAPA ORIGINAL
É considerada chapa original a formação com Gelson Merísio (PSD) como candidato a governador, João Paulo Kleinubing (DEM) a vice e Esperidião Amin (PP) e Raimundo Colombo (PSD) para o senado. No início havia planos de vaga para o PSDB, o que parece impossível.

PARA GOVERNADOR
Se de fato ocorrer a volta à dita “chapa original” teríamos uma disputa com quatro candidato a governador. Mauro Mariani (MDB), Gelson Merísio (PSD), Paulo Bauer (PSDB) e Décio Lima (PT) além das chapas dos partidos menores.

BICO SECO
O PSDB que concluiu a convenção domingo passado parecia contar certo receber “por gravidade” o PSD, que uma vez incomodado com a decisão de Esperidião Amin lançar-se candidato a governador, poderia procurar outro ninho. Pois agora, se o PSD ganhar a cabeça de chapa e ficar com o PP e DEM, quem fica à deriva é o PSDB, que terá que preencher a vaga de vice que ficou vaga e oferecida ao PSD.

PASSE VALORIZADO
Se confirmar a composição da “chapa original” aumenta a tese de que Esperidião Amin fez toda a manobra com dois objetivos. O primeiro em mostrar sua capacidade de condução do seu partido em intensidade e temo desejado. Outro fator pode ter sido o da “valorização do seu passe”. Este tipo de negociação nunca vai além de mera especulação.

A CENA DO DIA
A série de reuniões de ontem foi tensa. O telefone celular e os contatos externos o tempo todo chamaram a atenção de progressistas que não são da cúpula da decisão, mas que participaram de parte destes encontros. A cena era quase sempre a mesma: alguns minutos de reunião e o telefonema a aluem que estava fora da reunião.

NO MDB
A convenção do MDB, neste sábado na Assembleia Legislativa, não deve ser menos emocionante que os momentos vividos por outros partidos. A sigla é a que tem o maior número de caciques. Nem sempre os que estão na melhor posição, como Mauro Mariani, estão em condições de bater o martelo como melhor lhe convierem as circunstâncias. Mariani deve enfrentar dificuldades para fechar a chapa nas vagas de senador.

NO PR
O PR realiza sua convenção neste domingo às 9h no auditório Antonieta de Barros na Assembleia Legislativa na capital. Em princípio irá confirmar o nome de Jorginho Melo para o Senado na coligação com o MDB e de Jorge Goetten para deputado federal.

NO DEM
O Democratas e outro partido que vive a tensão do vai e vem provocado pelos arranjos e desarranjos em decorrência dos movimentos de Esperidião Amin. João Paulo Kleinubing será homologado candidato neste sábado. Há dúvidas se ele será candidato a vice-governador ou senador.

DAJORI ESTÁ CASSADO
Só nesta sexta-feira é que a Câmara de Vereadores de Criciúma foi notificada da decisão da Justiça que cassou o vereador Moacir Dajori, condenado por uma série de irregularidades. As denúncias apresentadas originalmente iam desde a troca de remédios e fura fila na unidade de saúde 24 Horas da Próspera por votos a exigência de parte dos salários dos seus assessores. O caso foi tornado público por seu ex-assessor Celeni Pacheco, ainda no primeiro mandato do vereador que mesmo assim se reelegeu e cumpria novo mandato.

ATO FEITO Ainda nesta sexta-feira o presidente da Câmara de Vereadores, Júlio Colombo, assinou o decreto de alteração na composição da Câmara. Ocorre que o vereador Moacir Dajori não foi à Câmara e mandou um atestado médico.

NOVO A vaga de Moacir Dajori será ocupada na prática pelo terceiro suplente do PSDB, Marcos Meller. A vaga de Moacir Dajori, de fato, fica com a primeira suplente Roseli De Lucca Pizzolo, que está licenciada para ocupar cargo no Executivo.

