Notícias em destaque

  Ciro prestigia convenção do PDT em Santa Catarina

commentJornalismo access_time21/07/2018 17:00

Um dia após ser oficializado candidato a presidência do Brasil, Ciro Gomes faz primeiro ato em Santa Catarina

International Champions Cup de 2018

commentEsporte access_time21/07/2018 15:00

O maior torneio de pré-temporada do futebol europeu

Criciúma vence de virada o Londrina

commentCriciúma EC access_time20/07/2018 21:15

Com muito sufoco o Tigre conseguiu uma virada aos 43 minutos do segundo tempo

Leitura política à semana de Joinville

Cenário alimenta expectativa de repetição da tríplice aliança

comment Jornalismo access_time21/10/2017 - 08:00

Fonte: Colunista João Paulo Messer

Nesta semana dois fatos da política peemedebista movimentaram Joinville, que é hoje a cidade de onde deve sair o candidato a governador pelo PMDB. Quinta-feira à noite o deputado federal Mauro Mariani recebeu o título de cidadão joinvillense em clima que não chegou a ter aquela pompa de ato que condecora um quase candidato ao governo. De outro lado o prefeito Udo Döhler recebeu várias lideranças empresariais, entre elas o criciumense Olvacir Bez Fontana para conversas sobre a gestão, pública e privada. Assim, de forma isolada os fatos dizem pouco. Vistos de dentro da caserna peemedebista, entretanto, revelam alguma coisas como a dificuldade que Marini tem para crescer, enquanto pessoas bem próximas de Eduardo Moreira, leia-se Fontana, trocam impressões de maneira informal sobre gestão. Crava-se por isso a aposta de que Udo tem bem mais chances de ser candidato a governador que o próprio Mariani.
A medida que o prazo vai chegando aumentam as especulações e a expectativa sobre a renúncia – ou não – do governador Raimundo Colombo. Nesta semana, ao ser convidado informalmente pelo prefeito Clésio Salvaro para a festa de reinauguração da prefeitura, Colombo respondeu que estará de “férias” nas duas primeiras semanas de janeiro. Quer dizer, não é no fim deste ano que renuncia.
Havemos de lembrar que o ano político não começa em 1º de janeiro, mas sim em 1º de fevereiro. Por isso mantém-se a expectativa de que Colombo renuncie no prazo desejado pelos peemedebistas, início do ano e não apenas em abril.
Segue sendo alimentada a especulação de que Raimundo Colombo não dispute nada em 2018. Que aguarde apenas um convite para o governo federal a partir do ano que vem. Este é o cenário construído pelo PMDB que defende Udo Döhler candidato ao governo, o PSD do deputado federal João Rodrigues de vice com Eduardo Moreira (PMDB) e Paulo Bauer (PSDB) nas vagas ao Senado.
((( Leia mais no link "Colunistas" aqui no site. )))

content_copyAssuntos relacionados

Mais notícias de Jornalismo

  Ciro prestigia convenção do PDT em Santa Catarina

commentJornalismo access_time21/07/2018 17:00

Um dia após ser oficializado candidato a presidência do Brasil, Ciro Gomes faz primeiro ato em Santa Catarina

  Conti: "Eleição é oportunidade para escolher o pais que queremos"

commentJornalismo access_time21/07/2018 16:30

Professor de Direito Constitucional, Luiz Eduardo Conti, participou de programa especial sobre as eleições

  Eleições 2018: Convenções não acabam com as dúvidas

commentJornalismo access_time21/07/2018 16:00

Apesar de 11 partidos políticos oficializarem Gelson Merísio candidato a governador, o "jogo da eleição" segue nebuloso

Maracajá em festa

commentJornalismo access_time21/07/2018 14:00

Festividade enaltece o trabalho dos colonizadores e tem preços populares

Gelson Merísio mostra força na Superconvenção

commentJornalismo access_time21/07/2018 12:52

Pré-candidato a governador organiza segundo grande evento com força de articulação histórica