Notícias em destaque

Uma leitura à venda da Eliane

commentJornalismo access_time20/10/2018 07:56

Primeiros fatos apurados pelo âncora da rádio Eldorado, João Paulo Messer, a respeito da venda da maior indústria cerâmica do sul do estado

Clássico Inglês

commentEsporte access_time20/10/2018 08:30

Confira as principais partidas das cinco grandes Ligas Europeias

Criciúma fica no empate fora de casa

commentCriciúma EC access_time19/10/2018 23:50

Nem o Tigre nem o São Bento conseguiram tirar o 0x0 do marcador

 
Importação de alho provocava protesto em 1984

A produção catarinense era a segunda maior do País, com 10 mil toneladas naquela safra

comment Jornalismo access_time17/10/2017 - 14:40

Fonte: Antonio Colossi / Rádio Eldorado - Foto: Arquivo Esperidião Amin

Sete mil produtores rurais, em 400 automóveis, 300 tratores e 100 caminhões interditaram em 17 de outubro de 1984, por uma hora e meia, o trânsito na BR 470, no município de Curitibanos, para protestar contra o governo federal por ter autorizado a importação de trezentas mil caixas de alho da Espanha e, assim, comprometer totalmente o mercado consumidor para a produção de Santa Catarina.

Ao tomar conhecimento da manifestação, pela imprensa, o então governador Esperidião Amin, suspendeu toda sua programação em Florianópolis e deslocou-se 325 quilômetros até Curitibanos, onde dirigiu um trator sobre a BR 470 (Foto), criticou a Cacex, que era a Carteira de Comércio Exterior do Banco do Brasil, e desaprovou a politica agrícola adotada pelo governo federal.

O na época Secretário de Agricultura, Vilson Kleinubing, se comprometeu a conseguir mercado para o consumo de toda de toda a produção da safra catarinense, nem que para isso tivesse que contratar caminhões e vender alho nas praças de São Paulo e Rio de Janeiro.

O protesto começou as oito da manhã, diante da cooperativa regional do planalto catarinense e depois se estendeu para a BR 470, onde os produtores de alho enterraram um boneco do diretor da Cacex, Carlos Viacava, e queimaram outro, do assessor do mesmo órgão, Mauricio Sousa de Assis.

Depois, montaram uma grande fogueira e atearam fogo em 600 caixas de alho, na totalidade de 6 toneladas.

O que mais irritou os produtores foi o fato de a importação ter sido autorizada exatamente no momento em que a produção catarinense – a segunda maior do País, com 10 mil toneladas naquela safra – estava se esquematizando para ingressar no mercado consumidor nacional.

micÁudio da notícia

Ouça um relato do então Governador de SC, Esperidião Amin, sobre o protesto ocorrido há 33 anos



content_copyAssuntos relacionados

Mais notícias de Jornalismo

Uma leitura à venda da Eliane

commentJornalismo access_time20/10/2018 07:56

Primeiros fatos apurados pelo âncora da rádio Eldorado, João Paulo Messer, a respeito da venda da maior indústria cerâmica do sul do estado

A venda do Grupo Eliane Revestimentos Cerâmicos

commentJornalismo access_time19/10/2018 17:25

Informação foi confirmada agora a pouco em nota publicada no site oficial da empresa

  Café da Tarde conta a história da Igreja Batista

commentJornalismo access_time19/10/2018 13:13

Antônio Colossi recebeu pastores no Dia Batista de Oração Mundial

  Pesquisa Datafolha mostra Bolsonaro com 59% e Haddad com 41% no 2º turno

commentJornalismo access_time19/10/2018 09:30

Nova pesquisa do instituto para presidente indica que o candidato o PSL mantém vantagem ampla sobre o rival petista

  Prefeitos avaliam Audiência Pública sobre implantação de pedágios

commentJornalismo access_time19/10/2018 09:13

Encontro que aconteceu nesta quinta-feira reuniu autoridades de toda a região para conhecer o projeto