É VICE Foi eleito vice-presidente da Câmara de Vereadores de Criciúma, em sessão extraordinária nesta sexta-feira, o vereador Miri Dagostin (PP). Ele ocupa o cargo que ficou vago com a perda do mandato do vereador Daniel Freitas.

REGIONAL Os candidatos a deputado, seja estadual ou federal, estão no trecho como se costuma usar na expressão dos cabos eleitorais. O deputado Cleiton Salvaro (PSB), candidato a reeleição, divulgou nesta semana a adesão e apoio de personalidades como Aloisio Wenssing Mai, empresário, Luzimar Torres que foi candidato aa vereador e Madlson Preve da Silva, dono de uma empresa de publicidade todos de Braço do Norte.

Coluna de Sexta-feira

access_time03/08/2018 00:23 personJoão Paulo Messer

A ÚLTIMA ANTES DA ÚLTIMA
Como em 2014, na última hora o PP pode oferecer o vice de Paulo Bauer (PSDB) e pode não ser Esperidião Amin. Este argumento nasceu ontem, depois que Ana Amélia Lemos (PP) aceitou ser vice de Geraldo Alkmin (PSDB), na eleição presidencial. Esta pode ser a alternativa encontrada por Esperidião Amin, depois de ver que sua investida na convenção do último sábado desajustou o seu partido. Havemos de lembrar que Amin foi o único a dizer que poderia ser vice de Paulo Bauer. Isso não é especulação, mas uma das muitas possibilidades. É difícil – quase impossível – antecipar qual será o desfecho. Restam três dias para os partidos acharem a saída. Não é impossível, embora logicamente pouco provável, que PSDB, PP, DEM e PSD estejam juntos.

DOIS NUM
Teoria forte sugere Gelson Merísio (PSD) como vice de Napoleão Bernardes (PSDB) com Paulo Bauer (PSDB) e Raimundo Colombo (PSD) para o Senado. Na outra chapa estariam Esperidião Amin e João Paulo Kleinubing, de vice ou ao senado, com outras duas vagas a serem preenchidas. Dois palanques para Geraldo Alkmin e Ana Amélia Lemos. Garantia de eleição de dois turnos. No segundo estes dois grupos estariam juntos.

TEORIA DO NOVO
A insistência de Gelson Merísio pedindo ao PSDB a substituição do candidato Paulo Bauer por Napoleão Bernardes vem da orientação dos seus marqueteiros, embora havia especulação de que a sugestão era do departamento jurídico. A tese é que a dobradinha Napoleão e Merísio pode levar a marca do “novo”. Numa disputa entre PP de Amin e MDB de Mariani seria discurso reforçado.

SEGUNDO TURNO
É logicamente praticamente impossível imaginar uma eleição de primeiro turno em Santa Catarina. Se tiver quatro candidaturas: MDB, PP, PSDB e PT é impossível. Deve-se considerar que existem percentuais de votos cristalizados para PP (pessoalizados em Amin), no MDB e no PT.

LAGEANO BRABO
Para a imprensa – como aqui – que reclamavam da passividade do ex-governador Raimundo Colombo, uma situação diferente. Ele tem reagido com discurso no ataque, ou contra-ataque, como nesta semana ante a notícia de que juiz de primeiro grau aceitou denúncia por crime de caixa dois. Acusou a imprensa de “requentar matéria”.

AVISO DADO
Aparentemente nos próximos dias será cumprida a sentença de perda do mandato do vereador Moacir Dajori (PSDB), em Criciúma. Está disponível o despacho do juiz Rento Della Giustina mandando notificar a Câmara sobre a substituição do vereador. Quem assume é Marcos Meller (PSDB). Até ontem a Câmara não havia sido notificada.

SOMBRIO
Caiu como bomba a decisão do Tribunal Regional Eleitoral em cassar mais da metade da Câmara de Vereadores de Sombrio, ontem. São quatro vereadores do MDB e um do PSB. Perdem o mandato porque a coligação não atendeu a exigência de 30 por cento de candidatas mulheres. Havia número inscrito, mas apenas para cumprir a lei. Elas não teriam feito campanha. Toda coligação foi cassada.

