Notícias em destaque

  Documentário mostra os 10 anos de Dom Jacinto em Criciúma

commentJornalismo access_time13/11/2019 07:20

Trabalho do jornalista Nei Manique resume em meia hora trajetória que aniversaria hoje

Em jogo antecipado, Flamengo e Vasco se enfrentam pela 34ª rodada nesta quarta (13)

commentEsporte access_time13/11/2019 16:00

Clássico carioca é o único jogo da série A nesta quarta; jogo será disputado no Maracanã

Tigre quebra jejum de nove jogos sem vencer

commentCriciúma EC access_time12/11/2019 22:30

Criciúma supera o Londrina no Majestoso por 2x0

Blog André Abreu

Trump: um Bush reinventado

 personAndré Abreu
access_time16/10/2017 - 16:48

Desde que assumiu o poder a administração do governo Trump joga diplomaticamente muito parecido com o governo Bush. Isolacionismo, quebra de tratados internacionais, impopularidade são alguns dos fatores que podem ser numerados. Comparado com o pai, George H. Bush, que invadiu o Iraque sem derrubar Saddan Hussein, o Bush filho governou o Texas cortando verbas da educação e assumiu a Casa Branca depois de dois mandatos do Democrata Bill Clinton.
Clinton saiu da presidência, criou sua Fundação e saiu dando palestras pelo mundo. Ressurgiu em 2016 como cabo eleitoral da sua esposa, Hillary Clinton.
Depois de dois mandatos, o Democrata Obama seguiu os passos de Clinton, montou suia Fundação e esteve no Brasil e na Argentina há cerca de 10 dias em sua nova missão proselitista.
Como Bush, por outro lado, o atual presidente Trump enfrenta a oposição de Hollywood e do New York Times e do que lá se chama a mídia liberal (não conservadora, mas o liberal aqui nada tem a ver com economia),
Em um discurso histórico Bush chamou a Coreia do Norte de eixo do mal, enquanto Trump tem um tweet novo a cada instante contra Kim Jong-Un.
Chamado de impopular, odiado por Hollywood e com a mídia liberal batendo forte, Bush foi reeleito.
Trump acredita fortemente que, se o mercado financeiro continuar em alta e os números de geração de empregos da economia norte-americana continuarem positivos, continuará na Presidência sem ser vítima de impeachment e acredita também que, assim como o impopular Bush, a quem imita, foi reeleito,, ele também o será . Talvez por isso não tenha medo de falar o que queira para os repórteres nas coletivas de imprensa e twitar sem medo de ser criticado. Kim Jong-Un que se cuide com as postagens de Mr. Trump!

ONU: EUA e Israel fora da UNESCO

 personAndré Abreu
access_time12/10/2017 - 18:57

Desde 2011 as relações entre a organização que tem sob sua chancela a educação e cultura no mundo dentro do sistema ONU, se azedaram com a entrada da Palestina no órgão.
Os EUA inicialmente pararam de contribuir financeiramente para a UNESCO e hoje decidiram sair.
O motivo alegado está o tratamento dado a Israel dentro da estrutura da UNESCO.
Com o governo Trump em sintonia com Israel, os EUA adotaram a medida drástica com fortes repercussões internacionais.

Brexit: impasse se estabelece em negociações com o Reino Unido

 personAndré Abreu
access_time12/10/2017 - 10:00

A negociação para a saída do Reino Unido da União Europeia vive momentos de impasse.
O representante da UE, Michel Barnier, declarou esta tarde em coletiva de imprensa junto com o Secretário do Reino Unido para o Brexit, David Davis, que não está havendo progresso para que as negociações de saída fluam. Com o impasse, no próximo encontro entre os líderes da União Europeia, o negociador da UE recomendará que não se procedam as conversas sobre comércio para a saída do Reino Unido. da União Europeia.
Por outro lado, Michel Barnier, que é francês, sugeriu que o progresso deve ser alcançado perto do final do ano.
A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, tem se posicionado para que o Reino Unido procure a todo custo não acertar as negociações. May se tornou a cara do Brexit para os britânicos, mas suas indecisões na condução do processo têm custado muito para o Partido Conservador, que perdeu espaço nas últimas eleições parlamentares.

Catalunha: milhares protestam contra independência da região

 personAndré Abreu
access_time08/10/2017 - 10:19

Milhares de pessoas foram às ruas de Barcelona, capital da Catalunha, neste domingo protestar contra a futura declaração de independência da Catalunha. Analistas políicos internacionais acreditam que a declaração deva sair nesta semana.

O desejo de separação da Catalunha da Espanha é bem semelhante ao do movimento separatista "O Sul é o Meu País". Em ambos os casos a Constituição de cada país garante a indivisibilidade de cada nação. Mas há duas diferenças fundamentais: o povo catalão constitui um povo com língua e cultura próprias e o plebiscito na Cataluha foi autorizado por um órgão oficial: o parlamento da Catalunha. A luta foi para a Justiça e o plebiscito promovido pelo parlamento foi declarado ilegal. A Catalunha manteve o plebiscito e a partir dos resultados quer forçar a separação.