DEMORA
O cumprimento da decisão do TRE a respeito da Câmara de Vereadores de Sombrio não é imediato. Cabe recurso e os cinco vereadores que tiveram eleição anulada permanecerão na vaga pelo menos por 30 ou 40 dias. Neste período correm prazos entre recursos e cumprimento da sentença.

AMIN CHAMOU
Todos os progressistas que serão candidatos nestas eleições, homologados ou não durante a convenção do último sábado, devem “se apresentar” hoje na capital. Esperidião Amin mandou chamar para que sejam feitos os ajustes. Pelo visto não são poucos. O partido deve mexer inclusive na chapa majoritária. Uma dests decisões diz respeito ao Sul, já que Jorge Boeira pode não ser mais candidato a deputado federal e M´´arcio Búrigo ocupar a vaga.


BOLSONAROS O MDB estaria buscando atrair os votos de Jair Bolsonaro ao atrair à sua coligação, integrantes do partido dele, o PSL. Difícil acreditar em uma tese desta natureza, especialmente partindo de um dos partidos com os mais experientes políticos. Não há leitura lógica de que correligionários de Bolsonaro sejam capazes de transferir votos. O contrário sim.

TEM TIME Quem pensa que o PSL de Jair Bolsonaro se restringe ao presidenciável e seu eleitorado fervoroso está enganado. Em Santa Catarina o partido tem, além de candidato ao Senado, elo menos 26 candidatos a deputado federal e cerca de 30 candidatos a deputado estadual.

PRAZOS O vereador Daniel Freitas tem nas veias sangue progressista, como alguns companheiros de partido admitem e ele próprio dá a entender. Só foi para o PSL porque ficou sem espaço no PP. Se concorre a deputado estadual bateria de frente com forças como José Milton Scheffer, Valmir Comin e Pepê Colaço. Pra deputado federal bateria de frente com Jorge Boeira. Pois hoje o PP está atrás de um candidato a deputado federal.

ANIVERSÁRIO Ontem o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro comemorou 55 anos. Ele ganhou uma festa surpresa com musicais como dos alunos do Bairro da Juventude.


FRASE DO DIA
“Noticiar um fato ocorrido meses atrás como se houvesse ocorrido hoje, às vésperas do início da eleição, é uma tremenda falta de caráter. É por essas e outras que a imprensa tem perdido credibilidade junto à sociedade. Todas as acusações criminais envolvendo meu nome foram arquivadas pela Justiça. Essa que trata de financiamento eleitoral certamente terá o mesmo destino."
Raimundo Colombo, reagindo às últimas notícias divulgadas sobre os seus processos. Ele alega que é fato antigo um despacho que tem duas semanas.

Coluna de Quinta-feira

access_time02/08/2018 00:34 personJoão Paulo Messer

DA “TRAIRAGEM” AO “GESTO”
A eleição que começou identificada como a da traição pode se transformar na eleição do gesto. Refiro-me aos possíveis gestos que podem ser praticados no PSD e o PSDB, oferecendo nova alternativa às urnas catarinenses. Hoje e amanhã devem se consolidar acordos que deixem o jogo mais claro. O PP radicalizou e pode sofrer o isolamento mais grave. O PSD de Gelson Merísio que tinha apenas um adversário: o MDB, passou a ter dois, desde que foi preterido pelo PP. Resta-lhe a candidatura própria ou aliança com o PSDB. Para isso acontecer o peessedista estaria sugerindo a troca de Paulo Bauer por Napoleão Bernardes. A chapa teria então: Napoleão Bernardes a governador, Gelson Merísio a vice com Paulo Bauer e Raimundo Colombo para o Senado.


OS GESTOS
Gelson Merísio “caiu da mudança” quando foi enxotado por Esperidião Amin, mas não perdeu o rebolado. Ele conversa com o PSDB orientado por sua equipe de marketing. Ela sugere que Napoleão Bernardes significa o novo. Uma chapa do novo enfrentando os velhos MDB e PP é o que o eleitor busca. Já Paulo Bauer, além de expor o risco de uma delação premiada, trás consigo alguns “esqueletos”.

PDT FORA
Enquanto valia o acordo costurado nos gabinetes da Assembleia Legislativa, nenhum outro partido era tão fiel ao grupo de Gelson Merísio quanto o PDT. Depois que este começou a conversar com o PSDB de Geraldo Alkmin, o PDT de Ciro Gomes está procurando o MDB, que e Santa Catarina não é tão Henrique Meirelles assim.

AO SENADO
Ontem se especulava que o MDB poderia oferecer, além de uma vaga ao Senado para Jorginho Mello (PR), uma para o PSL de Lucas Esmeraldino (partido de Jair Bolsonaro) ou para Ana Paulla da Silva, a Paulinha, do PDT. Neste caso há ingrediente de preocupação com a chapa proporcional (deputados). Seria bom para Rodrigo Minotto.

RECADOS
Enquanto Mauro Mariani estaria negociando as vagas ao Senado com Jorginho Mello (PR) ou mesmo outro partido, Paulo Afonso Vieira e Valdir Colatto estão mandando recados pela imprensa. Colatto chegou a distribuir nota oficial negando a possibilidade de abrir mão de vaga ao Senado e alegando que Mariani não teria autonomia para fazer isso. Paulo Afonso falou o mesmo através do microfone da rádio Eldorado.

OS AMINS DO MDB
Se no PP o deputado federal Esperidião Amin tem poder absoluto, de colocar e realocar sem que uma só voz se levante com capacidade para contrapor, no MDB pode-se dizer que existem vários “Amins”. São lideres com capacidade de enfrentar outros lideres. Eduardo Moreira, do alto da condição de governador que o diga. Agora, Mauro Mariani empoderado pelo partido sente resistência na hora de manusear as vagas ao Senado.

COM VEREADORES
Ontem à noite Mauro Mariani esteve em Criciúma para se reunir com o movimento de vereadores, crido inicialmente para apelar pela candidatura de Eduardo Moreira. O candidato mudou e o discurso precisa ser ajustado. A questão é que no MDB a fidelidade costuma absorver bem mudanças de candidatos.

DO FUNDO DO BAÚ
Ao remexer na memória da política descobrem-se fatos não entendidos na época. Diz-se entre caciques sem mais um fio de cabelo escuro, que em 1994, Paulo Afonso Vieira (PMDB) ganhou a eleição por uma destas decisões de última hora. Registra-se que Vilson Kleinubing (PFL) ao renunciar para disputar o Senado passou o cargo ao vice Antônio Carlos Konder Reis (PPR). Este teria perguntado a Esperidião Amin (PPB), se seria ou não candidato a governador. A resposta foi sim. Tivesse sido não, Konder teria renunciado para concorrer (diferente de hoje, a legislação exigia renúncia). Mas Amin concorreu à presidência da república e a esposa Ângela é que disputou com Paulo Afonso. Foi ai que o direitista Konder Reis teria trabalhado do palácio pedindo voto em Paulo Afonso, injuriado com Amin que teria faltado com a palavra.


SAINDO Deve ser anunciado entre hoje e amanhã a retirada da candidatura de Ângea Amin para deputada federal. Pelo visto a família sentiu que “tudo Amin” pode ser demais.

AJUDANDO Ontem a tarde havia líderes do PP sugerindo a Gelson Merísio para que faça coligação com o PSDB.

TÁ FORA Na capital as chamadas “viúvas” de Dário Berger, estariam indignadas desde que o ministro Luiz Fux, presidente do Tribunal Regional Eleitoral avisou que não será tolerada candidatura de condenado em segunda instância.