A Catalunha espera algum endosso da União Europeia, mas esse não se materializa. O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, pode adotar medidas extremas nos próximos dias: destituir o atual governo da Catalunha, convocar novas eleições e retirar o status autônomo da região.

E qual o papel das Nações Unidas? As Nações Unidas se pronunciam através da sua Comissão de Direitos Humanos, defendendo o direito da realização do plebiscito e condenando o uso exagerado da força policial por parte da Espanha. A Comissão requisitou que a Espanha faça uma investigação imparcial e que o governo da Espanha aceite sem demora os pedidos de visita de peritos em direitos humanos da ONU.

Namorada do atirador de Las Vegas dá as primeiras declarações

 personAndré Abreu
access_time04/10/2017 - 23:12

“Ele nunca disse nada para mim, ou fez algo que eu soubesse que fosse um aviso que algo horrível como isto ia acontecer. Eu o amava e esperava por um futuro calmo junto com ele." Essas foram as principais palavras da declaração da namorada do atirador, Marilou Danley, lidas por seu advogado Matthew Lombard no dia de hoje (4).

No ano passado, Paddock, investidor do ramo imobiliário e ex-agente do Departamento da Receita Federal dos EUA, tinha usado seus recursos financeiros para o ataque ocorrido no fim de semana, enquanto mantinha sua paixão por jogos nos cassinos.

Durante os últimos 12 meses, Paddock comprou 33 armas, a maioria fuzis, gastando milhares de dólares, segundo uma fonte policial mencionada pelo Washington Post.

A busca por informações que levem ao motivo do ataque continua sendo o objetivo do FBI, que está recebendo pistas sobre as últimas pessoas com quem o atirador manteve contato nos últimos dias. A partir disso, deve-se tentar estabelecer alguma conexão que ligue os fatos.

FBI investiga namorada do atirador

 personAndré Abreu
access_time04/10/2017 - 16:13

O Federal Bureau of Investigation, FBI, equivalente à Polícia Federal nos EUA, investiga a namorada do atirador, Marilou Danley em busca de motivos que levaram ao masacre em Las Vegas. Antes de ocorrer o massacre, o atirador Stephen Paddock enviou 100 mil dólares para as Filipinas, de onde chegou na noite passada a sua namorada. Danley não é ainda listada como suspeita, mas como "pessoa de interesse" para a condução da investigação.
Na sua chegada Marilou Danley foi escoltada em uma cadeira de rodas por agentes federais. A rede de TV CBS divulgou as imagens: http://www.azfamily.com/clip/13785876/marilou-danley-returns.
Mas até o momento os sites dos maiores jornais dos EUA e dos jornais locais da região de Las Vegas não trouxeram novas informações sobre declarações da namorada para as autoridades policiais.

Las Vegas: FBI descarta ligação com terrorismo internacional

 personAndré Abreu
access_time03/10/2017 - 06:56

O FBI, a Polícia Federal dos Estados Unidos, descarta a ligação do ataque de Las Vegas no fim de semana com o terrorismo internacional. O jornal The Washington Post destaca nesta manhã de terça-feira (3) que a busca por motivos para o ataque prosseguem sem nenhuma revelação, pois a polícia não encontrou nenhum registro criminal relacionado ao atirador Stephen Paddock.
As investigações apontam inicialmente para o não envolvimento da namorada de Stephen, que procurada pela polícia, foi localizada visitando familiares nas Filipinas. Ela foi interrogada e descartada como relacionada à investigação.
O FBI declarou ainda ontem que não há ligações possíveis entre o Estado Islâmico e o atirador de Las Vegas. O grupo terrorista está se tornando conhecido por assumir atentados realizados por pessoas sem conexão com ele. As investigações continuam enquanto o número de mortes aumentou para 59, com mais de 500 feridos.

Las Vegas: atirador mata 50 e fere 200 pessoas

 personAndré Abreu
access_time02/10/2017 - 10:58

A polícia metropolitana de Las Vegas informou que um atirador provocou a morte de 50 pessoas e deixou 200 feridos em um festival de música country em Las Vegas.
O atirador, Stephen Paddock, 64 anos, residente do estado de Nevada, foi morto durante uma operação da Unidade Tática da Polícia, que invadiu seu quarto de hotel, que era o local de onde ele efetuava seus disparos na multidão.

A Catalunha pode se tornar um país?

 personAndré Abreu
access_time02/10/2017 - 00:00

Com a votação a favor da independência da Catalunha, o governo da Espanha estuda os próximos passos. O governo da Catalunha deve declarar a independência nos próximos dias, após enviar os resultados do referendo para o Parlamento da região autônoma da Catalunha.
No direito internacinal não há nada que proíba a independência da Catalunha da Espanha, mas ao assumir uma postura a favor da separação primeiro-ministros e presidentes estarão interferindo em um assunto interno da Espanha com repercussões possíveis em seus países.
A Europa é historicamente uma colcha de retalhos unida pelo manto comum da União Europeia (UE). A fragmentação da Espanha tem os componentes necessários para incentivar divisões em outros países da UE, a saída do Reino Unido ainda trará seu impacto.
A favor da manutenção da unidade do país, a Espanha tem o artigo 155, que posto em prática colocaria a região autônoma diretamente debaixo do poder de Madri, tirando a autonomia atual.
A solução para a manter a unidade da Espanha sairia pela via política ou pela força militar? Não há resposta fácil nessa altura. Aguardemos os próximos dias.