FANTOCHES Os partidos políticos estão ferindo de morte um dos mais bonitos mecanismos da democracia. As convenções partidárias, que são teoricamente a oportunidade da participação da militância no processo, estão sendo desrespeitada com o expediente da concessão do direito outorgado aos caciques do partido.

DESFRITAR Os partidos estão tendo que “desfritar os ovos”. Refiro-me ao desfazer por decreto o que teoricamente foi aprovado pelo voto dos convencionais.

ORLEANS Que o jornal Diário de Notícias tem o maior alcance e penetração regional os leitores sabem. Existem, entretanto, algumas revelações surpreendentes como a que o diretor do DN, Edson Dassoler tem ouvido de prefeitos, como a grande influência dos veículos nestas cidades. É também o caso de Orleans.

IDOSO As Câmaras de Vereadores já criaram projeto de toda ordem, nem todos com resultado esperado. Tem Câmara Mirim, Câmara da Mulher entre outras. Em Içara estão pretendendo criar a Câmara do Idoso, em que o idoso vive a experiência de ser vereador por oito sessões.


FRASE DO DIA
“Não tenho nenhuma restrição à composição com Jorginho Melo, mas não há sentido o MDB abrir mão de uma vaga ao Senado. Se são duas vagas, que se apresentem dois nomes. Vou à convenção no sábado e não há hipótese de eu não disputar uma das vagas para o Senado .”
Paulo Afonso Vieira, pré-candidato ao Senado, descartando a possibilidade de concordar com apelo que Jorginho Melo estaria fazendo, postando-se como candidato único apoiado pelo MDB.

Coluna de Quarta-feira

access_time01/08/2018 00:23 personJoão Paulo Messer

O PP É MANOBRÁVEL
Depois de mais uma “aminzada”, o PP de 2018 reflete (pensa) sobre 2014, quando também na última hora Esperidião Amin, que vinha assistindo em silêncio seu partido marchar para os braços do PSD num plano suicida sustentado pelo MDB, interviu. Se lá ele corrigiu a rota, desta vez parece ter decidido fazer parte da solução. O PP passa três anos e meio sob a direção de prepostos, mas na reta final é guiado pelo líder maior. Ninguém no PP atingiu tamanho suficiente para enfrentar a plateia numa convenção como a do último sábado. Em 2014 Amin esperou a convenção para subir no palco e corrigir a rota com um discurso inflamado. O que agora se assemelha com 2014, pode ser apenas o que aconteceu após aquela convenção, quando o partido seguiu plano próprio, mas nem os progressistas foram fiéis. Com consequência o partido seguiu comendo na mão do PSD por quatro anos.


BEM PERTO
Não é necessário o progressista do sul se esforçar para lembrar como a militância do PP se portou em 2014. Em Criciúma o prefeito Márcio Búrigo colou no peito o “55” de Raimundo Colombo, aliado do adversário histórico Eduardo Moreira. Tudo em nome da promessa de verbas no montando que começou como de R$ 45 milhões, encolheu para R$ 6 milhões e até hoje não foi pago.

SILÊNCIO
Se na convenção do PP o silêncio do grupo aliado ao PSD foi tamanho a ponto de se ouvir vaias a Gelson Merísio, os murmúrios de corredores indicam que Esperidião Amin terá dificuldades para sustentar o que bancou. Os deputados progressistas não só são cobrados como devedores do PSD, como se sentem assim. Amin tem a decisão, mas como em 2014 não terá o PP.

CONVENÇÕES
A se confirmar algumas manobras previstas pelos imprevistos de algumas convenções, melhor acabar com esta etapa do processo eleitoral. Partidos fecham suas convenções, anunciam resultados, exigem a assinatura dos convencionais, mas o que aparece é algo bem diferente. Convencional virou fantoche e partido propriedade de pequenos grupos. Ainda assim nossa Justiça Eleitoral se gaba de alguns avanços.