Espanha: Governo da Catalunha declara que separatistas venceram; governo da Espanha não reconhece referendo

 personAndré Abreu
access_time01/10/2017 - 20:27

O número de feridos nos confrontos de hoje na Catalunha passa dos 700. O governo da Catalunha declarou a vitória dos separatistas. A tensão deve aumentar nos próximos dias, pois o goveno da Espanha, com a Constituição em mãos e força policial, deve conter qualquer movimentação em direção à independência.

Espanha: 465 feridos em violência policial contra referendo da Catalunha

 personAndré Abreu
access_time01/10/2017 - 11:40

O plebiscito na Catalunha é o grande foco da mídia internacional neste domingo. O governo da Espanha considera o referendo de independência da Catalunha ilegal e está tomando todas as medidas necessárias para evitar que se realize.
A Polícia Nacional e a Guarda Civil da Espanha têm invadido os locais de votação.
O povo catalão defende o direito da realização do referendo, que ocorre hoje e que coloca em questão a separação ou não da Catalunha da Espanha. Por isso, o governo da Espanha assume uma posição contrária à própria realização do referendo, por ser uma questão anticonstitucional que retiraria a Catalunha fora do domínio espanhol.
Entre as reclamações da Catalunha estão os impostos que são arrecadados na Catalunha e beneficiam muito mais outras regiões do país.
O governo da regão autônoma da Catalunha afirma que há 465 feridos pela violência policial até o momento, condenada agora pelo Primeiro-ministro da Bélgica.
A prefeita de Barcelona, Ada Colau, em post no Twitter pede o fim da violência policial e a renúncia do Primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy.
Nos esportes, como resultado dos confrontos, no momento o Barcelona enfrenta Las Palmas a portas fechadas.

Brexit: aumenta número de britânicos em busca de cidadania europeia

 personAndré Abreu
access_time29/09/2017 - 09:47

Matéria da BBC informa que o número de cidadãos britânicos em busca por um passaporte europeu vem aumentando significamente depois do anúncio do Brexit. Entre julho de 2016 a julho de 2017 os números mais do que dobraram.
Entre os nomes mais conhecidos na busca pelo passaporte italiano, o ator Colin Firth, representante do inglês tradicional no cinema, casado com uma italiana, adquiriu a cidadania recentemente, confirma o Ministério do Interior da Itália.
Explica-se: com o Reino Unido fora da União Europeia no futuro, os britânicos estão buscando uma alternativa para manterem seus direitos do outro lado do Canal da Mancha através de um passaporte da União Europeia.
Não são só os brasileiros que buscam por uma cidadania italiana. Depois do referendo que definiu pela saída os britânicos estão também na fila.

Brasileiros avançam na disputa de eleições municipais nos Estados Unidos

 personAndré Abreu
access_time28/09/2017 - 13:53

A noite de terça-feira, dia 26, foi tensa para os quatro brasileiros que disputavam as eleições preliminares para seguirem na disputa eleitoral em Framingham e Everett, ambas cidades de Massachusetts com um percentual significativo de brasileiros. Dos candidatos brasileiros, Priscila Sousa (candidata a prefeita em Framingham) obteve 537 votos e ficou na quarta colocação.

Ainda em Framingham, a candidata a vereadora Margareth Shepard conseguiu 344 votos, ficando em primeiro lugar, e disputará uma cadeira de vereadora pelo Distrito 7, em Framingham (MA). Também nesta cidade, o empresário Pablo Maia será o outro brasileiro a concorrer nas eleições que acontecem em novembro. Ele obteve 1030 votos e disputará uma vaga na para representar toda a cidade.

Na cidade de Everett, a brasileira Stephanie Martins segue na disputa e não precisou passar por uma preliminar, pois o distrito ao qual ela pleiteia uma vaga de vereadora (Distrito 2) tem apenas dois candidatos.

As eleições finais acontecem no início de novembro.

(Com informações do Braziliantimes.com)

Reeleita, Merkel inicia conversas para formar nova coalizão

 personAndré Abreu
access_time25/09/2017 - 10:12

Depois de garantir a sua permanência como chanceler alemã, Angela Merkel enfrenta agora o desafio de formar uma coalizão de governo capaz de aguentar a pressão dos nacionalistas do "Alternativa para a Alemanha" (AfD, em alemão).
O partido de Merkel, Democrata Cristão, conquistou 33%, do voto para o parlamento na eleição de domingo. Ainda que garantisse mais quatro anos para Merkel, os números apontam o pior resultado desde 1949.

Projeções indicam vitória de Merkel

 personAndré Abreu
access_time24/09/2017 - 13:43

A onda anti-imigrante na Alemanha deve garantir assentos para a extrema direita no Parlamento.
Mas, segundo o Washington Post, a chanceler Merkel deve garantir a extensão de seu mandato de 12 para 16 anos ainda hoje.