SÓ ESPECUAÇÃO
Desde o fim de semana, quando ocorreram as convenções do PP e do PSDB, que “embaçaram” o cenário eleitoral, as informações também reduziram. Por estratégia o silêncio se mantém em todos os partidos, inclusive naqueles que ainda não realizaram ou ainda irão realizar as suas convenções. Raras são as notícias confirmadas, muitas são as especulações vazadas.

MDB SE MOSTRA
Dono de uma reserva eleitoral fiel e considerável, com candidato a governador definido e aliados fielmente alinhados, o MDB emergiu no noticiário eleitoral, seja por necessidade, seja porque o nível das decisões dos aliados ficou rala demais.

AO MDB
Os movimentos especulados ontem são de que uma vez enxovalhado pelo PP e desconfiado com a estabilidade da candidatura do PSDB, o PSD teria procurado o MDB. Pelo menos uma conversa tem testemunhas. Ela foi entre Gelson Merísio e Raimundo Colombo com Mauro Mariani, segunda-feira à noite no Centro Empresarial Ceisa Center, no centro de Florianópolis.

RESTA UM
Aparentemente o caminho menos prejudicial à imagem de Gelson Merísio é ser candidato a vice-governador e Paulo Bauer (PSDB). Da sigla tucana ele ainda não sofreu ataques. Além disso seu correligionário Raimundo Colombo teria espaço e a aliança teria justificativa de origem.

BASTIDORES
SOMANDO EXEMPLOS
Hoje inicia uma das mais belas etapas da Educação da nossa região. E isso se dá em termos de exemplo e incentivo. Refiro-me aos três alunos da Escola Municipal Jorge da Cunha Carneiro, do bairro Próspera (Criciúma), que participam da fase final de uma competição mundial de matemática. Todas as etapas anteriores foram vencidas pelos três alunos e a final será realizada em Bangkok entre os dias 4 a 7 de agosto. Os alunos que representam o Brasil na competição de matemática são: Sofia da Silveira Joaquim (13 anos), Gabriel Domingos Zanoni (13 anos) e Lucas Rodrigues (10 anos). A professora responsável pela formação destes alunos é Karine Callegari Mrotskoski. Ela viaja com os alunos junto com a diretora da escola, Daniele Schlichting Fusinato e a Secretária de Educação do Município de Criciúma, Roseli de Lucca Pizzolo.

SENADO Nos últimos tempos ninguém mais foi criticado pela condução do processo, ou mesmo por sua omissão na condução dele, do que o ex-governador Raimundo Colombo. Pois aparentemente agora ele é um dos mais beneficiados. Esperidião Amin (PP) e Paulo Bauer (PSDB) são concorrentes que estão fora da disputa.

PODE SER Ontem à noite fonte do PP admitia a possibilidade de Ângela Amin ser indicada candidata a vice na chapa com Paulo Bauer (PSDB). Isso “embretaria” Gelson Merísio e respingaria sobre Raimundo Colombo. Consequentemente poderia tornar as coisas mais simples para o PSD se fechasse na mesma aliança, algo que me parece absurdo para este momento.

EM TREVISO Ontem o pré-candidato a deputado federal pelo PT, sindicalista Célio Elias, distribuiu material comemorando o apoio que recebeu e Treviso. A ex-prefeita pelo MDB na cidade, Lúcia Cimolin, abraçou a candidatura do petista.

ORLEANS O consórcio formado pelos municípios de Orleans, Cocal do Sul, Urussanga, Lauro Müller, Siderópolis, Treviso e Morro da Fumaça), adquiriu uma usina de asfalto. Antecipando-se a chegada do equipamento, ontem, o prefeito de Orleans, Jorge Koch, apresentou um britador.


FRASE DO DIA
“Esta nossa convenção é um recado aos demais partidos de que o PSDB tem candidato. É Paulo Bauer para quatro anos no governo e Napoleão Bernardes oito anos no Senado. Se quiserem compor que venham para somar, porque no nosso partido quem decide somos nós e o que está decidido está decidido”.
Clésio Salvaro, prefeito de Criciúma, durante a convenção do PSDB no último domingo.